As diferenças entre chá branco, verde, vermelho e preto


As diferenças entre as cores

por Carolina Mouta | 28/09/2008

Para entender os processos de obtenção e propriedades de cada um dos chás retirados da Camellia sinensis, a nutricionista da rede Mundo Verde, Gláucia Padovan, preparou uma breve explicação. Confira:

Chá vermelho: o depurador

Popularmente conhecido como devorador de gorduras. Feito com folhas e brotos semifermentados da Camellia Sinensis obtidas em diferentes estágios de desenvolvimento, são conservados em barris e sua maturação dura cerca de 60 anos. Por isso na China, onde é muito consumido nos restaurantes, recebe o nome de Pu-erh (chá envelhecido).

Sem qualquer comprovação científica, dizem que ele é facilitador da digestão. Sua oxidação (que está entre o chá verde e preto) traz características peculiares: além da tonalidade vermelha, seu aroma é mais suave que o chá preto do e não tem o gosto marcante do chá verde, sendo um amargo que termina com sabor adocicado na boca.

A bebida ativa o metabolismo do fígado, ajudando o corpo a queimar gorduras em vez de armazená-las; reduz de forma significativa os triglicérides, os níveis de colesterol ruim (LDL) e o ácido úrico; reforça o sistema imunológico e protege o organismo de algumas infecções; e desintoxica o organismo, evitando a retenção de líquidos.

Chá branco: o emagrecedor

As folhas jovens e os brotos da Camellia Sinensis, ainda cobertos por uma penugem prateada, são colhidos em apenas dois dias do ano, antes das flores se abrirem, o que encarece o produto. Após a colheita, estes são expostos rapidamente ao calor, com tempo e temperatura controlada, e submetidos à secagem. Devido ao processo, sugere-se que, comparado às outras variantes de chá da planta, o chá branco tenha uma quantidade menor de cafeína e concentre maior poder antioxidante e mais nutrientes do que todos os chás.

Quando pronto, a bebida tem uma cor clara verde acinzentada e sabor adocicado. Acelera o metabolismo, queima e ajuda a eliminar a gordura, e neutraliza os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular. Também previne o câncer, diminui as taxas de LDL (colesterol ruim), evita problemas cardíacos, ativa o sistema imunológico e regenera a pele.

Chá verde: o estimulante

É considerado o “verdadeiro” chá. Feito apenas com folhas da Camellia sinensis, estas são colhidas e secas no ar, e em seguida expostas ao vapor da água e enroladas. Depois, voltam a secar naturalmente, sofrendo uma pequena oxidação e preservando os polifenóis naturais.

Comumente tomada no Japão, a bebida foi introduzida com facilidade no Ocidente, já que traz da natureza mais antioxidantes do que o nosso corpo é capaz de produzir. Ao beber, sente-se um sabor levemente amargo na transparência verde.

É antioxidante, ajuda a emagrecer e, de acordo com estudos asiáticos recentes, está associada à redução da gordura abdominal, uma das formas de obesidade mais perigosas e um fator de risco de doença cardíaca e diabetes.

O chá verde também ajuda a prevenir o câncer, graças a uma enzima que evita que as células se tornem tumorais; estimula o metabolismo; acalma as dores de cabeça; ajuda a controlar o colesterol e limita o risco de infarto; previne o aparecimento de cáries e fortalece os ossos, pelo seu conteúdo em flúor.

Chá Preto: o pioneiro

Quem nunca tomou uma xícara de chá preto? Este é o mais processado dos chás feitos da Camellia sinensis, por isso seu teor de cafeína é maior. As folhas colhidas são esquentadas para que o óleo e as enzimas saiam, e então parte-se para a fermentação. O processo é interrompido e elas voltam a ser secas no ar. A oxidação das folhas as torna negras – daí o nome.

Com tal técnica, a bebida tem sabor mais encorpado que as outras, em seu tom marrom avermelhado, que lhe rendeu pelos chineses o título de “chá vermelho”. A quantidade de cafeína do chá é menor que a do café. Mesmo assim, ajuda na concentração e é vasodilatador.

Somada com os bioflavonóides, atenuam-se os perigos de alimentos gordurosos, transformando-os em gorduras de alta densidade e as nocivas placas de gordura seguem com mais facilidade ao fígado, onde serão destruídas.

Fonte: [ A diferença entre as cores - Bolsa de Mulher ]

Chá Branco – Camellia sinensis

Chá Branco, Chá Verde, Chá Vermelho, Chá Preto, chás provenientes da Camellia sinensis.

É uma arvore originária do Sudeste Asiático, China e Índia, sendo muito cultivado em paises com clima ameno e úmido. (Alonso, 1998) Apesar de ser amplamente encontrada em paises como Índia, Sri Lanka, Geórgia e Japão, a Camellia sinensis (L.) Kuntze de melhor qualidade é a cultivada na China. (Ortiz, 1992)

Atualmente, os verdadeiros chás provenientes de Camellia sinensis (L.) Kuntze são produzidos na China. Alguns paises tentaram adaptar essa espécie a seus climas e solos, mas o resultado não foi positivo. Já que o sabor, odor e a qualidade dos chás variam principalmente pela forma e local de cultivo.

Na China existe ambiente adequado e técnicas de cultivo milenares que garante aos chás todas as suas características únicas e especiais. Os arbustos são plantados em regiões com clima frio e alturas acima de 100 metros – 2km (300 – 7000 pés) acima do nível do mar. Por esse motivo crescem devagar e ganham sabor diferenciado e especial.

É um arbusto grande, com até 15 metros de altura.Possui folhas simples, lanceoladas, coriáceas, quase glabras, de 4-7cm de comprimento. Flores de cor branca, solitárias ou em grupo de duas ou três nas axilas foliares. Os frutos são cápsulas deiscentes e oblongas, com 1-3 sementes. (Lorenzi, 2002).

A primeira colheita das folhas e caules utilizados para a preparação dos chás originados da arvore de Camellia sinensis (L.) Kuntze ocorre após 3-5 anos depois da plantação da mesma. Quando a arvore atinge 20 anos, a produção alcança um alto nível de quantidade e qualidade. As colheitas são realizadas três vezes ao ano, iniciam-se pelo “Chá da Primavera”, logo após o “Chá de Verão” e para finalizar o “Chá de Outono”. As colheitas recebem esses nomes em virtude da época do ano que são realizadas. A vida útil da arvore dura por aproximadamente 50 anos. A colheita, a secagem e o tempo de colheita são semelhantes para todos os chás provenientes da Camellia sinensis (L.) Kuntze.

Aproximadamente vinte províncias produzem Camellia sinensis (t.) Kuntze na China e as árvores são diferentes em cada uma dessas províncias. Desta forma, as diferenças nos sabores destes chás não é somente por causa dos processos específicos de preparo de cada um, mas também por causa dos diferentes tipos de arvores de Camellia sinensis (L.) Kuntze provenientes das diversas províncias da China.

O sabor do chá depende do local e da forma que ele foi cultivado. A altitude, o solo e o clima têm um considerável efeito sobre o sabor. Chás cultivados em locais com alta atitude amadurecem mais lentamente e têm um rendimento mais baixo, resultando numa maior qualidade.(Ortiz, 1992).

Atualmente existem cinco principais tipos diferentes de chás provenientes da Camellia sinensis (L.) Kuntze: Chá Verde (Green Tea),Chá Branco (White Tea), Banchá, Chá Vermelho (Red Tea / Dark Tea) e o Chá Preto (Black Tea). Uma das principais diferenças entre esses chás é o grau de fermentação, conforme descrito abaixo: .

Chá Verde: O Chá Verde é totalmente não fermentado por causa do processo de eliminação das enzimas. Cada ano uma variedade grande de Chá Verde é produzida na China. Entre eles, os principais são: Sencha, o Gunpowder e Chunmee. A folha e o caldo verde são as principais características do Chá Verde. A eliminação de enzimas, a secagem e a mistura são os processos básicos para a preparação do Chá Verde.

As folhas são colhidas ainda jovens, antes de estarem completamente desenvolvidas. Procede-se rapidamente a secagem e são enroladas ainda quente para a formação do Chá Verde. (Reader’s Digest, 1983) As folhas são expostas a vapor d’água e depois as expõem a altas temperaturas com a finalidade de eliminar a fermentação. Logo após são secas rapidamente, adquirindo assim um produto final de cor verde escura e forma enrolada. (Alonso, 1998).

Chá Preto: O Chá Preto é completamente fermentado. As variedades mais famosas de Chá Preto são: Chá Preto de Keemun, Chá Preto de Yunnan e Chá Preto de Fujian. Há quatro etapas principais para a preparação do Chá Preto, são elas: desidratação das folhas e caules frescos, mistura das folhas e caules já secos (durante a mistura ocorre o aumento do aroma característico do Chá Preto), fermentação (o sabor e a coloração específicos do Chá Preto são acentuados nessa etapa) e secagem através de evaporação de toda a água presente nas folhas e caules utilizados para a preparação do mesmo. Quando comparado aos demais chás provenientes da arvore de Camellia sinensis (L.) Kuntze, o chá Preto apresenta um sabor mais forte e acentuado, isso ocorre pelo processo de fermentação.

O odor aromático é devido a presença de compostos voláteis, formados durante as operações de fermentação e secagem: derivados cetônicos, resultantes da degradação de carotenos; hexenal, formado pela oxidação de ácidos graxos insaturados e heterocíclicos diversos, produtos da oxidação e rearranjo estrutural de monoterpenos. (Simões, 1999).

São coletadas as folhas frescas, as gemas e a porção terminal do caule que as sustentem. Logo em seguida, são levadas para um quarto bem ventilado, deixando que as sequem e murchem durante o dia. As folhas, neste caso tornam-se flexíveis e flácidas. Após isso, faz-se passar por máquinas rotativas produzindo-se a destruição tissular. Finalizada esta etapa, as folhas são colocados em um quarto frio para que ocorra a fermentação devido a processos de oxidação enzimática e logo as folhas são expostas a altas temperaturas em telas metálicas até que tomam uma consistência dura e quebradiça. (Alonso, 1998).

Chá Branco: A maioria dos Chás Brancos são produzidos na província de Fujian. As principais variedades são : Pai Mu Tan, Silver Needle e Fannings. O Pai Mu Tan é classificado como um “Chá Especial”, por causa do seu processo de preparação ser complexo e sua produtividade ser baixa. O processo básico para preparação do Chá Branco consiste em : secar, desidratar, selecionar, aquecer, cortar e misturar..

Chá Vermelho: o Chá Vermelho é um tipo de Dark Tea. Se diferencia pela fermentação que ocorre no final do processo de preparo do mesmo. A primeira etapa de preparação do Chá Vermelho é a eliminação das enzimas. Logo em seguida, as folhas são misturadas (o que irá aumentar o aroma do chá). Após a mistura, permanece um certo período secando. Para finalizar, ocorrem as etapas de fermentação, onde o Chá Vermelho irá adquirir a sua coloração característica, e secagem. Somente apos todas as etapas descritas acima, as folhas são selecionadas e a preparação do Chá Vermelho se encerra.

Banchá: O Banchá, também conhecido como Sencha ou Steamed Green. É totalmente não fermentado e possui uma característica peculiar de eliminação de enzimas o que garante seu frescor e sabor originais.

Nome Científico: Camellia sinensis (L.) Kuntze;

Sinonímia: Thea sinensis L., Camellia thea Link. (Lorenzi, 2002) Camellia bohea Lindl., Camellia scottiana Wall., Camellia theifera Griff., Camelia viridis Link, Thea assamica J.W.Mast., Thea cantoniensis Lour., Thea chinensis Sims, Thea cochinchinensis Lour., Thea grandifolia Salisb., Thea japonica Bail., Thea latifolia Lodd. Ex Sweet, Thea longifolia Nois. Ex Steud., Thea oleosa Lour., Thea parvifolia Salisb., Thea sasangua Nois. Ex Cels, Thea sinensis L., Thea stricta Hayne, Thea viridis L., Theaphylla cantoniensis Raf., Theaphylla laxa Raf., Theaphylla oleifera Raf., Theaphylla viridis Raf. (Soares, 2000)

Nome(s) Popular(es): Chá Verde: Té, Té Verde, Tea (Inglês), Théier (Francês). (Alonso, 1998) Green Tea, Chá da Índia.
Chá Preto: Black Tea.
Chá Branco: White Tea
Chá Vermelho: Red Tea, Pu Erh Tea.
Banchá: Sencha, Steamed Green Tea

Denominação Homeopática: Thea sinensis
Família Botânica: Theaceae
Parte Utilizada:
Chá Verde: Folha.
Chá Preto: Folha e Caule.
Chá Branco: Folha e Caule.
Chá Vermelho: Folha.
Banchá: Folha e Caule.

Princípios Ativos:
As folhas contem proteínas, glicídios, acido ascórbico, vitaminas do complexo B e bases púricas, especialmente cafeína, polifenóis: monosideos de flavonois e flavonas, catecois e epicatecois livres e esterificados pelo acido galico e produtos de condensação, e taninos. (Simões,1999).

Bases Xantínicas:
Compostas basicamente por cafeína e teofilina; Protoantocianidinas; Flavonóides: O-heterosídeos de flavonóis e flavanonas, C-heterosídeos de flavonas, epicatecol, epigalocatecol e seus ésteres gálicos; Outros: Óleo Essencial, Taninos Catequicos, Vitaminas do Grupo B, Sais Minerais, Ácidos Fenólicos. (Alonso,1998) Contém , entre outras substancias, a teobromina, a teofilina e a cafeína em proporções, por vezes, superior a do café. (Reader’s Digest, 1983).

O Extrato pó micronizado deverá conter no mínimo 5%;1,5%;20% e 40% de polifenóis totais, variando conforme o tipo.

Indicações e Ações Farmacológicas:
Utilizado na forma de produtos solúveis, como chá alimentício e estimulante. Também utilizado como auxiliar de regimes dietéticos, antipruriginoso e emoliente em afecções dermatológicas.

Toxicidade/Contra-indicações:
Pode gerar insônia devido a presença de cafeína. Através de estatísticas realizadas no Oriente, foi estabelecida uma ligação entre a ingestão de Camellia sinensis (L.) Kuntze o Câncer de Esôfago. Em primeira instancia essa ligação foi atribuída às altas temperaturas que os chás são consumidos e, em segundo lugar, pela presença de Taninos catequicos condensados.A presença de taninos no Chá da Índia pode interferir a absorção de nutrientes, minerais (ferro) ou com as atividades de enzimas digestivas (Alonso, 1998).

Referências Bibliográficas:
– ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. Isis Ediciones. 1998.
– KHALSA, M.D. Longevidade do Cérebro. 12ºedição.
– LORENZI, H.;MATOS F.J.ABREU. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Instituto Plantarum, 2002.
– MATOS, F.J.A. Farmácias Vivas. UFC. 3º Edição, 1998.
– ORTIZ,E.L. Encyclopedia of Herbs, Spices & Flavourings. A Dorling Kindersley Book, 1992.
– Revista Racine, Vida Natural: Chá Verde Chinês. Março/Abril 1999.
– Revista Veja Especial Saúde, Novembro, 2002.
– SELEÇÕES DO READER´S DIGEST.Segredos e Virtudes das Plantas Medicinais. 1983
– SIMÕES, C.M.O. Farmacognosia da Planta ao Medicamento. Editora Universidade (UFRGS/ UFSC). 1º edição, 1999.
– SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos.Livraria Editora, 2000.

Fonte: [ Chá Branco - Camellia sinensis - Farmácia Homeopática Dias da Cruz ]

Resumo

Chá vermelho, chá verde, chá preto e chá branco, qual a diferença? A maioria sabe que os quatro tipos de chás são feitos a partir da mesma planta, a Camellia sinensis. Acontece que em cada um dos tipos deste chás está na forma em que a erva é processada e na época da colheita. Isso faz com que cada um dos chás, vermelho, verde, branco ou preto, tenham diferentes propriedades e sabores.

Chá Vermelho

  • Processamento: A erva é semifermentada.
  • Propriedades: Queima gorduras, combate o envelhecimento, reduz o colesterol, é estimulante.
  • Preparo: Infusão com uma colher de sopa em 100ml de água.
  • Posologia: Até 3 xícaras por dia, evitando a noite.
  • Precauções: Gestantes e pessoas com gastrite devem evitá-lo.

Chá Verde

  • Processamento: A erva é colhida seca e não fermentada.
  • Propriedades: Acelera o metabolismo, queima gorduras, combate o envelhecimento, previne certos canceres, reduz o risco de problemas cardiovasculares, é estimulante.
  • Preparo: Infusão com uma colher de chá em 200ml de água.
  • Posologia: Até 3 xícaras por dia ou o máximo de 1,5 litros, evitando adoçá-lo ou tomar a noite. A preferência que se tome logo após o preparo.
  • Precauções: Gestantes e pessoas com nefrite, hipertensão ou usando remédios anti depressivos controlados devem evitá-lo.

Chá Branco

  • Processamento: Os brotos são colhidos em épocas específicas e não sofrem processo de oxidação.
  • Propriedades: Queima a gordura (sendo mais eficaz que o chá verde), previne o envelhecimento precoce, previne problemas cardiovasculares, é estimulante.
  • Preparo: Infusão de duas colheres de sopa rasas em um litro de água.
  • Posologia: Indicação de duas xícaras de chá ao dia, evitando adoçá-lo ou tomar a noite.
  • Precauções: Gestantes e pessoas com gastrite ou arritmia cardíaca devem evitá-lo.

Chá Preto

  • Processamento: A partir de folhas crescidas, passa-se por um processo de fermentação.
  • Propriedades: Eficaz contra problemas cardiovasculares, colesterol alto, e também é estimulante.
  • Preparo: Infusão de duas colheres de sopa rasas em um litro de água.
  • Posologia: Média de quatro xícaras de chá por dia evitando o consumo noturno.
  • Precauções: Gestantes e pessoas com problemas de estômago, doenças renais e hipertireoidismo.

Fonte: [ Chás: Verde, Branco, Vermelho e Preto - Receita Natural ]

As diferenças entre as cores

por Carolina Mouta | 28/09/2008

Para entender os processos de obtenção e propriedades de cada um dos chás retirados da Camellia sinensis, a nutricionista da rede Mundo Verde, Gláucia Padovan, preparou uma breve explicação. Confira:

Chá vermelho: o depurador

Popularmente conhecido como devorador de gorduras. Feito com folhas e brotos semifermentados da Camellia Sinensis obtidas em diferentes estágios de desenvolvimento, são conservados em barris e sua maturação dura cerca de 60 anos. Por isso na China, onde é muito consumido nos restaurantes, recebe o nome de Pu-erh (chá envelhecido).

Sem qualquer comprovação científica, dizem que ele é facilitador da digestão. Sua oxidação (que está entre o chá verde e preto) traz características peculiares: além da tonalidade vermelha, seu aroma é mais suave que o chá preto do e não tem o gosto marcante do chá verde, sendo um amargo que termina com sabor adocicado na boca.

A bebida ativa o metabolismo do fígado, ajudando o corpo a queimar gorduras em vez de armazená-las; reduz de forma significativa os triglicérides, os níveis de colesterol ruim (LDL) e o ácido úrico; reforça o sistema imunológico e protege o organismo de algumas infecções; e desintoxica o organismo, evitando a retenção de líquidos.

Chá branco: o emagrecedor

As folhas jovens e os brotos da Camellia Sinensis, ainda cobertos por uma penugem prateada, são colhidos em apenas dois dias do ano, antes das flores se abrirem, o que encarece o produto. Após a colheita, estes são expostos rapidamente ao calor, com tempo e temperatura controlada, e submetidos à secagem. Devido ao processo, sugere-se que, comparado às outras variantes de chá da planta, o chá branco tenha uma quantidade menor de cafeína e concentre maior poder antioxidante e mais nutrientes do que todos os chás.

Quando pronto, a bebida tem uma cor clara verde acinzentada e sabor adocicado. Acelera o metabolismo, queima e ajuda a eliminar a gordura, e neutraliza os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular. Também previne o câncer, diminui as taxas de LDL (colesterol ruim), evita problemas cardíacos, ativa o sistema imunológico e regenera a pele.

Chá verde: o estimulante

É considerado o “verdadeiro” chá. Feito apenas com folhas da Camellia sinensis, estas são colhidas e secas no ar, e em seguida expostas ao vapor da água e enroladas. Depois, voltam a secar naturalmente, sofrendo uma pequena oxidação e preservando os polifenóis naturais.

Comumente tomada no Japão, a bebida foi introduzida com facilidade no Ocidente, já que traz da natureza mais antioxidantes do que o nosso corpo é capaz de produzir. Ao beber, sente-se um sabor levemente amargo na transparência verde.

É antioxidante, ajuda a emagrecer e, de acordo com estudos asiáticos recentes, está associada à redução da gordura abdominal, uma das formas de obesidade mais perigosas e um fator de risco de doença cardíaca e diabetes.

O chá verde também ajuda a prevenir o câncer, graças a uma enzima que evita que as células se tornem tumorais; estimula o metabolismo; acalma as dores de cabeça; ajuda a controlar o colesterol e limita o risco de infarto; previne o aparecimento de cáries e fortalece os ossos, pelo seu conteúdo em flúor.

Chá Preto: o pioneiro

Quem nunca tomou uma xícara de chá preto? Este é o mais processado dos chás feitos da Camellia sinensis, por isso seu teor de cafeína é maior. As folhas colhidas são esquentadas para que o óleo e as enzimas saiam, e então parte-se para a fermentação. O processo é interrompido e elas voltam a ser secas no ar. A oxidação das folhas as torna negras – daí o nome.

Com tal técnica, a bebida tem sabor mais encorpado que as outras, em seu tom marrom avermelhado, que lhe rendeu pelos chineses o título de “chá vermelho”. A quantidade de cafeína do chá é menor que a do café. Mesmo assim, ajuda na concentração e é vasodilatador.

Somada com os bioflavonóides, atenuam-se os perigos de alimentos gordurosos, transformando-os em gorduras de alta densidade e as nocivas placas de gordura seguem com mais facilidade ao fígado, onde serão destruídas.

Fonte: [ A diferença entre as cores - Bolsa de Mulher ]
Chá Branco – Camellia sinensis

Chá Branco, Chá Verde, Chá Vermelho, Chá Preto, chás provenientes da Camellia sinensis.

É uma arvore originária do Sudeste Asiático, China e Índia, sendo muito cultivado em paises com clima ameno e úmido. (Alonso, 1998) Apesar de ser amplamente encontrada em paises como Índia, Sri Lanka, Geórgia e Japão, a Camellia sinensis (L.) Kuntze de melhor qualidade é a cultivada na China. (Ortiz, 1992)

Atualmente, os verdadeiros chás provenientes de Camellia sinensis (L.) Kuntze são produzidos na China. Alguns paises tentaram adaptar essa espécie a seus climas e solos, mas o resultado não foi positivo. Já que o sabor, odor e a qualidade dos chás variam principalmente pela forma e local de cultivo.

Na China existe ambiente adequado e técnicas de cultivo milenares que garante aos chás todas as suas características únicas e especiais. Os arbustos são plantados em regiões com clima frio e alturas acima de 100 metros – 2km (300 – 7000 pés) acima do nível do mar. Por esse motivo crescem devagar e ganham sabor diferenciado e especial.

É um arbusto grande, com até 15 metros de altura.Possui folhas simples, lanceoladas, coriáceas, quase glabras, de 4-7cm de comprimento. Flores de cor branca, solitárias ou em grupo de duas ou três nas axilas foliares. Os frutos são cápsulas deiscentes e oblongas, com 1-3 sementes. (Lorenzi, 2002).

A primeira colheita das folhas e caules utilizados para a preparação dos chás originados da arvore de Camellia sinensis (L.) Kuntze ocorre após 3-5 anos depois da plantação da mesma. Quando a arvore atinge 20 anos, a produção alcança um alto nível de quantidade e qualidade. As colheitas são realizadas três vezes ao ano, iniciam-se pelo “Chá da Primavera”, logo após o “Chá de Verão” e para finalizar o “Chá de Outono”. As colheitas recebem esses nomes em virtude da época do ano que são realizadas. A vida útil da arvore dura por aproximadamente 50 anos. A colheita, a secagem e o tempo de colheita são semelhantes para todos os chás provenientes da Camellia sinensis (L.) Kuntze.

Aproximadamente vinte províncias produzem Camellia sinensis (t.) Kuntze na China e as árvores são diferentes em cada uma dessas províncias. Desta forma, as diferenças nos sabores destes chás não é somente por causa dos processos específicos de preparo de cada um, mas também por causa dos diferentes tipos de arvores de Camellia sinensis (L.) Kuntze provenientes das diversas províncias da China.

O sabor do chá depende do local e da forma que ele foi cultivado. A altitude, o solo e o clima têm um considerável efeito sobre o sabor. Chás cultivados em locais com alta atitude amadurecem mais lentamente e têm um rendimento mais baixo, resultando numa maior qualidade.(Ortiz, 1992).

Atualmente existem cinco principais tipos diferentes de chás provenientes da Camellia sinensis (L.) Kuntze: Chá Verde (Green Tea),Chá Branco (White Tea), Banchá, Chá Vermelho (Red Tea / Dark Tea) e o Chá Preto (Black Tea). Uma das principais diferenças entre esses chás é o grau de fermentação, conforme descrito abaixo: .

Chá Verde: O Chá Verde é totalmente não fermentado por causa do processo de eliminação das enzimas. Cada ano uma variedade grande de Chá Verde é produzida na China. Entre eles, os principais são: Sencha, o Gunpowder e Chunmee. A folha e o caldo verde são as principais características do Chá Verde. A eliminação de enzimas, a secagem e a mistura são os processos básicos para a preparação do Chá Verde.

As folhas são colhidas ainda jovens, antes de estarem completamente desenvolvidas. Procede-se rapidamente a secagem e são enroladas ainda quente para a formação do Chá Verde. (Reader’s Digest, 1983) As folhas são expostas a vapor d’água e depois as expõem a altas temperaturas com a finalidade de eliminar a fermentação. Logo após são secas rapidamente, adquirindo assim um produto final de cor verde escura e forma enrolada. (Alonso, 1998).

Chá Preto: O Chá Preto é completamente fermentado. As variedades mais famosas de Chá Preto são: Chá Preto de Keemun, Chá Preto de Yunnan e Chá Preto de Fujian. Há quatro etapas principais para a preparação do Chá Preto, são elas: desidratação das folhas e caules frescos, mistura das folhas e caules já secos (durante a mistura ocorre o aumento do aroma característico do Chá Preto), fermentação (o sabor e a coloração específicos do Chá Preto são acentuados nessa etapa) e secagem através de evaporação de toda a água presente nas folhas e caules utilizados para a preparação do mesmo. Quando comparado aos demais chás provenientes da arvore de Camellia sinensis (L.) Kuntze, o chá Preto apresenta um sabor mais forte e acentuado, isso ocorre pelo processo de fermentação.

O odor aromático é devido a presença de compostos voláteis, formados durante as operações de fermentação e secagem: derivados cetônicos, resultantes da degradação de carotenos; hexenal, formado pela oxidação de ácidos graxos insaturados e heterocíclicos diversos, produtos da oxidação e rearranjo estrutural de monoterpenos. (Simões, 1999).

São coletadas as folhas frescas, as gemas e a porção terminal do caule que as sustentem. Logo em seguida, são levadas para um quarto bem ventilado, deixando que as sequem e murchem durante o dia. As folhas, neste caso tornam-se flexíveis e flácidas. Após isso, faz-se passar por máquinas rotativas produzindo-se a destruição tissular. Finalizada esta etapa, as folhas são colocados em um quarto frio para que ocorra a fermentação devido a processos de oxidação enzimática e logo as folhas são expostas a altas temperaturas em telas metálicas até que tomam uma consistência dura e quebradiça. (Alonso, 1998).

Chá Branco: A maioria dos Chás Brancos são produzidos na província de Fujian. As principais variedades são : Pai Mu Tan, Silver Needle e Fannings. O Pai Mu Tan é classificado como um “Chá Especial”, por causa do seu processo de preparação ser complexo e sua produtividade ser baixa. O processo básico para preparação do Chá Branco consiste em : secar, desidratar, selecionar, aquecer, cortar e misturar..

Chá Vermelho: o Chá Vermelho é um tipo de Dark Tea. Se diferencia pela fermentação que ocorre no final do processo de preparo do mesmo. A primeira etapa de preparação do Chá Vermelho é a eliminação das enzimas. Logo em seguida, as folhas são misturadas (o que irá aumentar o aroma do chá). Após a mistura, permanece um certo período secando. Para finalizar, ocorrem as etapas de fermentação, onde o Chá Vermelho irá adquirir a sua coloração característica, e secagem. Somente apos todas as etapas descritas acima, as folhas são selecionadas e a preparação do Chá Vermelho se encerra.

Banchá: O Banchá, também conhecido como Sencha ou Steamed Green. É totalmente não fermentado e possui uma característica peculiar de eliminação de enzimas o que garante seu frescor e sabor originais.

Nome Científico: Camellia sinensis (L.) Kuntze;

Sinonímia: Thea sinensis L., Camellia thea Link. (Lorenzi, 2002) Camellia bohea Lindl., Camellia scottiana Wall., Camellia theifera Griff., Camelia viridis Link, Thea assamica J.W.Mast., Thea cantoniensis Lour., Thea chinensis Sims, Thea cochinchinensis Lour., Thea grandifolia Salisb., Thea japonica Bail., Thea latifolia Lodd. Ex Sweet, Thea longifolia Nois. Ex Steud., Thea oleosa Lour., Thea parvifolia Salisb., Thea sasangua Nois. Ex Cels, Thea sinensis L., Thea stricta Hayne, Thea viridis L., Theaphylla cantoniensis Raf., Theaphylla laxa Raf., Theaphylla oleifera Raf., Theaphylla viridis Raf. (Soares, 2000)

Nome(s) Popular(es): Chá Verde: Té, Té Verde, Tea (Inglês), Théier (Francês). (Alonso, 1998) Green Tea, Chá da Índia.
Chá Preto: Black Tea.
Chá Branco: White Tea
Chá Vermelho: Red Tea, Pu Erh Tea.
Banchá: Sencha, Steamed Green Tea

Denominação Homeopática: Thea sinensis
Família Botânica: Theaceae
Parte Utilizada:
Chá Verde: Folha.
Chá Preto: Folha e Caule.
Chá Branco: Folha e Caule.
Chá Vermelho: Folha.
Banchá: Folha e Caule.

Princípios Ativos:
As folhas contem proteínas, glicídios, acido ascórbico, vitaminas do complexo B e bases púricas, especialmente cafeína, polifenóis: monosideos de flavonois e flavonas, catecois e epicatecois livres e esterificados pelo acido galico e produtos de condensação, e taninos. (Simões,1999).

Bases Xantínicas:
Compostas basicamente por cafeína e teofilina; Protoantocianidinas; Flavonóides: O-heterosídeos de flavonóis e flavanonas, C-heterosídeos de flavonas, epicatecol, epigalocatecol e seus ésteres gálicos; Outros: Óleo Essencial, Taninos Catequicos, Vitaminas do Grupo B, Sais Minerais, Ácidos Fenólicos. (Alonso,1998) Contém , entre outras substancias, a teobromina, a teofilina e a cafeína em proporções, por vezes, superior a do café. (Reader’s Digest, 1983).

O Extrato pó micronizado deverá conter no mínimo 5%;1,5%;20% e 40% de polifenóis totais, variando conforme o tipo.

Indicações e Ações Farmacológicas:
Utilizado na forma de produtos solúveis, como chá alimentício e estimulante. Também utilizado como auxiliar de regimes dietéticos, antipruriginoso e emoliente em afecções dermatológicas.

Toxicidade/Contra-indicações:
Pode gerar insônia devido a presença de cafeína. Através de estatísticas realizadas no Oriente, foi estabelecida uma ligação entre a ingestão de Camellia sinensis (L.) Kuntze o Câncer de Esôfago. Em primeira instancia essa ligação foi atribuída às altas temperaturas que os chás são consumidos e, em segundo lugar, pela presença de Taninos catequicos condensados.A presença de taninos no Chá da Índia pode interferir a absorção de nutrientes, minerais (ferro) ou com as atividades de enzimas digestivas (Alonso, 1998).

Referências Bibliográficas:
– ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. Isis Ediciones. 1998.
– KHALSA, M.D. Longevidade do Cérebro. 12ºedição.
– LORENZI, H.;MATOS F.J.ABREU. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Instituto Plantarum, 2002.
– MATOS, F.J.A. Farmácias Vivas. UFC. 3º Edição, 1998.
– ORTIZ,E.L. Encyclopedia of Herbs, Spices & Flavourings. A Dorling Kindersley Book, 1992.
– Revista Racine, Vida Natural: Chá Verde Chinês. Março/Abril 1999.
– Revista Veja Especial Saúde, Novembro, 2002.
– SELEÇÕES DO READER´S DIGEST.Segredos e Virtudes das Plantas Medicinais. 1983
– SIMÕES, C.M.O. Farmacognosia da Planta ao Medicamento. Editora Universidade (UFRGS/ UFSC). 1º edição, 1999.
– SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos.Livraria Editora, 2000.

Fonte: [ Chá Branco - Camellia sinensis - Farmácia Homeopática Dias da Cruz ]
Resumo

Chá vermelho, chá verde, chá preto e chá branco, qual a diferença? A maioria sabe que os quatro tipos de chás são feitos a partir da mesma planta, a Camellia sinensis. Acontece que em cada um dos tipos deste chás está na forma em que a erva é processada e na época da colheita. Isso faz com que cada um dos chás, vermelho, verde, branco ou preto, tenham diferentes propriedades e sabores.
Chá Vermelho

* Processamento: A erva é semifermentada.
* Propriedades: Queima gorduras, combate o envelhecimento, reduz o colesterol, é estimulante.
* Preparo: Infusão com uma colher de sopa em 100ml de água.
* Posologia: Até 3 xícaras por dia, evitando a noite.
* Precauções: Gestantes e pessoas com gastrite devem evitá-lo.

Chá Verde

* Processamento: A erva é colhida seca e não fermentada.
* Propriedades: Acelera o metabolismo, queima gorduras, combate o envelhecimento, previne certos canceres, reduz o risco de problemas cardiovasculares, é estimulante.
* Preparo: Infusão com uma colher de chá em 200ml de água.
* Posologia: Até 3 xícaras por dia ou o máximo de 1,5 litros, evitando adoçá-lo ou tomar a noite. A preferência que se tome logo após o preparo.
* Precauções: Gestantes e pessoas com nefrite, hipertensão ou usando remédios anti depressivos controlados devem evitá-lo.

Chá Branco

* Processamento: Os brotos são colhidos em épocas específicas e não sofrem processo de oxidação.
* Propriedades: Queima a gordura (sendo mais eficaz que o chá verde), previne o envelhecimento precoce, previne problemas cardiovasculares, é estimulante.
* Preparo: Infusão de duas colheres de sopa rasas em um litro de água.
* Posologia: Indicação de duas xícaras de chá ao dia, evitando adoçá-lo ou tomar a noite.
* Precauções: Gestantes e pessoas com gastrite ou arritmia cardíaca devem evitá-lo.

Chá Preto

* Processamento: A partir de folhas crescidas, passa-se por um processo de fermentação.
* Propriedades: Eficaz contra problemas cardiovasculares, colesterol alto, e também é estimulante.
* Preparo: Infusão de duas colheres de sopa rasas em um litro de água.
* Posologia: Média de quatro xícaras de chá por dia evitando o consumo noturno.
* Precauções: Gestantes e pessoas com problemas de estômago, doenças renais e hipertireoidismo.

Fonte: [ Chás: Verde, Branco, Vermelho e Preto - Receita Natural ]

About these ads

2 respostas em “As diferenças entre chá branco, verde, vermelho e preto

  1. amei estas informasoes assim eu vou comprar muitos chás para mim enmagrecer eu to na adolecencia e naum quero engordar e fikar obesa agr eu vo fikar no peso ideal (rsrsrs)

    Curtir

    • Bruna,

      A questão de emagrecimento na verdade é uma questão fundamental de saúde. Manter o corpo regulado é uma das formas de mantermos toda a estrutura num estado que chamamos de saudável. Eu sou um que está fora de forma, principalmente porque deixei de fazer exercícios regularmente e não estou sendo comedido na hora de me alimentar.

      Emagrecer torna o corpo mais esbelto, mas não deve ser a única e exclusiva finalidade. É preciso ver que temos que cuidar um pouco melhor de nossa morada, nosso templo, enquanto estamos aqui na Terra.

      Para cuidar do corpo, cuidamos de nossa mente.

      Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s