Sobre sementes e raízes

NATUREZA_por_do_sol

Álih, o guia, e Jávier, seu jovem aprendiz, estão assentados sobre a montanha conversando enquanto sentem o vento e observam a vila e as poucas pessoas que caminham lá em baixo.

“O vento é como a vida”, diz o velho. “Ele traz sementes boas e sementes ruins”.

Jávier tira os olhos do horizonte e fita o guia. O velho respira fundo.

“Algumas coisas não escolhemos plantar. O vento traz, elas caem no terreno de nossas vidas e, caso sejam ruins, podemos impedir que elas criem raízes em nós. É como aquele viajante que procura pouso no início da noite: podemos impedir que ele fique, não que ele venha”. O rapaz continua observando o guia.

“As sementes são as influências que a vida nos oferece. Não podemos viver sem que sejamos marcados por elas. As boas devem ser regadas e alimentadas para que cresçam e produzam os seus frutos. Já as sementes ruins devem ser arrancadas o mais rápido possível, pois a cada dia que permanecem em nós, se torna mais difícil nos livrar delas”.

O rapaz entende o recado. Hoje impedirá que todas as más influências criem raízes em seu coração.

Fonte: [ DM ]