“Tabela de plantio” é método desenvolvido por agricultor paraibano para plantar algodão sem agrotóxico

Praga não suporta altas temperaturas e deixa plantações intactas

O agricultor José Sinésio dos Santos, do município de Remígio, no Curimataú paraibano, desenvolveu uma técnica de plantio do algodão que dispensa o uso de agrotóxico para combater uma praga conhecida por bicudo. Segundo Sinésio, o segredo está em algumas técnicas a exemplo da época de plantio, variedade a ser utilizada, escolha do solo e, especialmente, o espaçamento.

Apoiados pelas organizações de agricultores vinculadas ao Pólo Sindical do Compartimento, técnicos pesquisadores da Embrapa Algodão e Embrapa Transferência de Tecnologias, escritório de Campina Grande, os agricultores estão desenvolvendo o plantio do algodão 8 H dentre outras variedade da Embrapa e, garantem que desde o ano de 2004 estão conseguindo produzir a cultura com estratégias que evitam a utilizarão dos produtos que causem impactos negativos ao bolso do agricultor e ao meio ambiente.

“Vou produzir algodão, pois não tenho medo do bicudo. Venho lutando a mais de dois anos sem veneno e alcançando resultados positivos”, justificou Sinésio à Rádio Serrada de Araruna, ao contatar com os ouvintes do Programa Domingo Rural, evidenciando que o segredo está numa ‘Tabela de plantio’, por ele desenvolvida e que consiste em utilizar um espaçamento largo já que segundo sua observação o bicudo não suporta as altas temperaturas registradas na região.

“Uso a tabela de plantio porque sei que se ele não encontrar sobra ele não resiste”, comemorou. Plantar de forma espaçosa parece ser o milagre encontrado pelo agricultor já que diversos praguicidas foram desenvolvidos pelos grandes centros de pesquisas com elevados custos, devastação a fauna e flora e sem apresentar resultados ambientalmente corretos de produção.

“A tabela consiste em plantar o algodão num espaçamento de 1,10 m entre linhas por 0,40 m entre as plantas com poucos pés, porque tem gente que ainda está naquele tempo de pensar que produz-se muito formando uma touceira, mas não é, a produção só aumenta plantando-se de um a dois pés por cova”, justificou. Baseado nas informações repassadas, ele informou que no ano de 2004 conseguiu produzir 1,6 toneladas por hectares. Nesta safra, o agricultor está com a cultura em faze de formação das maçãs e floração da cultura sem que tenha-se notado a presença do temível bicudo.

Fonte: [ WSCOM ]

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.