EUA descobrem a taioba

Não seria o máximo chegar num mercado aqui na Flórida e encontrar nas prateleiras folhas de taioba fresquinhas? Pois é, então prepare-se. Graças a um programa pioneiro da Universidade de Massachusetts (UMass-Amherst), um grupo de agrônomos está produzindo hortaliças brasileiras em território norte-americano e, no dia 2 de dezembro (sábado), vai disponibilizar no Supermercado Rocha – antigo Brazilian Food Market – o produto em larga escala.

O projeto conduzido na UMass nasceu em 2002, quando o professor e pesquisador do Departamento de Plantas e ciências do Solo Frank Mangan trouxe do Brasil sementes de jiló. Apaixonado pela cultura brasileira, devido ao convívio com membros da comunidade naquele estado, Mangan iniciou o cultivo da cultura na fazenda experimental da universidade e a iniciativa foi um sucesso.
Desde então, outras culturas passaram a ser testadas, como o ma-xixe, pimenta, abóbora japonesa, abóbora tradicional e, agora, taioba. “O sucesso do projeto tem relação com a presença de brasileiros na equipe”, diz o pesquisador.

Fazem parte do time as estudantes Raquel Mendonça, que cursa Marketing na UMass, e Samanta Nunes, estudante de Agronomia pela Universidade de São Paulo e que está num estágio nos EUA.

Pesquisa da UMasse já existe há um ano

A equipe da UMasse está trabalhando com a taioba há aproximadamente um ano e, segundo os participantes do projeto, a reação das pessoas ao verem a planta é surpreendente: “É um produto muito desejado pelos brasileiros e ainda não era encontrado em supermercados”, explica Samanta. A grande procura pela taioba fez com que os pesquisadores da UMass buscassem uma parceria com uma instituição brasileira, no caso com a Universidade de Viçosa, de onde o professor Fernando Finger envia as raízes para a produção da hortaliça na estufa em Massachusetts.

“Como o inverno no norte dos EUA é rigoroso, temos apenas cinco meses entre o plantio e a colheita da taioba, mas é tempo suficiente pois a hortaliça tem o ciclo curto e se reproduz rapidamente”, diz Samanta, que está de retorno marcado para o Brasil, mas deve voltar à Universidade de Massachusetts em 2007 para cursar o Mestrado. Ela lembra que a quantidade de vasos de taioba é limitada, portanto a venda no dia 2 de dezembro deverá ser bastante concorrida.

“Quem perder a oportunidade agora, só terá taioba fresquinha no verão do próximo ano”, adverte. O supermercado fica na West Atlantic Boulevard, em Margate.

A taioba é uma raiz utilizada como digestivo, sendo rica em cálcio, fósforo, ferro e proteínas. Assim como do inhame, consi-derado seu parente distante, da taioba também pode se aproveitar o tubérculo, as folhas e as hastes. Entre receitas famosas tendo a folha como ingrediente, vale citar a salada de taioba, arroz de taioba e até a torta de taioba.

Fonte: AcheiUSA

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

Uma resposta para “EUA descobrem a taioba

  1. flavio macota

    Pareabéns pela reportagem Anderson,
    Muito legal, acredito que a taioba ainda tem o devido valor aqui no Brasil e quem sabe se virar moda na América do Norte, desenvolve aqui também.
    Namastê!

    Flávio Macota.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.