Cabral propõe também discutir a legalização das drogas

O governador do Rio, Sérgio Cabral, afirmou ontem que a repressão às drogas “está matando muita gente no Terceiro Mundo”. “Estou defendendo que o Brasil entre nessa discussão e force o Primeiro Mundo a rediscutir a legalização das drogas, porque hoje, se você colocar o peso do custo-benefício do fato de ela ser ilegal, quantas pessoas morrem por isso?”, disse. “Será que essa equação está positiva para o mundo?” Indagado se defendia a descriminalização, afirmou: “A descriminalização e um avanço na (questão da) legalização com cientistas, profissionais da área de saúde.

Cabral participou ontem do seminário Parceiros na Segurança, na Federação do Comércio, precedido por um minuto de silêncio pela morte do menino João Hélio Fernandes. O secretário da Segurança, José Mariano Beltrame, um dos palestrantes, discordou do governador. “Esse tipo de assunto tem que ser discutido amplamente pela sociedade. O País está pronto para isso? Hoje, sou totalmente contra a liberação das drogas.

Cabral citou os Estados Unidos como exemplo na questão da autonomia estadual e defendeu que o Rio tenha legislação própria anticrime. “Se este crime bárbaro tivesse ocorrido nos EUA, teria 50 entendimentos legais diferentes.” Ele disse que já conversou com governadores do Sudeste e vai a Brasília amanhã propor mudanças na legislação. “O Congresso tem que abrir mão de poderes para que os Estados tenham mais poder para legislar. A realidade criminal do Acre não é igual à do Rio.

Fonte: Agência Estado

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.