Jardim sensorial

Plantas e árvores agradáveis ao tato

ELIANA TEIXEIRA

A beleza das flores, a diversidade das árvores e suas folhas, de formatos e tamanhos distintos, não deveriam estar restritas apenas ao olhar. Quem não pode ver essa beleza, pode senti-la ao tocar nas diferentes plantas que integram um jardim. O plano de um jardim sensorial, que estimule e contemple todos os sentidos, é tema da tese de doutorado em fitotecnia, de José Flávio Machado Leão, engenheiro agrônomo formado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP). A tese, “Identificação, seleção e caracterização de espécies vegetais destinadas à instalação de jardins sensoriais táteis para deficientes visuais”, foi orientada pelo professor Valdemar Antonio Demetrio e apresentada, no último dia 5, à banca examinadora integrada pelo prefeito Barjas Negri (PSDB) e pelo professor Jairo Ribeiro de Mattos.

Esse tipo de jardim, detalha o engenheiro, dispõe aos usuários – portadores de deficiências ou não – segurança, funcionalidade, repouso e beleza, principalmente, aos deficientes visuais que podem conhecer pelo tato as diferentes formas e texturas. O plano prevê área de 2.600 metros quadrados para o jardim sensorial, que poderá ser construído no Parque da Rua do Porto, Lar dos Velhinhos ou outra área apontada pelos próprios portadores como ideal.

Leão afirma ter o consentimento da administração municipal e conta com apoio de Rogério Vidal, secretário municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), de Fernando Komatsu, presidente da organização não-governamental (ONG) Avistar – entidade que atende a portadores de deficiência visual -, e dos arquitetos Rodrigo Fonseca e Walter de Castro Junior. “As espécies de árvores que verificamos como adequadas são guaraiuva, resedá, plantas sem espinhos, como o lírio da paz, jasmim, além das aromáticas, manjericão, erva-doce, hortelã”, exemplifica.

O objetivo do projeto, argumenta o engenheiro, é proporcionar a inclusão e o convívio de todos. Para desenvolver a tese, ele estudou durante um ano as plantas e árvores mais adequadas para o projeto de um jardim sensorial. Um grupo de 15 deficientes visuais, da ONG Avistar, participou do estudo, conhecendo plantas e árvores da Esalq e do viveiro de mudas de Limeira.

Coube ao grupo, identificar e escolher, pela análise das texturas, as plantas, arbustos e árvores que gostariam de encontrar em um jardim. Segundo Leão, o grupo optou pelas texturas macias, folhas pequenas e caules lisos, que são agradáveis ao tato. “O tato é olhar do deficiente visual. É preciso selecionar plantas que não causem problemas de segurança física ou psicológica”, avalia.

O plano inclui o jardim, fonte de água, trilha dos sentidos – quem caminhar descalço poderá sentir as diferentes texturas do solo -, e facilidade de acesso ao local. Se o jardim for construído no Parque da Rua do Porto, exemplifica o engenheiro, deverá ficar logo na entrada. “Teremos de sinalizar adequadamente as vagas de estacionamento para deficientes, construir rampas de acesso, ter piso de alerta para quem anda com bengalas, solo direcional para se chegar ao jardim”, detalha.

Leão diz que ainda é cedo para falar em valores, mas afirma não ser difícil transformar o plano em projeto. “Precisamos apenas de vontade para realizar o projeto”, declara.

Fonte: [ Gazeta de Piracicaba ]

Primavera começa com clima instável

Heloísa Cestari
Do Diário do Grande ABC

A primavera começa neste domingo(23/09), precisamente às 6h51, já mostrando as oscilações climáticas típicas da estação da flores, marcada por picos de calor e quedas acentuadas de temperatura.

De acordo com a previsão do instituto de meteorologia Climatempo, o dia será seco e quente, com máxima de 32ºC na Região Metropolitana de São Paulo. Mas a chegada de uma frente fria já nesta noite deverá provocar uma baixa brusca nos termômetros, que não deverão ultrapassar a marca dos 24ºC. Há previsão de chuva para segunda-feira.

Segundo o meteorologista André Madeira, além do colorido das flores que tanto simboliza esta época do ano, a primavera é uma fase de transição caracterizada por variações climáticas e aumento de chuva. “Estamos esperando índices pluviométricos acima da média em outubro e dezembro.”

Para Madeira, o recorde de calor da última quinta-feira, quando foi registrado o dia mais quente do ano na Capital, é natural em setembro. “Neste mês são comuns temperaturas elevadas. Em 2004, tivemos até 35,3ºC em setembro. E no ano passado, chegou-se a 34,1ºC na Capital.”

Flores – O clima primaveril pode incomodar as pessoas com as instabilidades do tempo, mas é perfeito para fazer as flores desabrocharem. Segundo o engenheiro agrônomo Nilton Soares Val, a mistura de calor, chuva e luz, devido aos dias mais longos, faz com que as plantas despertem da dormência e floresçam. “No início da primavera, elas estão com todas as reservas para manifestar sua genética e os dias longos favorecem a fotossíntese. O resultado são as flores e frutos. Também é agora que elas respondem melhor às fertilizações.”

Mas nem todas as espécies dão flores justamente na primavera. “Isso é comum entre as plantas nacionais, como as helicônias, o philodendron, o lírio-da-paz, as primaveras e as orquídeas. Já o ipê-amarelo prefere o clima seco do inverno, assim como a magnólia e a pata-de-vaca. E há plantas trazidas de outros países que dão flores em outras estações.”

Algumas árvores também começam a frutificar. “Pitangueiras, amoreiras e cerejeiras-do-rio-grande já estão dando frutos, mas quando a chuva é escassa eles tendem a ser menores, mais doces e em menor quantidade”, completa Val.

Fonte: [ Setecidades ]

Seja bem vinda, Primavera!

[img:IMG_5118.JPG,resized,vazio]

A Primavera

O meu amor sozinho
É assim como um jardim sem flor,
Só queria poder ir dizer a ela
Como é triste se sentir saudade.
É que eu gosto tanto dela,
Que é capaz dela gostar de mim,
Acontece que eu estou mais longe dela
Do que a estrela a reluzir na tarde.
Estrela, eu lhe diria,
Desce à terra, o amor existe
E a poesia
Só espera ver
Nascer a primavera
Para não morrer.

Não há amor sozinho,
É juntinho que ele fica bom,
Eu queria dar-lhe todo o meu carinho,
Eu queria ter felicidade.
É que o meu amor é tanto,
Um encanto que não tem mais fim,
No entanto ela não sabe que isso existe…
É tão triste se sentir saudade,
Amor, eu lhe direi,
Amor que eu tanto procurei,
Ah! quem me dera eu pudesse ser
A tua primavera
E depois morrer.

Vinícius de Moraes e Carlos Lyra

21 de Setembro – Dia da Árvore

por Deborah Dubner

Aprenda a amar as árvores e aprenderá amar a si mesmo” (Silvio Campos)

[img:11000.jpg,full,alinhar_esq_caixa]21 de setembro é uma data especial. Comemora-se o Dia da árvore e o Dia Internacional da Paz. Duas palavras que remetem a muita reflexão, e que combinam perfeitamente juntas. A árvore é um forte símbolo de paz. Ela traz a lembrança do tempo sem tempo, a ancestralidade das tribos e a longevidade da sabedoria. Silenciosa e generosa, ela acolhe, abriga, refresca e convida para momentos de tranqüilidade e harmonia.

A árvore nos dá seu fruto, sua sombra, cura nossas enfermidades, o ar puro que respiramos, protege a terra, rios e as nascentes. Ela carrega o simbolismo da genealogia e da vida. Não é à toa que a natureza deu à arvore centenas e centenas de anos, enquanto para os homens e outros animais, poucos anos de vida. Sua existência é carregada de memória e curiosidades.

Sensível como a árvore da maçã, elegante como a figueira ou melancólico como o chorão. Nós, seres humanos, temos muito em comum com as árvores que nos rodeiam. Confira a árvore correspondente à data do seu nascimento e divirta-se comparando as características. Clique aqui e saiba qual é a sua árvore!

Observar uma árvore traz o poder de conexão direta com a natureza, que é pura manifestação de beleza. E a paz nasce da beleza. Não há outro berço para a paz, senão o amor e a beleza. Basta olhar para uma árvore, com os olhos cheios e a mente vazia, para compreender que ela é um grande mestre da paz. Árvore é sinônimo de vida. E vida é sinônimo de paz. A manutenção da vida na terra depende da consciência de se proteger as árvores e, conseqüentemente, a natureza como um todo.

No Brasil, setembro é o mês do verde. Nesta terra tropical dotada de espécies de árvores brasileiras, comemora-se no dia 21 mais um Dia da Árvore. A data é celebrada na chegada da primavera. Isso porque os povos indígenas costumavam homenagear as árvores na época das chuvas ou quando preparavam a terra para plantar. Portanto, nada melhor do que homenagear as árvores no início desse lindo período de primavera que vem pela frente.

Em Itu e região, alguns movimentos e eventos são organizados para comemorar a data. É o caso da Primavera dos Museus, um evento que traz para Itu dois documentários de extrema importância para reflexão e mudança de atitude: “Mudança de Clima, Mudança de Vidas” e “Uma verdade inconveniente”. As escolas municipais, estaduais e particulares também estão plantando árvores. Também no dia 21, será empossado em Itu o Conselho do Meio Ambiente (COMDEMA).

Em Indaiatuba, 700 mudas de espécies nativas serão plantadas em homenagem ao Dia da Árvore.

Em Tatuí, na semana de 18 a 23 de setembro, ocorre a 2ª Semana Municipal de Arborização Urbana, que prevê a realização de palestras, cursos, “cãominhada”, caminhada ecológica e plantio de árvores.

Em Porto Feliz, a prefeitura lançará o Plano Diretor de Arborização Urbana, que prevê o plantio de árvores de forma planejada.

Nessas datas comemorativas, muitos se perguntam: o que eu posso fazer?

Há muitos caminhos. Um deles é apenas parar e reparar. Não passe em branco pelas árvores à sua volta. Sinta, ouça, cheire, honre. Se você celebra a existência das árvores, isso já é um grande passo. Para incentivar a sua jornada, preparamos uma galeria de fotos para você. Clique aqui e veja muitas árvores de Itu, cada uma com a sua beleza e personalidade.

O importante é não ficar parado e se engajar, seja na sua comunidade, na sua cidade, ou além das fronteiras físicas do seu cotidiano. Para ampliar as possibilidades, nossa equipe selecionou uma lista de sites que podem informar, formar e unir esforços. Dê o seu click!

E se quiser colocar realmente a “mão na terra”, aí vai uma sugestão da educadora ambiental, Patricia Otero: Observe as árvores pelo seu caminho. Tem algum Ipê? Nessa época eles estão espalhando milhares de sementes por todos os cantos de Itu. Colete as sementes que estão no chão e prepare num pequeno recipiente (mini vaso) enchendo-o com partes iguais de terra de jardim, composto orgânico e areia. Coloque a semente e cubra com uma camada de terra fina. Molhe frequentemente, usando um borrifador. Mantenha em local bem iluminado, mas sem a luz do sol direta. Quando a muda estiver com 10 cm, já poderá ser transplantada para o local definitivo.

Cultive esta semente e Feliz Dia da Árvore!

Fonte: [ Itu.com.br ]

Entre na onda. Vista verde nesta sexta-feira

Flavio Moraes

Cuidar de árvores é uma das boas atitudes que a população pode fazer no Mutirão Verde

Plantar uma árvore, exigir maior arborização das praças e organizar reuniões com os vizinhos em prol do meio ambiente. Vale tudo no Mutirão Verde, nesta sexta-feira (21/9), em que é comemorado o Dia da Árvore. A Secretaria de Estado do Meio Ambiente promoverá ações em várias cidades, mas o importante é a participação ativa do cidadão. Vista verde e tenha uma atitude diferente.

A proposta do Mutirão Verde é que a população adota algumas ações, como:

1 – Plante árvores, muitas árvores.

2 – Proteja e cuide das árvores plantadas.

3 – Ofereça carinho às plantas e não permita que quebrem suas folhas e flores.

4 – Denuncie o desmatamento.

5 – Organize reuniões em defesa do meio ambiente.

6 – Exija mais verde nas praças. Mais praças.

7 – Adote uma árvore.

8 – Cante uma canção, reze pela natureza.

9 – Cuide dos vasos de plantas para que não virem depósito de bitucas de cigarros.

10 – Vista verde. Ande verde.

Cerca de 1 milhão de crianças terão suas atividades voltadas para a conscientização sobre a importância de preservar o meio ambiente. Nas mil escolas participantes, haverá plantios, orientações, aulas, observações de filmes, mutirões de jardinagem, músicas.

No Centro o destaque é para o Mercado Municipal Paulistano, que se prepara para o “Mercadão Também É Verde”, que são os eventos: “Semana da Primavera”, de 21 a 30/9, das 8h às 17h, com o comércio de flores e plantas; “Dia do Verde”, no dia 22/9, das 8h às 17h, em que uma equipe de agrônomos e veterinárias ficará a disposição para esclarecimentos sobre o manejo e cuidado com mudas de árvores; “Feira Orgânica”, todos os sábados a partir de 22/9, das 8h30 às 13h, com 25 feirantes que venderão produtos orgânicos.

Outras informações e folheto de divulgação no site http://www.ambiente.sp.gov.br/mutiraoverde/

Fonte: [ Viva o centro ]

Emater/RS-Ascar e Embrapa implantam Quintais Orgânicos e distribuem mudas na região de Erechim

A Emater/RS-Ascar, por meio do Escritório Regional de Erechim, e a Embrapa Clima Temperado de Pelotas, a partir do Programa Quintais Orgânicos de Frutas, instalou na região cinco módulos do projeto Quintais/Pomares , sendo que cada módulo recebeu 65 mudas de frutíferas das variedades araçá, goiaba, pitanga, romã, uvaia, pêssego, laranja, caqui, entre outras. As mudas foram distribuídas em áreas indígenas de Nonoai, Planalto, Charrua, Erebango e Benjamim Constant.

O assistente técnico regional Luiz Antônio Busatta observa que esses módulos servirão de piloto para que, nos próximos anos, a Embrapa possa disponibilizar um número maior de mudas para a região. “Confiamos no programa e acreditamos que os indígenas possam incrementar a área de frutíferas”.

O objetivo do programa é melhorar a qualidade da alimentação e de vida das comunidades indígenas e assentados. Também foram distribuídos adubo fosfatado e potássio e mudas de acácia negra para utilização de quebra ventos.

Fonte: [ Emater ]

ALIMENTOS: Soya e Liza serão identificados como transgênicos

[img:transg_115.jpg,thumb,alinhar_esq_caixa]SÃO PAULO, 20 de setembro de 2007 – A Justiça de São Paulo determinou que as duas maiores fabricantes de óleo de soja do Brasil, a Bunge e a Cargill, rotulem seus produtos, os óleos Soya e Liza, respectivamente, como transgênicos. As empresas terão de se adequar ao decreto federal de rotulagem de 2003, que obriga a constar nos rótulos a imagem do triângulo amarelo com um T no meio e a informação de que o produto foi fabricado com matéria-prima transgênica, no caso, a soja.

A ação civil pública proposta pelo Ministério Público de São Paulo resultou de uma denúncia feita pelo Greenpeace em outubro de 2005, quando cerca de 20 ativistas da organização foram à Brasília entregar ao governo um dossiê que comprovava a utilização de soja transgênica na fabricação dos óleos Soya e Liza

De acordo com o decreto de rotulagem, todos os produtos fabricados com mais de 1% de organismos geneticamente modificados devem trazer essa informação no rótulo. Isso vale para produtos como o óleo, a maionese e a margarina, em que não é possível detectar o DNA transgênico. (Redação – InvestNews)

Fonte: [ Gazeta Mercantil ]