Os segredos da Vitória-régia

Vitória-régia, Victoria amazônica, folha jovem e floração


A Vitória-régia, Victoria amazonica, é uma planta aquática típica dos rios da Amazônia. As folhas verde-brilhantes, de formato circular chegam a 2 metros de diâmetro, com bordas laterais que formam uma espécie de bandeja rasa. Segundo a lenda conseguem suportar o peso de uma criança pequena ou de um jacaré bebê sem afundar na água. As flores em formato de rosácea têm ~ 30 centímetros de diâmetro, se abrem a noite e tem perfume adocicado. No primeiro dia da floração são brancas e no segundo dia, o da polinização, se tornam róseas.

Como uma folha que chega a ter 2 metros de diâmetro bóia na água e suporta o peso de uma criança pequena, um bebê ou um jacaré bebê sem afundar?

A superfície fina é um exemplo “natural” de engenharia, e segue os princípios da Constructal Theory, estruturada ou arquitetonicamente projetada como os sistemas naturais, bacias hidrográficas e as árvores. As nervuras salientes na parte inferior da folha são como vigas estruturando a superfície vegetal.

Vitória-régia, Victoria amazônica, reverso da folha e espinhos


detalhe


“ No interior da folha existem células em forma de estrela (esclereide) que ligam a parte inferior à superior e permitem que os tecidos cheios de ar (aerênquima) impeçam que a folha afunde. Funcionam como orifícios em um isopor facilitando a “circulação do ar” por dentro dos tecidos. Apesar de aquática a Victoria amazônica, evita que a água fique acumulada sobre a superfície da folha, por isto possui mais de 11 canais por cm², canais auxiliares no escoamento da água residual da chuva. A folha é também cercada por bordas laterais (de 2 a 12 cm de altura) que impedem o refluxo da água do lago para a folha, e para escoar a água que pode se acumular existem duas fendas laterais e uma espécie de canaleta central.

A planta é armada em todos os pontos menos a superfície superior da folha com espinhos; estes funcionam como proteção da raiz (em formato de bulbos ou batatas fixos no fundo do lago ou rio) e ligados ao pecíolo, que tem o papel de transportar o alimento até a folha. O comprimento varia de três a oito metros, conforme o nível das águas. “O pecíolo é flexível. Ele impede que a folha se separe da raiz durante uma tempestade. É como se dentro dele existisse um elástico”.

Tudo da planta é aproveitado, semente e rizoma são comestíveis, ricos em ferro e amido. E a folha é utilizada por grupos indígenas como laxante, e tem propriedades cicatrizantes. “Os índios a utilizam também para dar brilho e tingir o cabelo”.

Tentando responder aos comentários da postagem anterior cheguei ao fantástico post sobre a Vitoria-régia do blog Ambiente acreano: Desvendando os segredos da Vitoria Régia comenta a tese: “Aspecto do Desenvolvimento Foliar, Morfologia da Flor, Fruto, Semente, Plântula e Germinação da Victoria amazônica”, elaborada pela pesquisadora Sônia Maciel da Rosa Osman, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), cujos trechos são citados aqui.

Este post tem interesse educativo, e divulgar esta belíssima planta aquática brasileira da região amazônica. Agradecemos as belas imagens esclarecedoras de Kit Knots do web site: Victoria, imagens disponibilizadas para fins educativos – o site relata pesquisa de anos para desvendar estes segredos.

>>>

flor da Vitória-régia na primeira noite


flor da Vitória-régia na segunda noite


fonte: [ Arboretto ]

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em Fotos, Meio Ambiente

7 Respostas para “Os segredos da Vitória-régia

  1. amanda

    gostei demais disso

    Curtir

  2. Ivana

    Gostaria de uma ajudinha de quem entende do assunto! Estou trabalhando com meus alunos as plantas aquáticas e gostaria de mais informações sobre estas espécies já que a linguagem das explicações é bastante científica para eu adaptá-la. São crianças de 8 anos. Obrigada

    Curtir

  3. Não encontrei Informações de como Plantar as sementes de Vitória Régia.
    Aguardo resposta.Obrigado.

    Curtir

  4. Antenor

    A vitória régia funcionaria como uma terapia para depressão?

    Curtir

  5. joao ribeiro rabiço

    gostaria de adquirir algumas sementes viaveis da planta victoria regia para cultivo no lago da escola onde estudei o ifmg – instituto federal de educação de minas geraes !
    más nunca consegui as sementes e todos dizem que o clima sera desfavoravel !

    Curtir

  6. São magnificas as flores das imagens postadas. Eu não sabia que mudava de cor com o passar do tempo. Realmente faz jus ao nome de realeza. Parabéns pelo artigo.

    Curtir

  7. Vandorli Dantas de Lima

    Pesquise a batata da vitória régia que ela é medicinal

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s