Arquivo do mês: abril 2009

Pimentão lidera uso irregular de agrotóxico, diz estudo

Por AE

[img:agrotoxico.JPG,full,alinhar_esq_caixa]São Paulo – O pimentão foi o alimento que apresentou o maior índice de agrotóxico entre as 17 variedades de produtos analisadas no ano passado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De 101 pimentões coletados em supermercados para o exame toxicológico, 65 (64,36%) continham agrotóxicos em quantidade muito superior ao que é permitido – um miligrama por quilo, verificado no período de 14 dias entre a aplicação e o consumo. Esse é o padrão internacional adotado também pelo Brasil.

Também chamou a atenção da Anvisa o uso de agrotóxicos não permitidos em todas as culturas analisadas. Ingredientes ativos banidos nos países desenvolvidos – como o acefato, o metamidofós e o endossulfam – foram encontrados de forma irregular em produtos como abacaxi, alface, arroz, batata, cebola, cenoura, laranja, mamão, morango, pimentão, repolho, tomate e uva. “Desde 2008, o Brasil é o país que mais consome agrotóxico no mundo”, afirmou o gerente de toxicologia da Anvisa, José Agenor.

Somados todos os exames, o uso irregular de agrotóxicos corresponde a 15,28% dos alimentos analisados. Depois do pimentão, os campeões [???] em agrotóxico são o morango (36%), a uva (32,67%) e a cenoura (30,39%). A Anvisa analisou no ano passado 1.773 amostras de 17 alimentos. Desde 2001 é feito o monitoramento – mas, no início, poucos Estados participavam. Eram coletados apenas 9 tipos de produto. No ano passado, o controle passou a ser feito em todo o País, agora com 17.

As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

Fonte: [ Yahoo Notícias ]

>>>

Nota do editor: campeões? Na boa? Que me desculpem a expressão, mas quem foi o f**** da p*** que escreveu tamanha barbaridade?

Onde que já se viu dizer que alimentos contaminados com agrotóxicos podem ser campeões em alguma coisa? Não existe mérito nenhum em assassinar e provocar inúmeras doenças, contaminar lençóies freáticos, acabar com a biodiversidade…

Pior é a declaração do atual Ministro da Saúde, José Gomes Temporão:


— Eu mesmo já cortei (esses alimentos). Agora, vai do critério de cada um. E a dica é esta: use produtos da época. Também é importante lavar bem as frutas, verduras e legumes antes do consumo

É mole? Vai do critério de cada um envenenar-se ou não com frutas, verduras e legumes, porque se depender do Ministério da Saúde, o BraZil vai continuar a ser o maior importador (e utilizador) de agrotóxicos do mundo!

[img:0910660.jpg,resized,centralizado]

Olhem então que interessante este trecho do relatório:


O trabalho de reavaliação em 2008 foi marcado por longa batalha judicial contra liminares favoráveis às empresas, impeditivas da reavaliação.

Ao final desse ano, a Anvisa derrubou as liminares e manteve o direito de dar continuidade ao seu trabalho. Estão previstas para o ano de 2009 as reavaliações dos seguintes ingredientes ativos: glifosato, abamectina, lactofem, triclorfom, parationa metílica, metamidofós, fosmete, carbofurano, forato, endossulfam, paraquate e tiram (RDC Nº 10 de 22/02/2008).

A cihexatina foi reavaliada em 2008. No entanto em função de uma decisão judicial, a decisão final não pôde ser publicada, sendo que a ANVISA conseguiu revogação da liminar em 17/02/2009.

O acefato também foi reavaliado em 2008, mas uma das empresas detentoras do registro impetrou mandato de segurança e o desfecho da ação foi a manutenção da segurança em favor da empresa.
” (Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos – PARA, 2008 – pág 2)

É brincadeira ?

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos

Alemanha suspende cultivo de milho transgênico da Monsanto

Seth Perlman/AP
[img:0908644.jpg,full,esquerda]
[Trator em plantação de milho nos EUA; Alemanha proíbe cultivo de milho geneticamente modificado, a fim de preservação ambiental]

da France Presse, em Berlim

A Alemanha anunciou, nesta terça-feira (14), que suspenderá o cultivo de milho geneticamente modificado da gigante norte-americana Monsanto (o MON810), passando a ser o sexto país europeu a aplicar a medida, apesar da posição contrária da Comissão Europeia.

A ministra alemã da Agricultura, Ilse Aigner, explicou que as autoridades adotaram a decisão pela possibilidade de que o cultivo geneticamente modificado represente riscos para o ambiente.

O MON810 é o único Organismo Geneticamente Modificado (OGM) cultivado na União Europeia (UE). Foi homologado em 1998 por um período de 10 anos e a renovação está sendo avaliada.

Somente uma decisão da Comissão Europeia (executivo da UE), apoiada por uma maioria qualificada dos 27 Estados da UE, poderia anular a decisão alemã.

Os ministros do Meio Ambiente vetaram em março uma proposta da Comissão que pretendia obrigar Áustria e Hungria a recuar na proibição da variedade MON810.

França, Grécia e Luxemburgo também vetaram o cultivo deste OGM.

Fonte: [ FOLHA Online ]

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Transgênicos

Como funciona a biopirataria

[img:biopirataria_1a.jpg,full,centralizado]

Introdução

O conceito de biopirataria foi lançado em 1992, com a assinatura da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), da Organização das Nações Unidas. Neste tratado, que circulou pela Rio-92, foi estabelecido que os países têm soberania sobre a biodiversidade de seus territórios.

A palavra se popularizou e espalhou-se como uma mensagem de alerta sobre os perigos que passam o conhecimento tradicional das comunidades dos que vivem em áreas de rica biodiversidade e os recursos biológicos apropriados indevidamente e patenteados por empresas multinacionais e instituições cientificas. Tais comunidades, que geraram estes conhecimentos sobre o uso da biodiversidade ao longo dos séculos, são lesadas pela biopirataria porque não participam dos lucros produzidos com seus conhecimentos pelas multinacionais.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Biopirataria

Espinafre prejudica a absorção de ferro

[img:Espinafre_Nova_Zelandia.jpg,full,centralizado]

RACHEL BOTELHO
da Folha de S.Paulo

Graças ao marinheiro Popeye, personagem que recorre a uma lata de espinafre quando precisa reunir forças para enfrentar o vilão Brutus, até as crianças pensam que a verdura é uma boa fonte de ferro. O que os pequenos e muitos adultos não sabem é que a disponibilidade desse mineral para o organismo é bastante limitada.

O ácido oxálico presente no espinafre forma sais insolúveis com o ferro e também com o cálcio, dificultando a absorção dos dois minerais“, afirma a nutricionista Lara Cunha, da USP (Universidade de São Paulo).

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos

Alimentos que não podem faltar

As três maiores carências nutricionais do mundo são ferro, vitamina A e iodo, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Confira se você está em dívida com seu organismo:

FERRO: aumenta o volume sanguíneo e transporta o oxigênio para todo o organismo. Quando falta provoca alterações no sistema nervoso e hematopoético (produtor de hemoglobina, que dá a cor vermelha ao sangue), levando à fraqueza. É encontrado na carne vermelha, frutos do mar e leguminosas.

VITAMINA A: é essencial para manter a integridade das células e do sistema imunológico. Quando falta prejudica a visão e a defesa do organismo. Está presente na cenoura, abóbora, espinafre, melão e batata-doce.

IODO: faz bem porque atua na fabricação dos hormônios da tireóide. Quando falta afeta o sistema nervoso e, durante a gestação, pode resultar em retardo mental do bebê. Encontrado no sal, frutos do mar e vegetais cultivados em solo rico no mineral.

Fonte: [ Clic RBS ]

>>>

Ferro pode ser encontrado em várias verduras de cor verde escuro, como agrião, alcachofra, bertalha (que também é rica em vitamina A), brócolis, feijão, guandu, lentilha…

É bom lembrar que para potencializar a absorção de ferro é necessário a presença de vitamina C. Já alimentos ricos em cálcio como leite e queijo dificultam a absorção do ferro.

Tanto o excesso como a deficiência de ferro podem causar problemas no organismo. O envenenamento por ferro é chamado de hemocromatose enquanto que a sua deficência é conhecida popularmente como anemia.

Difícil de ser encontrado em quantidde suficiente nas plantas, o Iodo é facilmente encontrado em algas.

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos

Votação da PEC do Cerrado URGENTE !!!

Precisamos da votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 115/1995) e transformar, em Patrimônio Nacional, o Cerrado e a Caatinga, a exemplo da Amazônia, da Mata Atlântica e do Pantanal.

Fonte: [ blog Arboretto ]

Deixe um comentário

Arquivado em Meio Ambiente, Vídeos

Aves do Paraíso

[img:pic_reginae_1.jpg,resized,centralizado]

Fascinantes Strelízias – Plantas que produzem um grande efeito ornamental nos jardins

Existe uma planta fascinante que recebe o nome popular de ave do paraíso ou estrelízia. Na verdade, existe mais de uma espécie. São plantas extremamente atraentes, assim chamadas pelo aspecto de suas flores de grande valor ornamental, principalmente a de flores alaranjadas, que se abrem dentro de uma espata em forma de barco, com antera e estigma azuis em forma de flecha. Estas flores, extremamente duradouras, assemelham-se à cabeça de uma ave do paraíso. São tão bonitas, que propiciam finíssimos arranjos florais.

A espécie de flor laranja (Strelitzia reginae) é herbácea perene e originária da África do Sul, com aproximadamente 1,20 m de altura, de folhas duras, grandes e ovaladas. É cultivada em jardins de regiões tropicais e subtropicais. O termo científico desta planta “reginae”, originário do latim, significa “reina” e foi dedicado a rainha Carlota de Mecklemburgo-Strelitz, esposa do rei Jorge III de Inglaterra, morta em 1818.

Cultivada a pleno sol, a Strelizia reginae pode ser utilizada isolada, em renques ou conjuntos, em canteiros com terra rica e umedecida. Além das flores, as folhas também chamam a atenção e valorizam os projetos paisagísticos.

Outra espécie, a Strelitzia augusta, possui flores brancas menos evidentes e tem porte maior. É uma árvore semi-lenhosa, também nativa da África do Sul. Suas folhas agrupadas em formato de leque a tornam muito decorativa para parques e jardins. Outra vantagem é o volume abundante da planta, com pouco volume do sistema radicular, o que permite o uso em canteiros pequenos próximos à muros altos ou piscinas, sem o risco de danificá-los. Esta planta prefere solos ricos em matéria orgânica e bem drenados, sol pleno e meia-sombra.

É bom lembrar que principalmente a primeira, a Strelizia reginae, pode ser utilizada com muito sucesso em jardins públicos, pois é planta de baixa manutenção e causa formidável impacto.

Nas fotos de hoje, podemos observar o uso destas espécies em diferentes situações. Em todas elas, fica evidente o grande efeito ornamental que as Strelízias produzem em nossos jardins.


Nancy Ferruzzi Thame é engenheira agrônoma, formada pela ESALQ – USP em 1982 e proprietária da empresa Estado de Sítio

Fonte: [ Gazeta de Piracicaba ]

Deixe um comentário

Arquivado em Flores

Prefeitura do Natal lança campanha “Adote o Verde”

[img:adoteoverdeweb2.jpg,resized,centralizado]

Olhem só que interessante…

Eles espalharam pela cidade 20 olhinhos em algumas árvores com um pequeno cartaz trazendo os dizeres: “Elas olham por você há anos. Olhe por elas agora”. A ação está gerando muita mídia espontânea nos principais veículos de comunicação de Natal.

[img:vivaverde_web_hot.jpg,resized,centralizado]

Um Hotsite (http://www.adoteoverde.com.br/) também foi criado para apresentar o projeto e traz informações úteis para quem deseja participar.

A ação foi inspirada numa intervenção urbana do artista Filthy Luker. Confira em: [ Fresh Stuff From Filthy Lucre ]

Fonte: [ comunicadores ]

Deixe um comentário

Arquivado em Árvores, Meio Ambiente

Cidade japonesa planta maconha para enfrentar crise

[img:1810425500.jpg,resized,centralizado]
[Plantação de cânhamo, uma variedade da Cannabis que não tem características alucinógenas]

Com a economia japonesa registrando um recuo de 12,7% entre outubro e dezembro, faz sentido que alguns projetos alternativos possam virar tendência na hora de enfrentar a crise. Na cidade de Kitami, na província de Hokaido, um empresário acredita que a maconha possa promover o crescimento econômico.

Hidetaro Funayama, 58 anos, representa um grupo que usa uma área para plantar cânhamo, planta que é da família da Cannabis, mas que não tem o efeito alucinógeno da maconha. A ideia é processar e industrializar o cânhamo para fazer papel, porta-CDs, óleo de cozinha e materiais de construção.

A plantação ocupa um terreno mais afastado do centro da cidade, que tem apenas 126 mil habitantes.

Funayama começou sua plantação em 2006, depois de visitar a Alemanha, um país mais tolerante em relação ao uso do cânhamo para uso industrial em 2003. Há projetos alemães que escolheram o cânhamo exatamente como material sustentável para decoração e interior de carros de luxo.

Desde que Funayama começou seu projeto, agora há pés de Cannabis crescendo ao longo da estrada. Alguns pés chegam a ter quatro metros de altura.

A prefeitura de Hokaido reconheceu a região como “especial” para o crescimento de cânhamo para uso industrial em agosto do ano passado, quando a subprefeitura de Kitami enviou um pedido explicando a situação.

Um porta-voz da prefeitura de Hokaido admite que é difícil incentivar a plantação, quando o uso de maconha vem crescendo em todo o país.

Mas Funayama e seu grupo estão confiantes. “Eu quero desafiar a má impressão que a produção de cânhamo tem em alguns lugares e fazer com que as pessoas parem de pensar apenas nas drogas”, disse.

O governo japonês proíbe a importação de pés de Cannabis, a menos que sejam tratadas para que não possam desenvolver o componente alucinógeno.

A sub-prefeitura de Tochigi, no leste do Japão, já desenvolveu até uma espécie própria chamada ‘‘Tochigi shiro’’ que produz cânhamo para fazer os cordões dos robes usados pelos monges em rituais da religião Xintoísta.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar já indiciou que não haveria problema se Hokaido, uma região mais conhecida pelo turismo, também criasse sua própria espécie.

Para o grupo liderado por Funayama, o objetivo é plantar mil hectares, o que daria um faturamento anual de um bilhão de ienes, o equivalente a R$ 25,4 milhões.

A sub-prefeitura de Kitami está pesquisando agora a possbilidade de usar o cânhamo para purificar o nitrogênio do solo, já que as raízes se aprofundam na terra e a planta cresce muito rápido.

Com as autoridades do lado de Kitami, o único problema mesmo é evitar o roubo de plantas por cidadãos incautos que acreditam ser aquela Cannabis “a boa”.

Fonte: [ Época Negócios ]

1 comentário

Arquivado em Cannabis, Cultivo

Agricultor japonês desenvolve morango que pode custar até US$ 500

[img:9851morangos.jpg,resized,centralizado]da BBC Brasil

Em plena crise econômica, Mikio Okuda, um pequeno agricultor japonês de Gifu Hashima, na província de Gifu, desenvolveu uma variedade de morango que pode custar de US$ 100 a US$ 500 cada.

O fruto foi apelidado pelo departamento agrícola da província de “morango gigante” – ele tem cerca de 8 centímetros de altura por 6,5 de largura. Além do tamanho, tem uma cor vermelha mais intensa, é cerca de 50% mais doce e três vezes mais pesado do que os morangos comuns.

“Consegui colher um fruto de 91 gramas, mas espero conseguir alguns de até 100 gramas no próximo ano”, disse Okuda à BBC Brasil. Em média, um morango grande encontrado no supermercado pesa cerca de 28 gramas.

Esta foi a primeira colheita da variedade, batizada pelo produtor de “bijinhime”, ou algo como “bela princesa”.

“Quem come esse morango se sente como uma princesa: linda e especial”, brinca o japonês.
No entanto, os morangos gigantes ainda não estão à venda. “Vamos começar só no ano que vem e será somente pela internet”, explica.

A colheita deste ano foi toda usada para fazer publicidade. A estratégia deu certo e a façanha do agricultor ganhou as páginas dos principais jornais japoneses e foi tema de vários programas de tevê no Japão.

O público alvo dele são celebridades, artistas ou simplesmente quem tem dinheiro. “Quem sabe alguém do Brasil não se interesse. Podemos despachar por avião”, sugere o produtor.

O agricultor espera colher até 500 caixas da nova variedade. O pacote deverá vir com, no máximo, cinco unidades de 80 gramas cada.

“Se os morangos forem muito grandes, acima de 90 gramas, vamos colocar somente um na caixa”, detalhou o japonês.

No Japão, frutas com preços equivalentes ao de uma jóia são comuns. Há lojas especializadas na venda destas preciosidades. Ali, um melão sai por cerca de US$ 300 e uma manga é vendida por US$ 160.

Anos de estudo

Okuda cultiva morangos há mais de três décadas. Dez anos atrás começou a estudar o desenvolvimento de uma variedade que fosse bem maior do que os existentes e também mais doce.

O segredo ele não conta. Mas o agricultor explica que basicamente enriqueceu a terra e controla a temperatura das estufas.

“Além disso, na primeira florada deixei apenas algumas flores, para que elas absorvessem o máximo de nutrientes”, explica.

Um pé de morango comum produz cerca de 50 morangos por temporada. Já a variedade bijinhime dá apenas 20 frutos.

Fonte: [ Folha Online ]

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Cultivo