IMPRENSA CÚMPLICE – A ameaça dos transgênicos

Por Luciano Martins Costa em 11/5/2009
Comentário para o programa radiofônico do OI, 11/5/2009

Rótulo de um produto transgênico

O tema agricultura frequentou a imprensa no final de semana e volta na segunda-feira (11/5) em reportagem da Folha de S.Paulo.

O agronegócio já é responsável por mais de 44% da pauta de exportações brasileira, informa neste início de semana a Gazeta Mercantil, mas a grande história do campo ainda não sensibilizou a imprensa como deveria.

Trata-se da ameaça das sementes transgênicas.

A Folha de S.Paulo escolheu o assunto para manchete no domingo (10), noticiando que o Brasil não tem controle sobre a expansão do milho transgênico. Ainda no domingo, o Estado de S.Paulo afirmava que o agronegócio brasileiro se recupera e pode ter um desempenho equivalente ao de 2008, por causa da alta recente dos preços internacionais dos produtos agrícolas.

Na segunda (11), a Folha volta ao assunto, anotando que o Instituto de Defesa do Consumidor e outras entidades de direitos civis estão cobrando do governo medidas imediatas de garantia para as informações sobre a presença de organismos geneticamente modificados em alimentos ou ingredientes alimentares.

O fato é que ninguém ainda fez a conexão entre o crescimento das exportações brasileiras de alimentos e a incapacidade do setor de assegurar as características de seus produtos.

Partícipe do crime

No Brasil e em outros países do mundo, as indústrias de alimentos são obrigadas a colocar nas embalagens de seus produtos o símbolo que identifica a presença de organismos geneticamente modificados. Isso por causa dos riscos que podem representar para a saúde das pessoas. Mas a expansão indiscriminada de sementes transgênicas, principalmente de soja e milho, já impossibilita esse controle.

A imprensa ainda não viu esse problema como o risco que representa para a economia brasileira.

Há pouco mais de dez anos, quando os movimentos ambientalistas começaram a questionar a manipulação genética de sementes, a imprensa, em sua maior parte, tomou a defesa da indústria química. De nada adiantaram os avisos de cientistas, dizendo que seria impossível impedir a contaminação das lavouras tradicionais e a constatação de que apenas duas ou três grandes multinacionais sairiam ganhando com a produção de transgênicos.

Agora que os alertas dos ambientalistas se tornam uma realidade concreta e assustadora, os jornais fingem que o problema é a falta de fiscalização do governo. Neste caso, a imprensa é mais do que cúmplice. É coautora do crime.

Fonte: [ Observatório da Imprensa ]

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Meio Ambiente, Transgênicos

2 Respostas para “IMPRENSA CÚMPLICE – A ameaça dos transgênicos

  1. Finalmente o Observatório tocou num ponto crucial: a imprensa está sendo conivente com este crise contra a saúde pública.

    Há mais de 7 anos que venho pesquisando sobre este assunto, pois coordeno um grupo de estudos sobre meio ambiente, o Jornal SOS Verde.

    Existe uma relação direta dos transgênicos com morte alarmante de abelhas, aparecimento de doenças relacionadas, polinização cruzada, venda casada (sementes + agrotóxicos), contaminação de lavouras pelo vento, royalties pagos por quem teve a plantação contaminada, consumidores sendo feitos de cobaias, aumento de 50x do limite máximo de Glifosato pela ANVISA etc…

    Mas a imprensa é, infelizmente, comprada pelos anúncios pagos e o Governo tem entre seus quadros técnicos, funcionários das empresas de transgênicos.

    Em resumo: não há saída.

    Curtir

  2. Finalmente o Observatório tocou num ponto crucial: a imprensa está sendo conivente com este crise contra a saúde pública.

    Há mais de 7 anos que venho pesquisando sobre este assunto, pois coordeno um grupo de estudos sobre meio ambiente, o Jornal SOS Verde.

    Existe uma relação direta dos transgênicos com morte alarmante de abelhas, aparecimento de doenças relacionadas, polinização cruzada, venda casada (sementes + agrotóxicos), contaminação de lavouras pelo vento, royalties pagos por quem teve a plantação contaminada, consumidores sendo feitos de cobaias, aumento de 50x do limite máximo de Glifosato pela ANVISA etc…

    Mas a imprensa é, infelizmente, comprada pelos anúncios pagos e o Governo tem entre seus quadros técnicos, funcionários das empresas de transgênicos.

    Em resumo: não há saída.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s