Superervas resistem à herbicida de soja transgênica

[img:amaranto.jpg,thumb,alinhar_esq_caixa]Muitos agricultores nos EUA estão tendo que rever novamente seus conceitos com relação ao plantio de soja. A causa é, justamente, um produto que havia chegado para ser a solução do problema.

A soja transgênica Roundup Ready, “turbinada” com um elemento herbicida chamado glifosato e que fora anunciada como imune às ervas daninhas, acabou gerando uma supererva resistente ao veneno.

Em 2004, agricultores com plantações próximas à Atlanta, na Georgia (EUA), começaram a notar que, embora com suas lavouras semeadas com Roundup Ready, alguns brotos de amaranto, mais fortes que o normal, começaram a se reproduzir em meio à soja. Desde então, o fenômeno tem se espalhado por outras regiões, como nos estados de Arkansas, Tennessee, Missouri e nas duas Carolinas.

Segundo um grupo de cientistas do Centro para a Ecologia e Hidrologia, organização britânica situada em Winfrith, Dorset, o problema aconteceu devido a uma transferência de genes entre a planta modificada geneticamente e algumas ervas indesejáveis como o amaranto. Essa constatação contradiz afirmações anteriores de que uma hibridização entre uma planta modificada geneticamente e uma não modificada seria simplesmente “impossível”.

Para o geneticista britânico Brian Johnson, especializado em problemas relacionados com a agricultura, “basta que aconteça somente um cruzamento, que pode ocorrer entre várias milhões de possibilidades. Uma vez criada, a nova planta possui uma enorme vantagem seletiva e se multiplica rapidamente. O potente herbicida aqui utilizado, à base de glifosato e amônia, tem exercido uma pressão enorme sobre as plantas, que por sua vez aumentaram ainda mais a velocidade de adaptação”. Dessa forma, um gene que adquiriu resistência ao veneno deu origem a uma nova espécie de planta, muito mais forte e difícil de eliminar, o que tem acarretado prejuízos aos agricultores, que são obrigados a abandonar as plantações ou usar pesticidas mais fortes e mais caros (como o paraquat).

Outras plantas que desenvolveram resistência ao herbicida da semente Roundup são a Lolium rigidum (na Austrália), o capim-pé-de-galinha (na Malásia), a erva-de-cavalo (nos EUS), o Lolium multiflorum (no Chile) e o dente-de-leão (na África do Sul).

Planta sagrada

O amaranto, que simboliza a resposta da natureza às ações do homem no campo da manipulação genética, era considerada uma planta sagrada na cultura inca. Sua grande carga proteica e larga capacidade de reprodução chamaram a atenção de pesquisadores do mudo todo. O grão de amaranto possui cerca de 15% de proteína (valor superior ao do trigo e do milho), cuja qualidade biológica pode ser comparada à do leite, já que é rico em lisina, um aminoácido essencial. Também apresenta alto teor de fibras em comparação a outros cereais como o trigo, o milho e a aveia. Em relação às gorduras, o amaranto possui alta porcentagem de ácidos graxos insaturados, considerados essenciais.

O amaranto pode ainda ser utilizado como fonte de zinco, fósforo e cálcio, elemento pouco encontrado em vegetais. Pesquisas recentes também têm mostrado que o amaranto é capaz de reduzir os níveis de colesterol em animais de laboratório.

Fonte: [ Agora – RS ]

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Transgênicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s