Mobilização popular pela defesa do Código Florestal

As nossas florestas estão em perigo! Deputados ruralistas querem destruir o Código Florestal Brasileiro, liberando o desmatamento de áreas protegidas por lei, especialmente na Amazônia.

Nesta terça-feira dia 1 de junho nossas florestas irão sofrer um ataque perigoso – deputados da “bancada ruralista” estão tentando destruir o nosso Código Florestal, buscando reduzir dramaticamente as áreas protegidas, incentivando o desmatamento e crimes ambientais.

Desde a criação do mais moderno e perfeito codigo florestal conhecido mundialmente, a Lei 4771/1965 – as secretarias da Agricultura de todos os estados Brasileiros, não o respeitaram permitindo a implantação de canaviais, pastagens, lavouras de soja, milho, plantio de Pinus e eucaliptos até as margens de rios, destruindo corredores de fauna, matando e assoreando os rios, não respeitaram os percentuais da reserva Legal de 20% para todos os imóveis rurais, não averbaram essas reservas nos respectivos registros de imoveis, não respeitaram as areas de preservação permanente que são os topos de morros, encostas ingremes, corregos, fontes, tudo sendo destruido com a complascencia das agencias bancarias oficiais – BANCO DO BRASIL e BNDEs, BRDE, entre outros que nunca respeitaram a Lei.

Com a concretização de todos esses crimes ambientais agora com a Lei 9.605/98 estabelecendo penalidades vinculadas a Lei 4771/65, todos os criminosos ambientais foram identificados pela Justiça, Policias ambientais e florestais, pelo Ministerio Publico estadual e Federal, STF, entre outras instâncias que acabaram fazendo o cerco que tem data marcada para acionar os criminosos.

Entre os criminosos estão as secretarias da Agricultura de todos os estados da Federação, os grileiros de terras indígenas e terras do Contribuinte, os Bancos oficiais e privados, as agências de desenvolvimento a qualquer custo ambiental, as agencias de licenciamento ambiental de todos os estados, empresas de consultoria publicas e privadas e milhares de contraventores que causaram danos ao ambiente natural, todos identificados por esses dois diplomas legais e constitucionais – LEI 4771/65 e LEI 9.605/98.

O ministerio publico federal e dos Estados, tem a obrigação constitucional de fazer cumprir a lei e os prazos foram estipulados e mais uma vez prorrogados, dando-se tempo para que os criminosos ambientais apresentassem seus projetos de recuperação ambiental e compensação florestal nativa.

O patrimonio natural destruído por essa gigantesca legião de infratores funcionarios publicos e partidos politicos encastelados no poder em todos os segmentos do executivo, sempre protegidos pela corporativa impunidade e parceria entre o criminoso destruidor e o poder publico complascente e corrupto, fazia parte do acervo natural do povo brasileiro incluindo as gerações futuras, tudo protegido pela lei federal 4771/65 – Codigo florestal brasileiro.

Com o pavor e a certeza de serem FINALMENTE PEGOS PELA JUSTIÇA, governantes estaduais cumplices com partidos politicos, invasores de terras indigenas, mineradores, garimpeiros, madeireiros dos estados do Sul que invadiram terras da Amazonia que chegaram até as Guianas e limites com a Venezuela, Colombia, etc. bancos oficiais e privados, plantadores de soja, usineiros sucro-alcooleiros, invasores de terras publicas, empresas loteadoras, entre outros, estão se reunindo em Brasilia para desfecharem mais um golpe contra os recursos naturais que foram usurpados e com lucros privatizados.

AGORA QUE ESTA CHEGANDO A HORA DO AJUSTE FINAL, a nação estarrecida – mais uma vez – se ve diante duma gigantesca manobra de forças canibais e perversas, em ano eleitoral infelizmente, quando tudo acontece de ruim contra o povo brasileiro – sempre penalizado em tudo com a discussão de um CODIGO FLORESTAL OU LEI AMBIENTAL NOVA, que possa perdorar toda essa gigantesca caterva de pilantras que sempre souberam a existencia da LEI 4771/65.

Todavia essa situação não quer dizer que todos os proprietarios rurais foram coniventes e infratores da Lei 4771/65. Não. Milhões de brasileiros proprietarios rurais, milhares de empresas de consultoria rural e florestal fizeram o certo, atenderam eticamente os principios legais e recomendaram aos seus clientes que seguissem fielmente a lei, que um dia, caso não o fizessem, seriam penalizados.

Esses que fizeram tudo dentro da Lei não poderão ser penalizados agora, por que a bandidagem e os safados que não cumpriram com a LEI 4771/65, não a atenderam.

Portanto, do lado dos brasileiros éticos, as ONGs representando as gerações futuras, os proprietarios rurais honestos, e milhões de outros cidadãos dessa Nação espoliada pelo capital internacional, fizeram o correto, cumpriram a legislação e lutam agora para a manutenção da LEI 4771.

O que é mais GRAVE e revoltante, é que os responsáveis por revisar essa importante lei são justamente os ruralistas representantes do grande agronegócio que nunca respeitaram a Lei.

São as raposas politicas partidárias cuidando dos currais e dos galinheiros mansos e conformados como sempre!

Há um eminente risco da Câmara dos Deputados dos mensalões, aprovar a indecorosa e vampira proposta ruralista. Nessa Câmara Federal corrupta e dinheirosta, existem também deputados que defendem o Código Florestal Lei 4771 e muitos outros estão indecisos por que não conseguiram entender o que está por trás desse jogo sujo que se deseja enfiar goela abaixo do povo brasileiro.

Está acontecendo uma mobilização popular contra tentativas de alterar o Código, movimento que pode ganhar o apoio dos indecisos. É chegado o momento, mais uma vez, da democracia, da cidadania se sobrepor aos corruptos e aos criminosos ambientais costumeiros e mostrar que nós brasileiros estamos comprometidos com a proteção ambiental. Vocâ pode fazer muito para salvar o que restou de nossas florestas e fazer com que os criminosos ambientais recuperem o que destruiram.

Enquanto o mundo todo defende a proteção do meio ambiente, um grupo de deputados está fazendo exatamente o contrário: entregando de mão beijada as nossas florestas para os maiores responsáveis pelo desmatamento do Cerrado e da Amazônia. Eles querem simplesmente garantir a expansão dos latifúndios, quando na verdade uma revisão do Código deveria fortalecer as proteções ao meio ambiente e apoiar pequenos produtores.

As propostas absurdas incluem:

  • Reduzir a Reserva Legal na Amazônia de 80% para 50%
  • Reduzir as Áreas de Preservação Permanente como margens de rios e lagoas, encostas e topos de morro:
  • Anistia aos crimes ambientais, sem exigir o reflorestamento da área
  • Transferir a legislação ambiental para o nível estatal, removendo o controle federal
Essa não é uma escolha entre ambientalismo e desenvolvimento econômico. Um estudo recente mostra que o Brasil ainda tem 100 milhões de hectares de terra disponíveis para a agricultura, sem ter que desmatar um único hectare da Amazônia.
O código florestal brasileiro é uma peça jurídica perfeita que sempre causou inveja a outras nações que perderam suas florestas.
A proteção das floretas e comunidades rurais dependem do Código Florestal, assim como a prevenção das mudanças climáticas e a luta contra a desigualdade do campo.

Fonte: [ AVAAZ ]

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Árvores, Biopirataria, Controle biológico, Cultivo, Fitoterápicos, Flores, Meio Ambiente, Mudas, Pragas, Sementes, Votação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s