Plantas medicinais são alternativa para agricultura familiar

Da Redação

Técnicas de cultivo e uso de plantas medicinais foram temas de um dos dez minicursos destinados à produção familiar durante a Frutal Amazônia e Flor Pará 2010, que acontecem no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, em Belém. O curso, que teve duração de 12 horas, foi encerrado neste sábado (26) com uma visita de campo às instalações do Horto Medicinal da Embrapa Amazônia Oriental-Pa.

No local, produtores de diversos municípios paraenses puderam ver de perto algumas das principais espécies de plantas com propriedades medicinais conhecidas, boa parte delas de naturais da região amazônica.

Doutor em Biotecnologia de Plantas Medicinais e pesquisador da Embrapa, Osmar Alves Lameira ensinou aos agricultores como proceder desde o plantio até a retirada correta de cascas, folhas, flores e sementes e madeira sem prejudicar as plantas.

No Horto Medicinal da instituição, são cultivadas 265 espécies para pesquisa. Espécies como a quina, cujo chá é usado no controle da malária e que é eficaz também como inseticida e como conservante alimentar, tendo grande aceitação no mercado internacional; o jaborandi, encontrado na Serra do Carajás, usado para combater o glaucoma e, segundo o pesquisador, também valorizada no mercado; ou a ipeca, indicada para o tratamento de diarréia e um bom negócio para a agricultura familiar: “Não dá trabalho por não ser uma planta exigente – só precisa de matéria orgânica e sombra”, garante o instrutor do mini-curso.

Sobre a oportunidade dada aos pequenos produtores rurais de aprender sobre o assunto, o pesquisador diz que “é uma alternativa excelente porque há uma demanda muito grande por plantas medicinais, que são mais acessíveis à população do que a medicina tradicional e possuem menos efeitos colaterais que os remédios sintéticos. A Organização Mundial de Saúde hoje recomenda que os países em desenvolvimento usem mais as plantas medicinais. E a sabedoria popular tem que ser valorizada”.

O produtor de mandioca e grãos Leôncio Peniche Ribeiro veio do município de Irituia para r do Frutal pensando em diversificar a produção. Inscreveu-se no curso e gostou do que aprendeu: “Achei muito bacana e já estou levando sementes de ipeca para fazer mudas. Lá onde eu vivo a gente conhece pouco sobre isso. Agora quero fazer meu sítio e investir em plantas medicinais”, revela.

O curso abordou, ainda, o pariri, usado contra a anemia, e os mais conhecidos andiroba e noni, rico em cálcio e fósforo e cujo suco é indicado para o tratamento de reumatismo e outros males. Outro destaque foi o ajiru, encontrado em abundância em praias de Marudá e Salinas. Segundo o pesquisador, moradores destas e de outras regiões do Pará utilizam o chá das folhas desta planta contra a diabetes, e pesquisas científicas já começam a comprovar sua eficácia no controle da taxa de açúcar no sangue. “Tudo indica que pode ser uma boa alternativa contra a doença”, disse, alertando para o aparecimento da diabetes cada vez mais cedo nas pessoas, devido ao alto consumo de açúcar.

A produtora Maria de Nazaré Cordeiro Souza, de Mãe do Rio, pretende usar o que aprendeu durante o curso para beneficiar outras pessoas de seu município. Ela trabalha na Secretaria da Mulher do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Mãe do Rio, que oferece oficinas e cursos para ajudar na renda de mulheres. “A gente aprende aqui na capital e leva para elas”, conta. A experiência, para a agricultora, foi muito positiva: “É interessante porque aprendemos não só a plantar, mas também como fazer o chá, que parte da planta retirar e de que maneira. Tudo isso é importante”.

A Frutal e Flor Pará 2010 – uma realização da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), em parceria com o Instituto Frutal – e segue até este domingo (27), no Hangar.

Jussara Kishi – Secom

Fonte: [ Agência Pará ]

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Cultivo, Mudas, Plantas Medicinais

Uma resposta para “Plantas medicinais são alternativa para agricultura familiar

  1. giuliano doria bitencourt

    a agricultura familiar não é mais respeitada porque são pessoas tidas como problea pra o país mas no futura sera a solução

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s