Canola transgênica se espalha na Natureza

Canola é um OGM (Organismo Geneticamente Modificado)

Vou transcrever dois textos sobre o assunto e ao final evidenciar minha opinião. Quero apenas mostrar que a mesma notícia pode ser manipulada para amenizar (ou alarmar sobre ) um problema.

Vejamos:

>>

Detectada nos EUA a maior contaminação de transgênicos

O mais provável é que tenham sido sementes que caíram de um caminhão, ainda que não se possa descartar que tenha sido uma simples polinização. O caso é que o campo de Dakota do Norte está repleto de canola transgênica, segundo acaba de descobrir uma equipe da Universidade do Arkansas.

Ao todo, 80% das plantas analisadas tinham genes introduzidos artificialmente. O tamanho da fuga “não tem precedentes”, disse Cynthia Sagers, ecóloga da Universidade que dirigiu o trabalho. Reportagem no El País.

Em 20 anos de cultivos transgênicos – sempre muito regulados – houve alguns casos desse tipo de contaminação no meio ambiente no Reino Unido, Japão e Canadá, mas sempre em pequena quantidade e normalmente próximo de portos ou estradas por onde passaram as sementes modificadas geneticamente. Mas esta é a primeira vez que isso acontece nos Estados Unidos (o principal produtor deste tipo de cultivos, com quase 50% da safra mundial), e sobretudo, de uma forma tão ampla.

A prova definitiva de que este tipo de fuga não é recente é que existem dois tipos de canola transgênica, uma da Monsanto resistente a um herbicida (glifosfato) e outra da Bayer resistente a outro (glufosinato). Mas, além disso, foram encontradas duas plantas com ambos os genes, o que indica que houve tempo para que as plantas dos dois tipos cruzassem.

Reações

A descoberta reabriu o debate entre os defensores e os críticos da tecnologia de transgênicos, que é muito criticada na Europa. Para os primeiros, o fato de que estas plantas tenham convivido com as naturais por bastante tempo no meio ambiente e não tenham sido detectadas por produzir algum tipo de efeito no entorno é uma prova de que são cultivos que não apresentam nenhum perigo.

Mas os ecologistas dizem que esta descoberta é uma mostra de que, por mais restrições que se coloquem, não há como evitar que um erro facilite a mistura desses cultivos com os naturais, e sua abundância mostra que elas têm vantagens ao competir com as plantas silvestres. Além disso, afirmam que a canola capaz de sobreviver a dois dos herbicidas mais conhecidos é um risco para outros cultivos.

Texto Ecodebate – Tradução: Eloise De Vylder.

Fonte: [ Vida Sustentável ]

>>>

Primeira população de plantas geneticamente modificadas encontrada na natureza

Franken-canola tem sido encontrada crescendo ao longo de estradas em Dakota do Norte, em um dos primeiros casos conhecidos de culturas geneticamente modificadas se estabelecendo na natureza. A descoberta mostra que as plantas geneticamente modificadas de canola podem sobreviver e prosperar na selva, talvez por décadas, de acordo com um estudo apresentado na reunião anual da Sociedade Ecológica dos Estados Unidos.

Pesquisadores viajaram ao longo de quase 5.000 quilômetros e pararam a cada oito quilômetros para pegar uma amostra de uma planta de canola. Dentre as 406 plantas coletadas, 80% delas apresentavam pelo menos um transgene. E em pelo menos duas plantas, as linhagens resistentes a herbicidas tiveram polinização cruzada, resultando em plantas resistentes a herbicidas conhecidos quimicamente como glifosato e glufosinato.

Isso não é tão surpreendente, pois a maioria das plantas de canola cultivadas em Dakota do Norte foi geneticamente modificada para resistir a herbicidas. O que foi surpreendente foi a prevalência das plantas; elas foram encontradas ao longo de estradas ocupadas, mas também no meio do nada.

Canola geneticamente modificada já havia sido encontrada crescendo em estado selvagem no Canadá, e um parente de canola foi encontrado no Japão.

Segundo especialistas, a conclusão não deve ser surpreendente nem preocupante. A canola é geralmente encontrada perto de estradas porque as sementes são pequenas e facilmente carregadas pelo vento. 90% da cultura de canola no Canadá e nos EUA é biotecnológica, portanto é razoável esperar que a canola na estrada apresente níveis semelhantes de plantas derivadas de biotecnologia.

Fonte: [ HypeScience ]

>>>

Resumindo: os que defendem o plantio de transgênicos acabam de receber a prova definitiva de que não conseguem controlar os plantios em campo aberto e que a contaminação EXISTE e É SEM CONTROLE !!!

E agora? O que fazer? Como deter o avanço da canola transgênica?

Como convencer essa cambada de criminosos (para não usar outro termo) a entenderem que não dá para manter sob controle suas experiências em campo aberto sem que a coisa saia do controle ???

Alguns dirão que os gens introduzidos sumirão após algumas gerações… Mas até lá, como impedir o avanço de uma planta invasora, geneticamente modificada para resistir a herbicidas ???

A solução é o que? Tacar fogo?

Bem… O fato é que a CANOLA, a planta frankstein, que na verdade é a colza (Brassica napus geneticamente modificada para ter baixos teores de ácido erúcico e resistir a herbicidas) possui pelo menos um problema evidente:

Estudos feitos e mencionados no Scottish Medical Journal (“Jornal médico da Escócia,” (em português)) indicam que plantações de colza induz sintomas adversos, alérgicos e respiratórios, em proporção significante em indivíduos que moram nas cidades e vilas aos redores das plantações e que ao contrário estariam saudáveis[13]

Os sintomas podem resultar da associação com o pólen, ou fungos, causando alergia, febre, conjuntivite e asma, em jovens e idosos, asmáticos e, naqueles com o sistema imune enfraquecido por causa de uma doença ou um medicamento.

O autor sugere que mais pesquisas devem continuar seguramente em plantações estabelecidas a mais do que cinco quilômetros de distância das áreas residenciais e ainda adverte que os riscos dependem do nível de aceitação da comunidade que confronta o problema

http://www.oilseedrape.org.uk/html/precautions.html

A merda está feita.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Herbicidas, Pragas, Transgênicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s