Arquivo do mês: outubro 2010

Plantas desempenham papel mais importante do que se pensava na limpeza da atmosfera

Por Natasha Romanzoti

Uma pesquisa recente afirma que a vegetação desempenha um papel maior do que o pensado na limpeza da atmosfera.

Graças a observações, estudos de expressão gênica e modelagem por computador, os pesquisadores puderam demonstrar que as plantas caducifólias absorvem cerca de um terço mais poluentes químicos atmosféricos de do que se pensava anteriormente.

Segundo os cientistas, as plantas ativamente consumem certos tipos de poluentes. A equipe focou em uma classe de substâncias químicas conhecidas como compostos orgânicos voláteis oxigenados, que podem ter um impacto a longo prazo sobre o ambiente e a saúde humana.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Parcerias e troca de links

Oi pessoal,

Estou iniciando hoje uma nova coluna, que já devia ter colocado faz tempo, mas infelizmente só pude agora acertar o lay-out do blog e arrumei tempo para listar todos os parceiros.

A lista PARCEIROS é para apresentar todos os projetos que, de alguma forma, divulgam o projeto Tudo Sobre Plantas. A idéia é divulgar para nossos visitantes os banners de parceiros do projeto, de tamanho máximo de 120×60 px e link para suas páginas na Internet.

Se você é nosso parceiro e divulga o projeto Tudo Sobre Plantas, envie para nós seu banner em GIF ou JPG, de tamanho máximo de 10kb. O banner deve er obrigatoriamente estático, ok?

Abraços!

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Edmond Albius

Edmond Albius colhendo vanila, em 1863, do album de Antoine Roussin.

Edmond Albius (Sainte-Suzanne, Reunião, 1829 – Sainte-Suzanne, 1880) foi um horticultor reuniense.

Escravo e órfão de nascença, foi recolhido por Féréol Bellier Beaumont que o iniciou na horticultura e botânica. Em 1841, com apenas doze anos, descobriu o método prático para a polinização da Baunilha (Vanila), um procedimento que revolucionou a cultura deste tempero permitindo que Reunião se tornasse, por um tempo, o primeiro produtor mundial, e o berço divulgador de um novo conhecimento técnico. A fecundação artificial da Vanila foi realizado originalmente por Charles Morren em 1836.

Por ser uma criança, negro e escravo, a paternidade da descoberta foi rapidamente impugnada. O autor do grande desenvolvimento inicial do atual Jardim do Estado de Saint-Denis, o botânico Jean Michel Claude Richard pretendeu alegar ter ensinado a técnica ao escravo três ou quatro anos antes. O jovem Edmond foi vigorosamente defendido por Ferréol Bellier Beaumont, pelo naturalista Volsy Focard e por um certo Mézières de Lépervenche. Apesar deste apoio, a controvérsia persistiu, mesmo após a morte dos dois protagonistas.

Com a abolição da escravatura, em 1848, foi dado ao ex-escravo o sobrenome “Albius”, em referência a cor branca (alba) da flor da vanila. No inicio do século XX, um artigo de imprensa chegou até à afirmar, sem razão, que Edmond era um homem branco.

Edmond Albius não tirou nenhum benefício de uma invenção que fez a fortuna dos cultivadores. Morreu na miséria em 1880.

As dúvidas só foram afastadas definitivamente no fim do século XX, dando a Edmond o reconhecimento e a paternidade da descoberta.

Bibliografia:

1 – Le DB. Dictionnaire biographique de La Réunion, sous la direction de Michel Verguin et Mario Serviable, Édition Communication Loisir Information Presse / ARS Terres Créoles, tome 1, 1993.
2 – Hazen, J. (1995) Vanilla. Chronicle Books. San Francisco, CA.
3 – Rain, P. (1986) The Vanilla Cookbook. Celestial Arts. Berkeley, CA.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

A Introdução do Eucalipto no Brasil Completa 100 Anos

por Augusto Jeronimo Martini

O ano de 2004 marca o centenário da introdução do eucalipto para fins produtivos no Brasil, quando Edmundo Navarro de Andrade deu início aos reflorestamentos experimentais para obter matéria-prima destinada à produção de lenha e dormentes para a Companhia Paulista de Estradas de Ferro.

Depois de cem anos de sua introdução, a árvore pode ser plantada com sucesso em todos os estados do nosso país. Graças às condições naturais favoráveis de solo e clima, à evolução tecnológica, e aos conhecimentos acumulados sobre o seu manejo, a produtividade experimental, que antigamente era de 10 m³/ha por ano, passou a ser de 60 a 70 m³/ha/ano. Hoje, o eucalipto tem sido utilizado para os mais diversos fins e os produtos dele derivados representam expressiva parcela do superávit obtido pela balança comercial do país no ano de 2003.

Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Artigos, Árvores, Cultivo, Meio Ambiente

Museu Goeldi lança publicação com relação de frutas comestíveis amazônicas

Danielle Jordan / Ambientebrasil

O Museu Paraense Emílio Goeldi lançou este mês a sétima edição do livro Frutas Comestíveis da Amazônia. A publicação faz parte das comemorações de aniversário do Goeldi, que completou este mês, 142 anos.

Foram listadas 163 espécies, sendo que metade corresponde a frutas nativas da região amazônica. As frutas foram dispostas em ordem alfabética, com informações como nomes populares, família botânica, nome científico e sinônimos.

O primeiro volume foi publicado há 37 anos, pelo agrônomo Paulo Cavalcante. Na nova edição o texto foi atualizado e as nomenclaturas botânicas revisadas. Foi realizado um novo projeto gráfico e as fotos foram refeitas.

“Mais do que uma simples reedição, é um marco do conhecimento amazônico que volta a ter visibilidade”, afirmou a ecóloga Ima Vieira. “Muitas espécies ficaram conhecidas do grande público por meio da primeira edição do Frutas Comestíveis da Amazônia”, lembrou.

*Com informações do Museu Paraense Emílio Goeldi.

Fonte: [ ambientebrasil ]

1 comentário

Arquivado em Frutas, Listagens

Plantas ficam diabéticas, obesas e morrem antes

Um estudo do cientista Marcos Buckeridge, do Departamento de Biociências da USP, revela que o aumento na concentração de CO2, em combinação com o aumento de temperatura e chuvas, produz um efeito fertilizante, mas doentio nas plantas. É como se elas estivessem se tornando “diabéticas e obesas”, nas palavras do cientista.

A reportagem é de Soraya Aggege e publicada pelo jornal O Globo, 21-04-2009.

– As plantas consomem mais açúcar e ficam maiores. Desconhecemos o impacto disso ainda – diz Buckeridge.

Segundo ele, foram analisadas folhas de várias espécies, como o jatobá.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Meio Ambiente

Fósseis de primeiras plantas terrestres são encontrados na Argentina

Organismos simples, sem caule ou raízes, teriam evoluído de algas e passado a viver em terra 10 milhões de anos antes do que se pensava.

Plantas hepáticas modernas provavelmente são ancestrais comuns de de todas as plantas terrestres

Rubinstein et al/New Phytologist
Fósseis encontrados podem mudar datas da evulação dos vegetais

Fósseis de algumas das primeiras plantas a migrar da água para a terra firme centenas de milhões de anos atrás foram encontrados na Argentina, dizem especialistas.

A descoberta sugere que a colonização da terra por plantas teria ocorrido dez milhões de anos antes do que os cientistas calculavam – ela teria se iniciado por volta de 472 milhões de anos atrás.

O surgimento de plantas capazes de viver na terra é um dos mais importantes marcos na evolução do planeta.

As plantas terrestres mudaram o clima da Terra, alteraram o solo e permitiram que todas as outras formas de vida celular se desenvolvessem.

O estudo foi publicado na revista científica New Phytologist.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Curiosidades, Meio Ambiente, Técnicas

Botânicos apresentam lista com as 4000 espécies de plantas de Portugal

por Helena Geraldes

Uma equipa de 18 botânicos trabalhou três anos para criar a primeira lista de referência das plantas de Portugal. O inventário “limpou” repetições e nomes que vão mudando com o tempo e chegou ao número total de 3995 espécies.

À partida, fazer a lista das plantas de Portugal pode parecer coisa fácil. Mas não é. Foram três anos a estudar várias obras de referência – desactualizadas e regionais –, um autêntico labirinto por entre várias centenas de espécies.

Miguel Sequeira, presidente da ALFA (Associação Lusitana de Fitossociologia) – entidade que elaborou a lista -, explicou ao PÚBLICO alguns dos problemas. “Por um lado temos as espécies que, ao longo do tempo, foram adquirindo nomes diferentes e, por outro há plantas que têm várias nomenclaturas, conforme a região. E depois temos de ter o cuidado de não esquecer nenhuma espécie”. O botânico admite que “nem sempre é fácil descobrir onde estão as repetições”.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Listagens

Conheça os benefícios do cambará, a planta que cura

PABLO GOMES | Lages

Pesquisadores estudam as propriedades da folha da árvore típica da Serra catarinense

Pesquisa liderada por Valfredo Schlemper comprovou eficácia da folha - Alan Pedro

Difícil quem nunca ouviu da avó dicas de receitas “infalíveis” à base de plantas que nascem no quintal de casa para curar este ou aquele problema de saúde. Muitas não passam de crendices. Mas outras são estudadas e surpreendem por suas propriedades medicinais eficientes.

Foi por isso que pesquisadores da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), de Lages, resolveram estudar o cambará, árvore existente apenas nas florestas de araucária da Serra de Santa Catarina e que está em extinção devido ao uso descontrolado da sua madeira para a construção de cercas em propriedades rurais. A folha do cambará também é utilizada há séculos pelo povo da região como remédio para dores abdominais, crises respiratórias e obstrução nasal.

Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em Plantas Medicinais

Flores à la carte

Conheça as espécies comestíveis e saiba como cuidar de cada uma delas

por Juliana Guimarães, especial para o iG São Paulo

Foto: Getty Images
As diversas cores do amor-perfeito, levemente amargo, alegram o prato

Aproveite a chegada da primavera para levar as flores também à mesa. Além de enfeitar os pratos, espécies como a capuchinha, a flor de abóbora e o amor-perfeito, quando plantadas de forma orgânica, se transformam em ingredientes agradáveis ao olhar e ao paladar.

Para garantir a qualidade, ter um jardim de flores comestíveis em casa é mais do que recomendado. “Dessa forma você terá certeza de que elas estão livres de agrotóxicos”, afirma o botânico Gil Felippe, autor do livro “Entre o Jardim e a Horta” (editora SENAC). “Nunca compre em floriculturas ou locais não especializados em alimentos, pois as flores são normalmente tratadas com agrotóxicos”, completa.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Flores, Orgânicos