Arquivo do mês: março 2011

Festa das Sementes Crioulas

A Festa acontece nos próximos dias 19 e 20 de março [de 2011] em Anchieta [SP] com o objetivo principal de expor e promover o intercâmbio de sementes crioulas e de mudas, discutir a importância da biodiversidade e apresentar experiências agroecológicas locais, regionais e nacionais.

Sementes crioulas são sementes oriundas de gerações anteriores, desenvolvidas pelos próprios agricultores. Também são consideradas crioulas aquelas sementes oriundas de melhoramento oficial, mas que se encontram em cultivo e reprodução pelos agricultores há muitos anos.

Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Mudas, Sementes

Você sabe o que é Semente Crioula?

Por Valdemar Arl*
Membro-fundador da Rede Ecovida de Agroecologia

Sementes da Esperança

É muito comum quando ando por aí, colocar a mão no bolso e encontrar algumas sementes. Moro na cidade há muitos anos, mas não perdi essa prática da troca e da disseminação de sementes que herdei da minha história de vivência e convivência junto ao campo.

Sempre que as famílias de agricultores se visitam, uma prática bem presente ainda hoje é a troca de mudas, sementes ou animais reprodutores. Essa prática era uma condição fundamental no melhoramento das espécies ou variedades de plantas e raças de animais. Quando um agricultor ou uma agricultora doa uma semente ou faz uma troca percebe-se um sentimento de realização, felicidade e expectativa em ambas as partes. Essa prática é cultural e faz parte da condição do “ser camponês”.

Alicerçada nessas práticas a humanidade produziu e se alimentou por mais de 10.000 anos. Mas, em apenas pouco mais de 50 anos, a produção de alimentos sofreu grandes transformações. O modelo industrial agroquímico aplicado no campo negou essas práticas populares de manutenção e melhoramento das espécies e raças classificando-as como atrasadas.

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Artigos, Mudas, Sementes

Alelopatia

por Edir Patrick

Milho, abóbora e feijão

CONCEITO: Alelopatia é o fenômeno que ocorre na natureza com liberação de substâncias químicas pelas plantas no meio ambiente que provocam efeitos estimulatórios ou inibitórios na germinação, crescimento e desenvolvimento de outras plantas.

Pelo estudo dos processos de alelopatia vê-se que os aleloquímicos, originados do metabolismo secundário, que são liberados no ambiente possuem ação estimulatória em baixa concentração e inibitória com o aumento da concentração.

As substâncias aleloquímicas liberadas no solo são absorvidas pelas raízes e transportadas pelos canais xilemáticos atingindo pontos de crescimento celular, inibindo-os. Pode igualmente interferir nos processos metabólicos celulares induzindo ao crescimento inicialmente para inibi-los posteriormente. Além disso, substâncias como os ácidos orgânicos, resultantes de resíduos no solo, interferem na absorção de nutrientes retardando o desenvolvimento da planta.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Artigos, Curiosidades

Etanol celulósico

Por Da Redação – agenusp@usp.br

A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP oferece no próximo dia 10, às 14 horas, palestra com professor João Atílio Jorge do Instituto de Estudos Avançado de Ribeirão Preto (IEARP) da USP.

O professor abordará temas como a produção de biocombustíveis a partir da biomassa celulósica, uma alternativa às fontes convencionais de energia. O professor explica que na natureza, a celulose é degradada rapidamente por ação sinérgica de diferentes celulases, provenientes de vários microrganismos. “Atualmente, acredita-se que a degradação eficiente da celulose em laboratório só ocorrerá com a formulação de coquetéis enzimáticos”. O laboratório coordenado pelo professor Jorge tem se dedicado à procura por fungos visando a formulação de um coquetel eficiente na hidrólise de resíduos lignocelulósicos.

O evento é gratuito e dirigido ao público em geral, não há limitação de participantes ou mesmo necessidade de inscrição. A palestra acontecerá ocorrerá no salão de eventos do centro de informática da FFCLRP, que fica na Avenida Bandeirantes, 3900.

>> Mais informações:
(16) 3602-3503/3522/3525, com Vânia,
email imprensa.rp@usp.br
site www.ribeirao.usp.br

Fonte: [ Agência USP de Notícias ]

Deixe um comentário

Arquivado em Biocombustíveis, Biotecnologia, Técnicas