Fito do Bem

por Sylvia de Seganttini

Você certamente já sabe algumas receitinhas do tipo: chá de camomila é bom para acalmar. É verdade. Mas você sabe quais são os riscos da auto medicação com ervas? Vamos falar um pouquinho sobre isso.

Fito (phyto) significa “vegetal” e terapia (therapeia) quer dizer “tratamento”.

Anterior a 2000 a.C o uso das plantas destinava-se para fins medicinais e rituais religiosos! E há mais de três mil anos os nativos da Ilha de Fiji já usavam a planta Kava kava – Piper methysticum que hoje conhecemos graças aos cientistas alemães que comprovaram os efeitos das propriedades no combate a ansiedade!

Fitoterápico é o termo que se emprega para extratos extraídos a partir de plantas e depois industrializados para xaropes, pomadas, cápsulas, comprimidos etc.

Fitoterapia é o uso mais popular das plantas e chás, cataplasmas, compressas, inalações e banhos. Poucos sabem, mas ela é considerada uma especialidade da medicina alopática e as plantas somente são empregadas e aprovadas no Ministério da Saúde quando têm comprovação científica. Quando adequadamente aplicada, a fitoterapia pode combater infecções simples, alergias, traumas e disfunções metabólicas.

Entretanto a fitoterapia caseira continua atuando segundo as tradições regionais e crenças. E quando bem praticada, proporciona bem estar e auxilia com prontidão alguns males que dispensam nossa ida ao médico, por exemplo, para aliviar a prisão de ventre do bebê, cólica menstrual e outros males um chazinho pode ajudar!

O principal cuidado é quando seguimos com um tratamento cuja intenção é curar determinadas doenças com as ervas medicinais. E aí o dito popular: – “Se bem não faz, mal não faz”. Faz sim! Determinadas plantas podem matar, outras podem não atingir o efeito esperado e confundir a pessoa na cura piorando sua doença.

Qualquer uso para tratamentos da saúde, incluindo os chás medicinais e os fitoterápicos só devem ser consumidom seguindo orientação médica.

“Um chá jamais pode substituir um medicamento alopático prescrito por um médico”, reforça Ernani Pinto, professor do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas da USP (Universidade de São Paulo).

Fitoterapia do Bem

Contra-indicações para chás medicinais

– Pessoas com doenças crônicas como os diabéticos, hipertensos, gestantes, idosos e crianças devem prestar atenção às contra-indicações dos chás medicinais. Alguns compostos presentes nas plantas medicinais podem alterar o metabolismo de certos remédios e isso pode reduzir ou aumentar a eficácia dos mesmos. Converse com o seu médico antes para checar se tudo bem.

– Pessoas idosas e crianças devem se preocupar com a dose de acordo e se há combinação do chá com a medicação que esta usando no momento.

– As gestantes devem tomar cuidado com determinados chás, quando em excesso, podem ser abortivos como a carqueja, a canela e outros.

Para se fazer um bom chá

– Saber a procedência da planta a ser usada.

– Para chás é melhor a planta seca do que fresca, pois algumas propriedades tóxicas aparecem em maior quantidade na planta fresca.

– Os chás podem ser preparados por infusão ou cocção:

Infusão: Aquecer bem a água sem ferver e jogar sobre as ervas, flores ou folhas, abafar por uns 15 minutos. Este processo preserva o sabor e o poder medicinal do chá.

Cocção: Este processo é indicado para raízes, cascas e sementes e consiste em cozinhar por 3 a 15 minutos. Ex: Sementes de ervas doce 3 minutos bastam. Raízes mais de gengibre, a canela e o cravo 15 minutos é o ideal.

Dosagem: 20 gramas de erva por litro de água ou uma colher de chá por xícara, mas esta dosagem pode variar dependendo da planta.

Posologia: – Tomar várias xícaras do chá por dia, de preferência longe das refeições, a não ser que o chá seja para facilitar a digestão.

– Os chás não precisam ser adoçados, mas se preferir pode-se usar o mel no chá já morno para o calor não destruir as propriedades do mel.

– Prepare quantidades para o uso no dia. Mesmo guardado na geladeira após 24 horas o chá fermenta e perde as propriedades.

– Recomenda-se não usar o mesmo chá por tempo prolongado. A cada 30 dias troque por outra planta similar a sua necessidade.

– O ideal é usar recipientes de vidro, barro, louça ou esmalte. Evitar o metal.

Outros usos: – Os chás a base de plantas além de tomados, podem ser úteis para compressas, banhos, gargarejos, inalações e lavagens. O importante são as quantidades da planta para cada uso.

Compressas: – Compressas de chá quente aliviam dores inflamatórias e facilitam a resolução destas inflamações. Neste caso usam-se chás com propriedades anti-inflamatórias.

Chás para males simples e ocasionais

Escolha uma das opções ou siga as sugestões de misturas. Evite misturar muitas ervas, pois dependendo da mistura pode criar uma intoxicação.

Se os sintomas persistirem procure o médico.

  • Aftas: Chá para bochechar feito com alfavaca
  • Azia e má digestão: hortelã, camomila, alfavaca, chá verde e gengibre.
  • Prisão de ventre do bebê: erva-doce ou camomila. E para adultos tem outras opções como à hortelã, alcachofra, camomila, capim limão, cardamomo e a erva-doce
  • Antioxidante e melhora da Performance diária:

    -Para 1 xícara misturar 1 colher (de café) de cada: (erva-doce, canela e grãos de mostarda). Ferver por 3 minutos e tomar pela manhã.

  • Dor de cabeça e enxaqueca: Hortelã e gengibre.

    Compressa de gengibre:

    Ralar 150 gr. de gengibre, colocar num saco de algodão, mergulhar em água quente e colocar no local (para reumatismo, coluna vertebral e articulações). Para não correr o risco de irritar a pele, passar um pouco de óleo vegetal ou creme no local antes de colocar a compressa. Faça duas porções, pois enquanto uma aquece a outra fica por alguns segundos no local do corpo a tratar. Duração meia hora.

  • Dores de artrite e bursite em fase inicial : 8 sementes de sucupira quebradas e fervidas em 1 litro e meio de água. Cozinhar por 15 a 20 minutos. Esperar esfriar e tomar 1 copo de café a cada 1 hora durante o dia até a hora de dormir. O que sobrar pode guardar na geladeira devido ao tempo do cozimento e a resistência da semente. É necessário cozinhar as sementes em panela de inox. A resina liberada das sementes que ficam impregnadas na panela só sai se passar álcool líquido ou gel e depois sabão.
  • Insônia: Cardamomo, melissa ou capim-limão.
  • Irritação e ansiedade: Camomila, capim limão, melissa, manjerona e louro.
  • Retenção de água: Cavalinha
  • TPM: Cavalinha, camomila e louro.
  • Climatério: 3 folhas de amoreira (Morus Alba) para 1 litro de água. Tomar durante o dia. Ou Chá de folhas de sálvia.
  • Náuseas: Hortelã.
  • Fígado: Dente de leão, chapéu de couro
  • Refluxo e mau hálito: Chá de zedoária (tomar em jejum e após 2 horas das principais refeições.
  • Cólica menstrual: Louro, camomila, orégano e canela.

Espero que tenham gostado das dicas e que sejam úteis. Até a próxima!

Fonte: [ Buddha Spa ]

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Caso Drauzio Varella, Curiosidades, Doenças, Fitoterápicos, Medicamentos, Plantas Medicinais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s