Indiano planta sozinho floresta de 550 hectares

Jadav Payeng dedicou 30 anos de sua vida para alcançar um milagre: ele conseguiu transformar um banco de areia estéril em um novo ecossistema, uma floresta exuberante de 550 hectares, uma área equivalente a 600 campos de futebol.

Quando ainda adolescente, um desastre natural no Assam, região norte da Índia, mudou o modo como Payeng via o mundo. Uma grande inundação trouxe para perto de sua casa dezenas de cobras e animais pequenos. No dia seguinte, quando as águas recuaram, todos estavam mortos. A paisagem não contava com nenhum tipo de cobertura de árvores. Sem sombra, os animais secaram com o calor escaldante do Sol.

Chocado com a cena, ele tentou entrar em contato com o departamento florestal nacional, mas foi informado sobre a infertilidade do local, e de que, no máximo, alguns bambus cresceriam por ali.

Jadav Payeng

Foi assim que Payeng deu início ao que se tornaria um refúgio natural, fértil e importante para a fauna da região. Começou plantando, sozinho, sementes de bambu e foi, pouco a pouco, acrescentando outras espécies. Ele regava de manhã e de noite, podava e limpava.

O banco de areia foi se transformando em um taquaral, plantação caracterizada por espécies de caules ocos. Logo, uma grande variedade de flora e fauna começou a desabrochar.

Depois de um tempo, Payeng deixou sua casa e foi morar na floresta, decidiu que dedicaria sua vida em tempo integral a esse esforço: restabelecer o equilíbrio ecológico da região. Até mesmo formigas vermelhas, que ajudam a alterar a propriedade do solo, ele trouxe manualmente para reforçar a harmonia natural do ambiente.

Hoje, a floresta, que é autossuficiente, é casa e refúgio seguro de uma multidão de criaturas, inclusive de animais ameaçados de extinção: répteis, aves, veados, rinocerontes, tigres e até mesmo elefantes.

O herói nacional batizou a floresta de ‘Madeiras de Molai’, em homenagem ao seu cachorro de estimação de mesmo nome que esteve ao seu lado por boa do tempo durante a empreitada.

Fonte: The Times of India

Fotos: PhBasumata/CC BY 3.0

Disponível online em [ Blog Natura Ekos ]

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Meio Ambiente

5 Respostas para “Indiano planta sozinho floresta de 550 hectares

  1. Manoel Vieira Neto

    Olá,
    Parabéns ao indiano Payeng!
    Se todos os moradores do nosso amado planeta pensasse e agisse assim, teríamos com certeza uma qualidade de vida muito superior. Ele tinha os 550 hectares para plantar, mas isso vale muito até para quem tem 01 hectare ou menos. Parabéns mesmo! Como um habitante também aqui como ele, agradeço-o por esse gesto maravilhoso e desejo que Deus o abençoe muito e sempre.

    Um forte abraço ao nosso querido irmão Payeng!

    Manoel.

    Curtir

  2. Araujo

    “Um gênio começa as obras grandes, mas é o trabalho que as termina.” J. Joubert.

    Curtir

  3. Como arranjar adjetivos na linguagem já conhecida que possa qualificar no grau mais alto de purificação quântica para um ser-vivo-homem deste Planeta pela sua paciência e entrega de uma vida para a construção dessa Floresta Indiana? Difícil encontrar todas estas palavras, se é que elas já existam! Um indiano desse porte vale por quantos outros homens de todas as nacionalidades do mundo? Sem hipocresia: vai ser difícil fazer esta continha. Haja máquina para calcular esta soma. Este indiano vale quanto o tanto que ele plantou de floresta e pelo exemplo que ele vai deixar merecidamente para a humanidade, se é que ela vai resistir as dificuldades para construir um paraíso igual a que o nosso herói indiano fez. Já pensou se conseguíssemos mais heróis como o indiano? Não sei se no mundo teremos outro igual a ele!Ana Lourenço da Rosa. Plantas Medicinais. Tocantins. BRASIL.

    Curtir

  4. Ana Carolina Araujo

    É um trabalho de uma vida que poderá salvar outras nas próximas gerações. O mundo precisa de mais pessoas como esse indiano, ele é um exemplo pra essa sociedade egoísta que vivemos, que só sabe pensar em seu próprio bem estar. Espero que possamos ver mais pessoas como esse tentando salvar o que muitos só querem destruir. Ana Carolina Araujo, neta de Ana Lourenço da Rosa. Estudante, Espirito Santo.

    Curtir

  5. Um trabalho digno de lembrar para sempre… A Natureza às vezes precisa de uma mão, ou melhor, duas… ou mais…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s