Arquivo do mês: março 2013

Aquaponia: produção integrada de peixes e hortaliças com sustentabilidade

Mini Ecossistema

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Técnicas

Câmara rejeita sistema de controle da produção e consumo de agrotóxicos

Marcos Montes: proposta cria burocracia adicional, desnecessária à agricultura brasileira. Foto: Arquivo/ Gustavo Lima

Marcos Montes: proposta cria burocracia adicional, desnecessária à agricultura brasileira.
Foto: Arquivo/ Gustavo Lima

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural rejeitou, na quarta-feira (20), o Projeto de Lei 1950/11, do deputado Amauri Teixeira (PT-SP), que cria um sistema de controle da produção e do consumo de agrotóxicos por meio de vigilância eletrônica e sanitária.

Relator na comissão, o deputado Marcos Montes (PSD-MG) apresentou parecer pela rejeição. Montes entende que a proposta cria “burocracia adicional, desnecessária e prejudicial à agricultura brasileira”.

Como a proposta foi rejeitada, em caráter conclusivo, na única comissão que lhe analisou o mérito, ela será arquivada a menos que haja recurso aprovado para que o projeto contine sua tramitação pelo Plenário da Câmara.

Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Alimentos, Biossegurança, Projetos

Curso de Aquaponia Urbana

Curso de Aquaponia Urbana


+ informações / contato / inscrições
cursodeaquaponia@gmail.com
Mayra van Prehn (11) 96923-6152
Claudio Alfaro (11) 96417-7627

Curso de Aquaponia Urbana
20 e 21 de abril de 2013
Vila Madalena – São Paulo – SP

+ informações / contato / inscrições
cursodeaquaponia@gmail.com
Mayra van Prehn (11) 96923-6152
Claudio Alfaro (11) 96417-7627

REALIZAÇÃO: AQUAPÔNICA
http://www.aquaponiaurbana.com.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Cursos

Na Amazônia, uma disputa entre cônsul e Ibama pelo livro sagrado

Receitas xamânicas foram produzidas e compiladas em livro na língua nativa da etnia Kaxinawá, em aldeia (na foto) localizada no Baixo Rio Jordão (AC) Divulgação/Ibama

Receitas xamânicas foram produzidas e compiladas em livro na língua nativa da etnia Kaxinawá, em aldeia (na foto) localizada no Baixo Rio Jordão (AC) Divulgação/Ibama

RIO – A ação de uma ONG baiana, presidida pelo cônsul honorário da Holanda em Salvador, numa terra indígena no Acre, quase na fronteira com o Peru, pôs o Ibama em alerta e se transformou em mais um rumoroso episódio de suspeita de acesso ilegal ao patrimônio genético da biodiversidade brasileira. Em jogo, o conteúdo de um livro da etnia Kaxinawá, com a linguagem e as receitas xamânicas relacionadas a 516 ervas medicinais, que teriam o poder de curar 386 tipos de doenças tropicais, especialmente provocadas pelo contato entre o homem e outros animais.

O caso remonta ao ano de 2010, quando o etnomusicólogo brasileiro Ricardo Pamfilio de Souza, financiado pela ONG Arte, Meio Ambiente, Educação e Idosos (Amei), entrou em contato com o pajé Augustinho, da Terra Indígena Kaxinawá do Baixo Rio Jordão (AC), uma das onze áreas oficialmente povoadas pela etnia em solo brasileiro. O Brasil tem cerca de 6 mil índios Kaxinawá. Outros 4 mil vivem no Peru.

Da conversa entre o visitante e o pajé, surgiu o projeto para publicar um livro, em língua nativa, cujo objetivo seria preservar a cultura e o Hãtxa Ruin — a língua dos Kaxinawá. Ocorre que, para “preservar a linguagem escrita”, Panfílio diz que o pajé Augustinho escolheu justamente o conteúdo secular das receitas xamânicas, o “Livro Vivo dos Kaxinawá”, um tesouro da biodiversidade amazônica que, inclusive, já foi alvo de estudos e publicações de botânicos brasileiros, mas com anuência do Conselho de Gestão do Acesso ao Patrimônio Genético (Cgen), presidido pelo Ministério do Meio Ambiente.

A Funai informa que não mediou o acordo entre a Amei e os Kaxinawá e que a comunidade não se beneficiou da ação. Para o Ibama, o livro “pode conter um conjunto de ‘senhas’ para usos de plantas medicinais brasileiras, potencialmente úteis à saúde humana e cobiçadas pela indústria farmacêutica mundial”.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Biopirataria, Caso Drauzio Varella, Etnobotânica, Plantas Medicinais

Mosquitoeira – Armadilha Caseira para o Mosquito da Dengue

aedes

Acho que não é novidade para ninguém, uma vez que esta armadilha esta sendo amplamente divulgada pela mídia. Com uma garrafa pet, dessas de refrigerantes, é possível fazer uma armadilha que prende e mata o mosquito.

Você vai precisar de:

– 1 garrafa pet de 1,5 litros
– 1 tesoura
– 1 lixa de madeira nº 180
– 1 rolo de fita isolante
– 1 pedaço de 5×5 cm de tecido Micro Tule
– 4 grãos de alpiste ou 1 grão de ração felina.

VIDEO DE COMO CONSTRUIR: https://www.youtube.com/watch?v=Jyi_zj3PWcc

MANUAL: http://www.faperj.br/downloads/mosquiterica.pdf

Fonte: [ Loucura Racional ]

Deixe um comentário

Arquivado em Controle biológico, Doenças

Monsanto inaugura unidade de biotecnologia em Pernambuco

Por Agência EFE

Petrolina – A companhia Monsanto inaugurou nesta segunda-feira em Petrolina (PE) uma unidade destinada à pesquisa biotecnológica e o desenvolvimento de produtos para o mercado nacional.

A fábrica, que exigiu um investimento de US$ 20 milhões (R$ 39 milhões), tem como objetivo “acelerar o desenvolvimento de tecnologias” aplicadas ao setor agrícola, segundo o presidente da Monsanto no país, Rodrigo Santos.

Santos explicou que a fábrica de Petrolina, a unidade número 36 da companhia no Brasil, é o investimento de maior envergadura da companhia multinacional em 2013, e disse que constituirá um “grande polo de pesquisa” da empresa no país para os próximos anos.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Biotecnologia, Transgênicos

Espinafre: Bom mas com muitas ressalvas

Por que o espinafre faz mal à saúde

Jocelen Mastrodi Salgado*

O consumo do espinafre aumenta a cada dia que passa. O famoso marinheiro Popeye, faz propaganda do alimento, dando a entender que quem come espinafre está sempre forte e pronto para superar qualquer obstáculo. O que poucos sabem, é que no mesmo país de origem do desenho (Estados Unidos), há algumas décadas atrás, a ingestão de leite batido com espinafre (o objetivo era enriquecer a bebida com ferro), causou a morte de crianças recém-nascidas.

A doença ficou conhecida como doença do branco do olho azul, pois o branco dos olhos ficava dessa cor. Posteriormente, descobriu-se que a presença do espinafre no leite era a causadora da tragédia, mas na época (1951) o fato foi encoberto e o desenho do marinheiro Popeye continuou a ser exibido.

Por que devemos tomar cuidado com o espinafre

O espinafre é um dos alimentos vegetais que mais contém cálcio e ferro. Entretanto, esses dois minerais são pouquíssimo aproveitados pelo nosso corpo, já que o alto teor de ácido oxálico no vegetal inibe a absorção e a boa utilização desses minerais pelo nosso organismo. Os estudos mostram também que o ácido oxálico do espinafre pode interferir com a absorção do cálcio presente em leites e seus derivados.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Alimentos