Arquivo do mês: dezembro 2013

SiSTSP – Figueira-triangular (Ficus leprieurii)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
NOME CIENTIFICO: Ficus leprieurii
NOME(S) POPULAR(ES): Figueira-triangular
FAMILIA (Cronquist): Moraceae
FAMILIA (APG2): Moraceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=9388
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Registro atualizado em: 31/12/2013 14:29:43, por Anderson Porto.
=-=-

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

SiSTSP – Sibipiruna (Caesalpinia peltophoroides)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
NOME CIENTIFICO: Caesalpinia peltophoroides
NOME(S) POPULAR(ES): Sibipiruna, Coração-de-negro, Sebipira, Sibipira, Sibipuruna
FAMILIA (Cronquist): Leguminosae
FAMILIA (APG2): Fabaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
É uma espécie facilmente confundida com o pau-brasil ou pau-ferro pela semelhança da sua folhagem.[3]

Bastante utilizada em praças públicas e grandes jardins, dando um espetáculo durante sua florada.

Apesar de suas raízes não serem agressivas, não deve ser plantada em ruas com calçadas estreitas e com rede elétrica devido o porte da planta.[4]

Possui grande capacidade de redução de temperatura sob seu dossel. Muito indicada para cidade onde apresenta sérios problemas com ilhas de calor.[5]

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=368089
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Registro atualizado em: 30/12/2013 01:23:25, por Anderson Porto.
=-=-

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

Catástrofe Natural?

catastrofe_natural

As soluções existem.

Deixe um comentário

Arquivado em Árvores, Ecologia

SiSTSP – Espirradeira (Nerium oleander)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
NOME CIENTIFICO: Nerium oleander
NOME(S) POPULAR(ES): Espirradeira, Louro-rosa, Oleandro, Loendro, Cevadilha
FAMILIA (Cronquist): Apocynaceae
FAMILIA (APG2): Apocynaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
É um dos arbustos mais cultivados para o embelezamento público, observada em muitas avenidas e parques.

Por ser muito tóxica deve ser manipulada com luvas e muito cuidado, além de ficar longe do alcance de crianças pequenas e cachorros.[5]
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=370651
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Registro atualizado em: 27/12/2013 23:00:29, por Anderson Porto.
=-=-

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

SiSTSP – Canistel (Pouteria campechiana)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
NOME CIENTIFICO: Pouteria campechiana
NOME(S) POPULAR(ES): Canistel, Sapota-amarela
FAMILIA (Cronquist): Sapotaceae
FAMILIA (APG2): Sapotaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Canistel, a fruta dos Mayas, é originária de regiões de clima tropical.

Na América Latina, a fruta pode ser encontrada desde o México até o Brasil.

Sua cor pode variar, mas usualmente é a amarela, possuindo polpa fina e um pouco pegajosa, lembrando o interior de um ovo, dotada de poucos caroços.

Seu sabor é forte e adocicado, sendo considerado uma boa fonte de vitamina A e carboidratos.[1]
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=3322
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Registro atualizado em: 27/12/2013 18:11:55, por Anderson Porto.
=-=-

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

SiSTSP – Biri (Canna x generalis)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
NOME CIENTIFICO: Canna x orchiodes
NOME(S) POPULAR(ES): Biri, Cana-índica, Cana-da-índia, Beri, Bananeirinha-da-índia, Bananeirinha-de-jardim
FAMILIA (Cronquist): Cannaceae
FAMILIA (APG2): Cannaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Existem numerosos híbridos, os quais são denominados de Canna lily. Esses híbridos ficaram conhecidos também como Canna x generalis ou Canna x orchiodes, dependendo das características da flor.[1]

Sua utilização no paisagismo está ligada à sua adaptação à locais bastante úmidos a pleno sol, como àreas adjacentes à laguinhos e fontes.

Podem formar belos maciços e bordaduras.[2]
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=2775
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Registro atualizado em: 27/12/2013 13:17:15, por Anderson Porto.
=-=-

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

Árvores brotando

In the moon of the budding trees
I was gifted new eyes to see
All of the shifting shape and ways you can be
Wake the dreams into realities
Wake the dreams into realities

Sunset diamonds trickle down our cheeks
The language of no words is how we speak
Pacha Mama spinning firelight
and a Little Bear singing by the fireside
Out of this city with the wind on our neck
That’s us whistling upon your neck
Moonlit diamonds sparkle into my mouth
Feels like hunger and it tastes like salt
Feels like hunger and it tastes like salt

So, tap me out and tap me into you
Heal my brain and my body too
Balance my chemistry hydrate these cells
Cuz the body talks and the meditation helps
The body talks and meditation helps
The body talks and meditation helps

A little bit of cinnamon pours as we snoot
All up on my shit in the morning commute.
Coastal quiver on a quest through the dunes
Sandy toes and bottomless curves of the moon
Heavy lifting for Pele’s children
Hand of the goddess soaking cliffs keep building
Plate is full but appetite has dwindled
I feel a little sick so I keep the fire kindled

You the pillar steadfast light of bravery
And I the dimly burning candle still shaking
Riddled fear quiver my bones so easy!
Well, you’re the guru now so visualize healing
Yeah, you’re the guru now so visualize leaving.

Let her go for she can no longer feed you
And many children need that mana creature
Just barely missed you I was finally ready!
But you are a long gone too much heavy history
Yeah you are a long gone too much heavy history
Let go of blame that shit will never serve me!
Bless other men investigate your mystery

So, tap me out and tap me into you
Heal my brain and my body too
Balance my chemistry hydrate these cells
Cuz the body talks and the meditation helps
The body talks and meditation helps
The body talks and meditation helps

Little spider weaves a wispy web
And stumbling through the woods it catches to my head
She crawls behind my ear and whispers secrets
Dragonfly wiz by and sings now teach it
Yeah, dragonfly wiz by and sings now teach it
Form on the trail I watch you head up mauka
I turn makai and whisper, “thank you sister”
Edge of the west where water touches land
You are the east with folded maps in hand
Time to increase my frequency!
Hands of light and bodies talking
Gimme some of that wild fox medicine!
But, keep me here in this wild present tense
Fully supported on new lovers chest
Dawning adventures sparkle get some rest!
Dawning adventures sparkle get some rest!

So, tap me out and tap me into you
Heal my brain and my body too
Balance my chemistry hydrate these cells
Cuz the body talks and the meditation helps
The body talks and meditation helps
The body talks and meditation helps

(Nahko and Medicine For The People – Budding Trees)

maxresdefault

Deixe um comentário

Arquivado em Vídeos

SiSTSP – Crista-de-galo (Celosia cristata)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
NOME CIENTIFICO: Celosia cristata
NOME(S) POPULAR(ES): Crista-de-galo, Celósia-cristata
FAMILIA (Cronquist): Amaranthaceae
FAMILIA (APG2): Amaranthaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Celosia cristata L., pertencente à família Amaranthaceae, é considerada flor de corte utilizada em arranjos florais.

Trata-se de uma planta herbácea anual, originária da América Tropical, atingindo de 30-80 cm de altura, com caule ereto, suculento e não ramificado.

Suas folhas elípticas lanceoladas, são verdes ou vermelho-bronzeadas com inflorescências terminais, espessas e achatadas, aveludadas, em forma de crista de galo, nas cores vermelha, esbranquiçada, rósea ou creme amarelada.

Cultivada em conjuntos e renques em beira de muros e paredes, a pleno sol, em canteiros ricos em composto orgânico, de boa drenagem e irrigados a intervalos.

Desenvolve-se a pleno sol e prefere o calor ao frio intenso.

Multiplica-se facilmente por sementes produzidas em grande quantidade, que podem ser semeadas no decorrer do ano todo, principalmente no verão (LORENZI, 2001).
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=371746
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Registro atualizado em: 23/12/2013 13:22:18, por Anderson Porto.
=-=-

1 comentário

Arquivado em SiSTSP

Alimentos com altos índices de contaminação por agrotóxicos

alimentos_com_alto_indice_de_agrotoxicos

Fonte: [ ANVISA ]

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Biossegurança, Cultivo, Herbicidas, Meio Ambiente, Pesticidas

Documentário: Nuvens de Veneno

A nuvem se espraia pelas plantações. Em vez de molhar, seca. Ela não traz a chuva, traz o veneno. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de soja, algodão, milho e também um dos maiores consumidores de fertilizantes químicos e agrotóxicos. Nuvens de veneno expõe as preocupações com as consequências do uso desses agroquímicos no ambiente, especialmente, na saúde do trabalhador. Um documentário revelador que faz refletir sobre a forma que crescemos e sobre o tipo de desenvolvimento que queremos.

Realização: Secretaria de Saúde de Mato Grosso, Terra Firme e VideoSaúde

Direção: Beto Novaes

Distribuição: VideoSaúde — Distribuidora da Fiocruz

1 comentário

Arquivado em Alimentos, Biodiversidade, Biossegurança, Cultivo, Doenças, Meio Ambiente, Pesticidas, Vídeos