SiSTSP – Carqueja (Baccharis trimera)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
NOME CIENTIFICO: Baccharis trimera
NOME(S) POPULAR(ES): Carqueja, Carqueja-amargosa, Carqueja-do-mato, Bacárida, Cacália, Condamina, Quina-de-condamine, Três-espigas, Bacanta, Cacaia, Amarga, Iguape, Tiririca-de-balaio, Vassoura, Cuchi-cuchi
FAMILIA (Cronquist): Asteraceae
FAMILIA (APG2): Asteraceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
A carqueja (Baccharis trimera (Less) DC; Asteraceae) é uma planta ideal para canteiros de jardins, pois cresce formando tufos espessos.[8]

Com estes mesmos nomes populares e com características e propriedades similares são conhecidas as espécies nativas do sul do Brasil Baccharis articulata (Lam.) Pers. e Baccharis uncinella DC. Não deve ser confundida com a carqueja de Portugal, a Pterospartum tridentatum, de utilizações medicinais também, além de culinárias.

Esta planta é amplamente utilizada no Brasil na medicina caseira, hábito este herdado de nossos indígenas que há séculos já faziam uso da mesma para o tratamento de várias doenças.

As diferentes propriedades atribuídas a esta planta na medicina tradicional vem sendo estudadas por cientistas e algumas já validadas como consequência dos resultados positivos obtidos.

O Dr Adolpho Doering, publicou estudos sob o título “Apuntes sobre la Composicion Química de algunas Plantas Tóxicas”, no ano de 1915, no “Boletin de la Acad. Nac. de Ciencias de Córdoba” Vol xx págs, 295-350. Ele indicou como componentes químicos : “Ácidos Crisofânico”, “Saponina”, e “Absintina”. Ao lado do primeiro refere a “Crisosaponina” e ao lado da segunda a “Glauco-saponina”.

Considerando que a nossa flora indígena tem maior número de espécies de Baccharis do que qualquer outro país, pois cabem-lhe, das 300 referidas, para todo o mundo mais do que 50%, e sendo aqui comuns, especialmente, as espécies afins da B. articulata Pers. citada supra, isto é as conhecidas como “Carqueja”, é de se esperar que haja muitas tóxicas entre elas.

“Esta planta amarga pode substituir muitas drogas deste gênero, vindas da Europa. Nasce em terras estéreis como joio, e tem grande fama como tônico e anti-febril, também contra a debilidade do estômago, diarréia e afecções do fígado; recomendamos aos médicos o extrato espirituosos (tintura), que é solúvel em água. O extrato dá-se na dose de 2 a 4 grãos”[5].
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=51
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Registro atualizado em: 12/01/2014 01:01:35, por Anderson Porto.
=-=-

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s