Como preparar ME – Microorganismos Eficazes (EM4)

ME = Microorganismos Eficazes. Em inglês, EM.

São microorganismos vivos (bactérias, leveduras, actinomicetos, fungos, bactérias e outros).

11737886_1680976862134346_5602529962689320191_n

Para que serve:
­

  • Estabelecimento do equilíbrio da flora microbiana ou seja estabelecimento do equilíbrio da vida do solo.
  • Servem para inocular visando provocar e acelerar a fermentação de Bokashi e compostos orgânicos .
  • Ajudam na fixação do nitrogênio e ajudam na decomposição putrefativa da matéria orgânica e ao mesmo tempo eliminamos vários efeitos nocivos causados pela matéria orgânica não decomposta.
  • Exerce uma grande ajuda auxiliar no controle de doenças de folhagem.
  • Provocam a mineralização da matéria orgânica.

Benefícios do uso:

  • Melhoram a capacidade fotossintética das plantas;
  • Aumentam a eficácia das matérias orgânicas como fertilizantes;
  • Melhoram os aspectos físico, químico e biológico do solo;
  • Eliminam doenças e patógenos do solo;
  • Fermentam matéria orgânica ao contrário de deteriorá-la. Assim, qualquer tipo de matéria orgânica pode ser usada para fazer composto com EM, já que não há produção de odores ofensivos;
  • Decompõem matéria orgânica rapidamente, uma vez incorporada no solo;
  • Facilitam a liberação de quantidades maiores de nutrientes para as plantas.

Material :

  • 1 gomo de bambu açú cortado ao meio
  • 700 gramas de arroz cozido sem óleo e sem tempero
  • 1 litro de garapa
  • 5 garrafas pet’s

11694837_1680976962134336_5223124711592984690_n

Captura dos Microrganismos Eficientes :

  • Cozinhe aproximadamente 700 gramas de arroz sem sal.
  • Coloque o arroz cozido em bandeja de plástico ou de madeira ou ainda em calhas de bambu.
  • Cobrir com tela fina visando proteger.
  • Coloque a bandeja com arroz e a tela em mata virgem (na borda da mata) e deste modo capturar os microrganismos.
  • No local onde vai deixar a bandeja, afastar a matéria orgânica (serrapilheira). Após colocar a bandeja, a matéria orgânica que foi afastada deve cobrir a bandeja sobre a tela.
  • Após 10 a 15 dias os microrganismos já estarão capturados e criados.
  • Nas partes do arroz que ficarem com as colorações rosada, azulada, amarelada e alaranjada estarão os microrganismos eficientes (regeneradores). As partes com coloração cinza, marrom e preto devem ser descartadas (deixe na própria mata).
  • Observação: as colorações no arroz variam em função do tipo de mata onde foram capturados os microrganismos.
  • Quanto mais diversificada e estruturada for a mata mais cores estarão presentes.

11750609_1680976895467676_3340401265474706660_n

Ativar os Microrganismos Eficientes :

  • Distribuir o arroz colorido em mais ou menos 5 garrafas de plástico de 2 litros
  • Colocar 200 ml de melaço em cada garrafa.
  • Completar as garrafas com água limpa (sem cloro) ou água de arroz.
  • Fechar as garrafas e deixar à sombra por 10 a 20 dias.
  • Liberar o gás (abrir a tampa) armazenado nas garrafas, de 2 em 2 dias.
  • Coloque a tampa e aperte a garrafa pelos lados retirando o ar que ficou dentro da garrafa (a fermentação deve ser anaeróbica, ou seja, sem ar, sem presença do Oxigênio). Aperte bem a tampa.
  • Está pronto o EM (neste momento não há mais produção de gás dentro da garrafa).

O EM tem coloração alaranjada. Pode ser mais clara ou mais escura, o que depende da matéria-prima, não implicando, porém, na qualidade do produto. O cheiro é doce agradável. No caso de apresentar mau cheiro, o EM não deve ser usado. Pode ser armazenado por até 1 ano.

Observações:

  • A água tratada com cloro (água de rua, água de cidade) deve ser previamente colocada em recipiente destampado.
  • Somente após 24 horas a água poderá ser usada. Isso porque o cloro mata os microrganismos. A água de mina é usada diretamente.
  • O melado (pode ser substituído por caldo de cana) é alimento dos microrganismos. Por isso faz crescer a comunidade microbiana ativa que pelas reações de fermentação, produzem ácidos orgânicos, hormônios vegetais (giberelinas, auxinas e citocinina), além de vitaminas, antibióticos e polissacarídeos, enriquecendo a solução.

11745768_1680976732134359_2666509235508186993_n

Onde e como usar:

Usos Agrícolas

– EM solo: 100 ml para cada 100 litros de água;
– EM planta: para cada 100 litros do EM solo, colocar 5 ml de vinagre.

– No Bokashi: aplicar o EM até atingir 50% de umidade, ou quando se apertar um punhado da mistura e ela fica molhado sem escorrimento de água entre os dedos

– Inoculação em sementes (use somente sementes que não foram tratadas com fungicidas):
Coloque as sementes imersas em solução de EM/solo durante 1 hora. Sementes que absorvem mais água ficam tempo menor. Sementes que absorvem menos água ficam maior tempo imersas.

Pode ser feita a peletização das sementes: umedecer sementes com a solução EM/solo. Acrescentar cinza de fogão ou farelo (pode ser farelo de arroz, soja, mamona, etc.) envolvendo as sementes. Pronto, está feita a peletização.

– Para animais
Como fonte de nutrientes dos animais o EM é acrescido ao alimento ou à água de beber.
Na água de beber, a cada 3 litros de água acrescente 1 colherzinha do EM.
No tratamento dos resíduos animais (cama-de-frango, estercos, fezes de cachorros e gatos) o EM/solo é pulverizado sobre os resíduos.
Pode também ser utilizado na limpeza das instalações e em banhos de higienização.
O uso do EM elimina mau cheiro e moscas. Ao iniciar o uso do EM, aplicar uma vez a cada três dias, durante o primeiro mês. Quando o mau cheiro diminuir a pulverização poderá ocorrer apenas 1 vez ao mês.

– Descontaminação de lagoas:
• Misture 1 litro de EM em 1.000 litros de água a ser tratada.
• Observe a água durante 1 a 6 meses. Se necessário repita a aplicação e aguarde o próximo mês.
• Ao alcançar os resultados esperados, há necessidade de manutenção do sistema. Aplique mensalmente 1 litro de EM por 10.000 litros de água.
O método de aplicação, assim como as dosagens, pode variar de acordo com as condições do sistema local. Em água corrente também pode ser usado. Pense nos custos, no modo de aplicar, no envolvimento com seus vizinhos e toda a comunidade.

– Aterro sanitários:
Prepare a solução a 5% de EM (5 partes de EM, por 95 partes de água). Pulverize diariamente sobre os resíduos. Em grandes aterros sanitários, o uso de caminhão pipa é fundamental nas aplicações. Supondo que o caminhão pipa de 10.000 L pulveriza toda a área do aterro sanitário, então adicione 500 L de EM no tanque do caminhão, complete com água e pulverize. É recomendável que as pulverizações sejam feitas nas primeiras horas da manhã.
Use esta mesma proporção (5%) na limpeza das ferramentas e máquinas, e principalmente na lavagem dos caminhões de coleta do lixo.
No meio rural, no tratamento dos resíduos de banheiro, a família agrícola pode usar o EM. É opção no tratamento das fossas sépticas.
No meio urbano pode ser aplicado nas caixas de gordura das casas.

– Preparo de solo ou berço (cova é de defunto 😀 ):
misture matéria orgânica vegetal (mato, adubação verde, etc…) com ½ de farinha de osso (200 g/m2) + ½ farelo de arroz (200 g/m2) a terra. Molhar BEM o terreno/leiras com uma solução de EM + caldo de cana + água a 1:1:1000 por m2 (em solos muito pobre pode-se usar até 1:1:300). Cobrir o solo com palha ou capim. Se você tiver pressa, após 10 dias pode-se fazer o plantio das sementes ou transplante das mudas. O ideal é aguardar 3 meses para usar o berço e, uma semana antes de plantar, regar com uma solução de EM a 1:1000.

– Nos solos e nos berçários de plantio:
Cada 1 litro do EM dissolver em 1000 litros de água e está pronto o EM/solo (solução de aplicação ao solo).
Lembrete: a água tratada com cloro deve ser colocada um dia antes em recipiente destampado, por 24 horas. No dia seguinte acrescente o EM. O cloro mata microrganismos.
O EM/solo é utilizado na pulverização da terra como ativador/acelerador da decomposição da matéria orgânica, contribuindo com o aumento da vida no solo. É tecnologia de mobilização dos nutrientes.
O bom preparo do solo é feito cobrindo o solo com produtos naturais de origem vegetal (folhas, adubação verde, capim picado, restos de cultura, etc.) e de origem animal (esterco, “cama de galinha”). Molhar o solo ou as leiras com a solução de EM/solo.
Atenção! Molhar bem as leiras. Após a aplicação do EM/solo cobrir as leiras com capim ou palha. Manter o solo úmido. Esperar 7 a 10 dias até o semeio ou o transplante das mudas.

– Pulverizações foliares:
fazer uma solução de EM + caldo de cana + água a 1:1:1000 e fazer pulverizações foliares semanalmente até observar uma melhora na estrutura do solo e na saúde das plantas, então pulverize quinzenalmente.

– Preparos de compostos:
fazer os montes de no máximo 1 metro de altura, regar com uma solução de EM a 1:100. Proceder os tratos para como em uma compostagem normal. Não deixar que a temperatura sua alem de 55ºC, caso isso venha a acontecer, revolver o monte. Ao revolver, caso o monte apresente mau cheiro, regar novamente com a solução de EM indicada acima. Dependendo das condições ambientes, do material usado para compostar e do local o composto poderá ficar pronto em 15 dias, no mínimo.

– Pulverização de plantas:
A pulverização das plantas é feita com o EM/planta.
Adicione em 100 litros de EM/solo, ½ litro de vinagre e está pronto o EM/planta.
É indicado após a germinação ou em culturas já estabelecidas.
Aplicar via pulverizações foliares ou via regador.
Fazer aplicação semanal até melhorar a estrutura do solo ou melhorar a saúde da planta.
Depois fazer pulverizações quinzenais.
No ano em que se começa a usar o EM, o número de aplicações é maior.
Se as condições de crescimento das plantas estiverem em ordem, ano após ano, a frequência pode diminuir.
Pulverizar no período da manhã ou após a chuva

– Na recuperação de solos degradados
A sugestão de dosagem e frequência de uso é a seguinte:

• 100 a 200 L por ha, realizando 4 a 8 aplicações anuais.
• 1º ano ‒ 200 L por ha / 8 aplicações por ano
• 2º ano ‒ 150 L por ha / 6 aplicações por ano
• 3º ano em diante ‒ 100 L por ha / 4 aplicações por ano.

Dicas e cuidados:

  • Não espere resultados imediatos. O EM é um organismo vivo e, para atuar sobre a matéria orgânica, tem que, primeiro, se adaptar ao solo para, aos poucos, ir recuperando-o;
  • Utilizar a solução (EM + caldo de cana + água) no mesmo dia de preparo;
  • Não pulverizar em horário de sol forte, fazer as pulverizações no final da tarde ou em dias nublados;
  • No caso de queimar as bordas das folhas, utilizar uma concentração menor, 1 ml para 2 litros de água;
  • Não utilizar água tratada com cloro. Nesse caso separar um recipiente com água e ou deixar – descansar por 24 horas ou use desclorante comercial antes de misturar o EM;

A aplicação de EM só terá bom resultado se observada outras técnicas da Agricultura Orgânica, como:
cobertura do solo com palha, adição de matéria orgânica (adubação verde, compostagem,biofertilizante), um bom manejo conservacionista do solo, rotação e consorciação de culturas, entre outras práticas.

Cuidados ao guardar e aplicar o EM

  • Guardar em local fresco e ventilado.
  • Utilizar a solução no mesmo dia de preparo.
  • Não pulverizar em horário de sol forte, fazer as pulverizações pela manhã, bem cedinho, no final da tarde ou em dias nublados.
  • Os microrganismos são muito sensíveis à seca, por isso, no período do verão, quando a insolação é muito forte, a aplicação deve ser feita ao entardecer ou em dias nublados. O ideal é aplicar antes e depois da chuva, quando o solo está úmido.
  • Se queimar as bordas das folhas utilize concentração menor.
  • Não utilizar água clorada (de cidade). Separar o recipiente com água e após 24 horas obter a solução de EM.
  • As aplicações de EM podem ser feitas em conjunto com biofertilizantes.
  • O pulverizador ou o regador utilizado com agrotóxico deve ser lavado com água e sabão, diversas vezes, até sair todo o veneno. Se possível compre novo, separe e deixe só por conta do EM.

Fonte: [ Agroecologia Sulminas ]

Fotos: [ Akira Akika ]

+ infos: [ e-campo ]

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Biodiversidade, Controle biológico, Técnicas

Os comentários estão desativados.