Arquivo da tag: Alelopatia

Plantas companheiras – tabela para horta caseira e calendário de plantio

Plantas-companheiras-thumb-ff

[ CLIQUE NA IMAGEM PARA VER A TABELA COMPLETA !! ]

Preparamos para você uma tabela com a relação entre todas as plantas companheiras ou antagônicas, perfeita para imprimir, plastificar e colocar próximo a sua horta.

Todos sabem que a salsa (Petroselium spp) é uma planta de horta que se desenvolve melhor quando em cultivada sozinha no canteiro.

Na verdade, ela é uma planta alelopática, que não permite o desenvolvimento de outras junto dela.

A Família Umbelliferae, da salsa e do coentro (Coriandrum sativum) tem esta característica.

Mas mesmo não sendo alelopáticas as plantas poderão ser companheiras ou antagonistas em relação a outras vizinhas na horta.

Calendário de plantio

legumes-e-verduras-cultivados-Pop1

Fonte: [ Faz Facil ]

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Alimentos, Cultivo

Alelopatia: Plantas Companheiras e Plantas Antagônicas

Os insetos são olfativos. As culturas possuem um cheiro característico que atrai seus inimigos ou predadores.

Certas ervas, plantadas junto com essas culturas, confundem o olfato do inseto e diminuem-lhe o ataque. Algumas plantas eliminam ácidos pelo seu sistema radicular, os quais inibem a multiplicação de outras plantas consideradas ervas daninhas.

Vejamos algumas combinações úteis de plantas companheiras:

GIRASSOL E MILHO
Plantar o girassol cercando uma roça de milho, porque as lagartas que atacam o milho, preferem comer o girassol e deixam o milho se desenvolver.

O GERGELIM E A SAÚVA
As saúvas gostam muito das folhas do gergelim, porém as folhas do gergelim têm substâncias que acabam matando os fungos que alimentam as saúvas. Plante gergelim no aceiro do roçado.

Continuar lendo

17 Comentários

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Curiosidades, Técnicas

Alelopatia

por Edir Patrick

Milho, abóbora e feijão

CONCEITO: Alelopatia é o fenômeno que ocorre na natureza com liberação de substâncias químicas pelas plantas no meio ambiente que provocam efeitos estimulatórios ou inibitórios na germinação, crescimento e desenvolvimento de outras plantas.

Pelo estudo dos processos de alelopatia vê-se que os aleloquímicos, originados do metabolismo secundário, que são liberados no ambiente possuem ação estimulatória em baixa concentração e inibitória com o aumento da concentração.

As substâncias aleloquímicas liberadas no solo são absorvidas pelas raízes e transportadas pelos canais xilemáticos atingindo pontos de crescimento celular, inibindo-os. Pode igualmente interferir nos processos metabólicos celulares induzindo ao crescimento inicialmente para inibi-los posteriormente. Além disso, substâncias como os ácidos orgânicos, resultantes de resíduos no solo, interferem na absorção de nutrientes retardando o desenvolvimento da planta.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Artigos, Curiosidades