Produtor aposta no cultivo da mamona

Evento destaca a maior produção registrada no Ceará, que será destinada para a produção de biodiesel

Monsenhor Tabosa. Uma festa para comemorar a revitalização da mamona e a maior produção da oleaginosa no Ceará em 2011. Foi assim que aconteceu no final de semana o I Festival da Mamona e a Feira da Agricultura Familiar, em Monsenhor Tabosa, distante 306 quilômetros da capital.

Este ano, 850 produtores apostaram no cultivo da planta em 1.700 hectares. A produção, segundo Silvano Cavalcante, gerente de suprimento de biodiesel da Petrobras nos Estados do Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte e Pernambuco, a produção em Monsenhor Tabosa é de 800 toneladas, considerada a maior do Ceará. “É um agricultor por cada mil quilos´´, observa.

Na região, o Instituto Agropolos trabalha com sete técnicos que ganharam a parceria da Cooperativa dos Trabalhadores da Reforma Agrária. Para se ter uma noção do fortalecimento da mamona em Monsenhor Tabosa, basta observar que a produção corresponde a 52% do Polo dos Sertões de Crateús em relação à produção nos Municípios de Ararendá, Crateús, Novo Oriente, Independência, Tamboril, Ipueiras, Poranga e Nova Russas.

O Secretário do Desenvolvimento Agrário do Estado, Nelson Martins disse que o Governo vai continuar incentivando a produção. “Da parte do Ceará, único a oferecer esse incentivo no Nordeste, a cada hectare plantado o produtor recebe R$ 200,00. A mamona é um produto não poluente. Cada agricultor pode plantar até três hectares e garantir um incentivo de R$ 600,00. Tudo isso, está trazendo mais renda. Temos hoje no Ceará, uma usina de primeiro mundo´´, ressaltou.

O prefeito do Município, José Araújo Souto lembrou que Monsenhor Tabosa está localizado na Serra das Matas, seu principal acidente geográfico, no ponto culminante do Ceará (Pico Cabeço Branco, com 1.154,56 metros de altitude), o que se torna um facilitador para a grande produção de mamona.

Fonte: [ Diário do Nordeste ]

Aumenta número de plantas medicinais do horto estadual

Cinco novas espécies foram selecionadas pelo Conselho Estadual de Fitoterapia para integrar a lista de plantas medicinais cultivadas pelas Farmácias Vivas e utilizadas na forma de medicamentos fitoterápicos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Ceará. Após o registro da decisão do Conselho, por Portaria do Secretário da Saúde do Estado, a Relação Estadual de Plantas Medicinais (Replame) passará a ter 30 espécies.

O Nufito presta apoio técnico-científico e faz capacitação de pessoal para promover a fitoterapia em saúde pública no Estado do Ceará.

A novidade estimulou a revitalização do Horto de Plantas Medicinais do Núcleo de Fitoterapia da Secretaria da Saúde do Estado (Nufito), instalado na sede da Coordenadoria de Assistência Farmacêutica, Avenida Washington Soares, 7605, Messejana. Mais viva do que nunca, essa farmácia natural a céu aberto faz o cultivo das espécies e fornece as mudas de plantas medicinais para 54 Farmácias Vivas espalhadas pelo Ceará. No horto, os técnicos do Nufito também realizam pesquisas científicas.

O Projeto Farmácias Vivas, idealizado pelo professor Francisco José de Abreu Matos em 1983, consta de plantas medicinais com eficácia e segurança terapêuticas comprovadas. O projeto deu origem, em 1997, ao Programa Estadual de Fitoterapia, que se transformou no atual Nufito. O Núcleo distribui 16 tipos de medicamentos fitoterápicos para hospitais e unidades da rede estadual de saúde e mantém além do Horto a Oficina Farmacêutica para preparação de fitoterápicos.

Continue Lendo “Aumenta número de plantas medicinais do horto estadual”