Arquivo da tag: Dicas

Casca de ovo: Fonte de cálcio

[img:casca_300x224.jpg,full,centralizado]

Ao se consumir os ovos, costuma-se jogar a casca no lixo, mas fazendo isso estaremos disperdiçando uma ótima fonte de cácio. A casca possui 94% de carbonato de Cálcio (CaCO 3).

O cálcio é chamado um macronutriente, ou seja as plantas precisam em teores maiores quando comparados com os micronutrientes. Macro e mnicro nutrientes apenas diferem nas quantidades necessárias às plantas, mas todos tem a mesma importância, pois basta faltar um e ela não se desenvolve adequadamente.

O cálcio, por exemplo, participa da formação das paredes das células das plantas. É essencial.

Continuar lendo

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Alimentos, Árvores, Cultivo, Meio Ambiente, Mudas, Orgânicos

Não se esqueça das plantas na hora de sua viagem

Nas férias, os brasilienses costumam sair da cidade e deixam suas casas fechadas por alguns dias. Cuidados devem ser tomados para evitar situações desagradáveis na hora do retorno ao seu lar. Florista da cidade dá algumas dicas simples de conservação de plantas e flores por até um mês.

Brasília – Começo do ano é época de férias nesse período,muitas famílias viajam para descansar e deixam em casa plantas e animais. Apesar do tempo úmido que mês de janeiro traz à cidade, as plantas necessitam de cuidados especiais e redobrados. É preciso sempre ter alguém confiável, algum familiar ou vizinho para que possa cuidar das flores.

Mas mesmo com um amigo que cuide de suas plantas, é possível conseguir mantê-las bonitas e impecáveis, mesmo fora de casa por alguns dias. Clarice Valente, proprietária da floricultura “A Rosa de Ouro”, dá algumas dicas de como cuidar das plantas no período de ausência “Vale ressaltar a importância a iluminação, mas as plantas devem estar protegidas dos do sol diretamente. Depois, molha fartamente a planta”.

De acordo com Clarice, três novas etapas ajudarão a mantê-las em bom estado. “Cubra a superfície do vaso com musgo úmido, que pode ser encontrado em lojas especializadas em produtos de jardinagem”, diz a florista.

O segundo passo é cobrir a planta com um saco plástico, sem vedar totalmente, após regar e deixar escoar o resto da água. O plástico deve ser apoiado em quatro estacas enterradas no vaso. Certifique-se de que não ira tocar na folhagem. Em seguida, é importante colocar os vasos dentro de uma bacia forrada com uma camada de pedrinhas ou seixos cobertos de água.

Clarice afirma que esse é um método eficiente para pessoas que viajam muito e a curto prazo. Para quem quer viajar um pouco mais, a florista explica um procedimento mais complexo. O primeiro passo é forrar o fundo em um recipiente com cascalho ou pedregulho. Depois, coloque uma camada de esfagno ou a espuma. “ Para dificultar a evaporação, tampe o recipiente com uma cartolina furada no meio para passar o caule da planta”, complementa Clarice.

Com um barbante, desfiado nas pontas, de aproximadamente 20 cm, a pessoa deve retirar a planta do vaso, sem desmanchar o torrão que envolve as raízes. Em seguida, passe o barbante pelo furo de drenagem, deixando uma das pontas dentro do vaso. Arrume a planta de volta e coloque o vaso em uma bacia com água, sobre tijolos ou pedaço de madeiro, mergulhando só o fio na água. Por último, utilize um pedaço de feltro para colocar os vasos de plástico. Mergulhe uma das extremidades numa pia cheia de água e use outra para acomodar as plantas. “ Este sistema não serve para vaso de barro, que são mais grossos e, ás vezes possuem furos nas laterais”, alerta.

Sobre a “A Rosa de Ouro” – A Rosa de Ouro está no mercado do Distrito Federal desde 1976. Pioneira no ramo, a floricultura vende todos os tipos de flores, cestas de café da manhã de vários modelos e faz decoração de eventos em geral. Além disso, entrega seus produtos em todos os lugares do Brasil e do mundo.

Dicas para curtos períodos: 1. Regue a planta e cubra a superfície do vaso com esfagno (musgo) úmido | 2. Cubra a planta com um saco plástico sem vedar totalmente, após regar e deixar escoar o excesso de água. Apóie o plástico em quatro estacas enterradas no vaso, certificando-se de que ele não toca a folhagem | 3. Coloque os vasos dentro de uma bacia forrada com uma camada de pedrinhas ou seixos cobertos de água.

Para férias de até um mês: 1. Forre o fundo de um recipiente grande com cascalho ou pedregulho e disponha uma camada de esfagno ou espuma de plástico. Acomode os vasos e regue bem, encharcando o esfagno ou a espuma. Para dificultar a evaporação, tampe o recipiente com uma cartolina furada no meio para passar o caule da planta.

2. Pegue um barbante de uns 20 cm e desfie as pontas. Retire a planta do vaso, sem desmanchar o torrão que envolve as raízes, e passe o barbante pelo furo de drenagem, deixando uma das pontas dentro do vaso. Arrume a planta de volta e coloque o vaso numa bacia com água, sobre tijolos ou pedaços de madeira, mergulhando só o fio na água.

3. Para molhar várias plantas de uma só vez, use barbantes do mesmo tamanho, com as pontas desfiadas. Enterre uma delas na mistura do vaso e deixe a outra mergulhada na água de uma bacia, colocada num nível abaixo da planta.

4. No caso de plantas maiores, introduza na terra do vaso o gargalo de uma garrafa cheia de água (as de água mineral são boas), que pingará pelo furo da tampa.

5. Para as plantas em xaxins, distribua-os em pias ou tanques com água pela metade. Coloque em ambiente claro, longe de muito vento;.

6. Utilize um pedaço de feltro para colocar os vasos de plástico. Mergulhe uma das extremidades numa pia cheia de água e use a outra para acomodar as plantas. Este sistema não serve para vasos de barro, que são mais grossos e, às vezes, possuem furos nas laterais.

[Floricultura A Rosa de Ouro Flores & Cestas,, SCLN 202 Bl “D” loja 17 | Telefone: (61) 3326-5205].

Fonte: [ Portal Fator Brasil ]

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Hortas caseiras são úteis e ainda dão charme à decoração

Luciana Ackermann – O Globo

Hortas caseiras podem ser feitas em vasos médios e pequenos

[img:29_MHG_2709_Mor1.jpg,thumb,alinhar_esq_caixa]RIO – Que tal dar aquele toque especial ao seu molho com manjericão, louro e cebolinha? Ou então um chazinho de hortelã? Até parece que tudo fica ainda mais prazeroso se essas ervas aromáticas são cultivadas na sua própria casa. Engana-se quem pensa que é complicado cultivar os jardins de ervas dentro de casa. Até mesmo em apartamentos, é possível manter uma bela jardineira com suas ervas preferidas.

O paisagista Oney Barroso diz que é preciso tirar da cabeça idéia errada de que é trabalhoso cuidar de ervas aromáticas e medicinais. Também explica que não são necessários grandes espaços e vasos volumosos para obter uma horta bacana.

– Dá para cultivar as hortinhas mesmo em vasos pequenos, que podem ficar sobre os aparadores entre a cozinha e a área de serviço. Além de garantirem um toque especial aos pratos, elas também dão vida e embelezam os ambientes. Muitas ainda exalam um agradável aroma – afirma Barroso.

[img:29_MHG_2709_Mor2.jpg,thumb,alinhar_dir_caixa]O primeiro passo, segundo o paisagista, é colocar cerca de dois centímetros de pedra brita ao fundo do vaso ou da jardineira, com pequena abertura para escoar a água. As pedras garantem uma boa drenagem, evitando que as raízes apodreçam. Ele recomenda o uso de substrato orgânico, feito à base de folhas secas e cascas de verdura. Deve-se encher o recipiente até a metade com o substrato, colocar a muda ou as sementes e depois cobri-las com mais substrato. Os vasos devem ser regados três vezes por semana nos períodos mais quentes ou duas vezes na semana em dias chuvosos. As plantas também precisam de boa ventilação e iluminação. Entre 30 e 40 dias é possível colher e usar seus temperos preferidos.

A dona-de-casa Catarina Cardoso diz que cultiva, há cerca de cinco anos, seus temperos em duas jardineiras. E garante que não tem mistério.

– Costumo regá-los quatro dias por semana. Já virou rotina eu sair da cozinha durante preparação do almoço para pegar minhas folhinhas, especialmente o manjericão e o alecrim para colocá-los na comida. – afirma Catarina.

[img:29_MVG_2909_Horta.jpg,thumb,alinhar_esq_caixa]As hortas caseiras estão presentes também nas mostras de decoração. No Casa Cor Rio, por exemplo, a arquiteta Ângela Leite Barbosa investiu na horta orgânica caseira e num minipomar no Estúdio Verde. No evento Casa Boa Mesa, em São Paulo, as arquitetas Betina Barcelos, Karina Salgado e Andrea Bugarib criaram A Cozinha da Família, onde foi projetada uma horta vertical de dois metros de altura por dois de largura, que pode ser adaptada conforme a área disponível.

– Fizemos um painel de madeira com nichos, onde foram colocados os vasos com temperos e ervas aromáticas. Partimos da idéia de que cada vez mais as pessoas estão se preocupando em ter uma alimentação mais saudável e caseira. Quisemos mostrar que essas plantas além de decorativas, são úteis – afirma Betina.

Fonte: [ O Globo ]

4 Comentários

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Plantas Medicinais

O homem e o seu ambiente

[img:1b0c.jpg,resized,align_left]

Quem viver no campo terá que se empenhar em poupar a terra, e não explorá-la.

Deverá procurar conservar e até aumentar a fertilidade do solo.

Observando o campo, aprenderá que não faz parte da ordem natural das coisas praticar uma só cultura, ou manter uma só espécie de animais no mesmo pedaço de terra.

Dará preferência ao maior número possível de espécies vegetais e animais.

Deixará mesmo (se puder ou quiser) uma parte da sua terra sem cultivar, para que nela possa desenvolver uma vida verdadeiramente selvagem.

Pensará sempre, e em cada instante, nas necessidades da sua terra, julgando cada planta e cada animal pelo efeito benéfico que exercem um sobre o outro e sobre a terra.

E, sobretudo, terá plena consciência de que quando intervém na corrente da vida, de que ele próprio é um elo, o faz correndo riscos, pois não deve perturbar o equilíbrio natural da vida.

fonte: Guia Prático da Auto-Suficiência de John Seymour

4 Comentários

Arquivado em Sem categoria