Arquivo da tag: Energias

ENERGIAS, de ontem a amanhã!

Entrevista para o e-jornal RD, edição: setembro 2011

ENERGIAS – de ontem a amanhã.

Entrevistador: Professor Molion

Entrevistado: Eng. Thomas Renatus Fendel

 

 

 

 

 

 

Fig. acima: Teoria abiótica (não biológica) da origem dos combustíveis ditos fósseis.

Detalhes em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Origem_inorg%C3%A2nica_do_petr%C3%B3leo

 

Molion: Qual é a tua opinião sobre energias renováveis?

Fendel: Antes de ter acesso a teus estudos sobre o clima, eu já confiava na pureza do gás carbônico, mas, na onda das acusações ao CO2, cheguei a criar o conceito da carbonação atmosférica negativa (e não neutra) provocado pelo uso das bioenergias, porque o carbono do farelo é da vaca, e não do motor, resultando que o uso de bioenergias seqüestra CO2, de forma até definitiva, quando os resíduos do boi e do capim por ventura fossilizam em carbono biótico. Aí você, meu caro Professor Molion, provou que o CO2 não é o bandido pintado, sendo na realidade o contrário, um inocente santo virginal, apenas criminosamente muito mal pintado, e isso coloca (ou mantém) de ponta cabeça toda a atual política planetária.

Você nocauteou a ladainha eco estufante, comprovando que estamos em resfriamento global, desde 1998, e que, infelizmente, a atual redução de temperatura avançará pelas próximas décadas, num processo repetido, conhecido e verificado há muito tempo.

Nunca foi segredo que os gases formados por qualquer combustão perfeita são noventa e tantos por cento, formados de CO2 e de H2O, em quantidades praticamente iguais, ou seja, quanto mais potentes, sedentos e aperfeiçoados os motores convencionais, mais comida de planta e água destilada produzem, afora traços de outros gases. Para quem não lembra, recordo que plantas não comem terra, comem CO2, bebem H2O e absorvem radiação solar, além de migalhas de outros nutrientes.

Assim se confirma a teoria do meu amigo geólogo Vicente, da porcobráisch, de que devemos queimar preferencialmente fósseis, para pelo menos estancar o nível decrescente de CO2 na atmosfera e assim dar continuidade à produção de alimentos; e se gera a nova eco boba teoria da produção de cristalina água, também a partir da combustão de fósseis, da qual sinto sincera vergonha e asco de ser o autor. Apenas insisto nesta imbecil realidade, para contrapor e evidenciar a idiota moda e criminosa mentira, de produção de água pelo uso do hidroBOBOgênio.

Dizem que o petróleo está no fim, faz 70 anos, o que pelo andar da sacanagem, é outra calúnia catedrática, repetitiva, mal intencionada e perpétua, que tem como objetivos primordiais elevar, exclusivar e manter nas nuvens os preços das energias.

Sobressai dessa lambança a epidemia putrefada dos porcos monopólios das energias, uma sacanagem inominável. Imagina, na mesma balada tola, monopolizar o pão, o leite e a lingüiça, muito mais “estratégicos” do que energia. Não faz sentido.

Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Biocombustíveis, Entrevistas