Entrevista com o professor Francisco José de Abreu Matos, criador do projeto Farmácias Vivas

ENTREVISTA PROFESSOR ABREU MATOS – CRIADOR DO PROJETO FARMÁCIA VIVA

Segue uma ótima entrevista com o professor Abreu Matos para o site Sapiência, poucos meses antes de seu falecimento:

A missão de unir o conhecimento popular ao científico

Sapiência – Como partiu a idéia de criação do Projeto Farmácia Viva?

Dr. Matos – Pouco depois de aposentado, fiz um retrospecto de minha atividade ao longo 20 anos, como professor e pesquisador em regime de Dedicação Exclusiva na UFC, nas áreas de farmacognosia e de química orgânica, especialmente com produtos naturais.

Numerosas comunicações em congressos, trabalhos publicados no Brasil e no exterior, muitos dos quais sobre estudos, envolvendo as áreas da taxonomia botânica, química de produtos naturais secundários e farmacologia, realizados em equipes de plantas medicinais em ocorrência no Nordeste tinham aí a justificativa de suas propriedades.

Isto, mais a minha participação no Programa de Pesquisas de Plantas Medicinais, o PPPM, idealizado e coordenado pela antiga Central de Medicamentos do Ministério da Saúde (CEME), formaram a base para a criação do Projeto Farmácias Vivas, com o objetivo de promover a substituição de plantas usadas empiricamente por outras com a garantia de eficácia e segurança disponíveis na região.

Havia chegado à hora de retribuir para o povo o que recebi em muitos anos de estudos como aluno da escola pública, do ginásio até a universidade.

Continue Lendo “Entrevista com o professor Francisco José de Abreu Matos, criador do projeto Farmácias Vivas”

XX Congresso Ítalo-latinomericano de Etnomedicina

A Sociedade Ítalo-latinomericana de Etnomedicina (SILAE) possui como missão promover a investigação, o estudo, o desenvolvimento, a formação de pessoal, a divulgação das formas de cultivo e a transformação das plantas de interesse alimentício e terapêutico em produtos, bem como sua comercialização nos diferentes países da América Latina e da Europa.

A Sociedade tem especial interesse nos aspectos antropológicos e terapêuticos do uso de plantas medicinais, estabelecendo contatos com sociedades científicas, universidades, órgãos governamentais e instituições privadas que congregam essas mesmas finalidades, firmando e intensificando contatos de cooperação técnico-científicos, de informação e estudos, através de intercâmbio de investigadores de diferentes países.

No Brasil, face aos avanços com que as práticas integrativas e complementares, em especial, a fitoterapia, vem alcançando nas ações de saúde, bem como das políticas governamentais ora implementadas, a realização de um evento de caráter internacional, capitaneado pelo Conselho Federal de Farmácia, vai ao encontro da atual realidade nacional.

Assim, o Conselho Federal de Farmácia e o SILAE realizam, de 19 a 22 de setembro, de 2011, no Seara Praia Hotel em Fortaleza (CE), o XX Congresso Italo-Latinoamericano de Etnomedicina.

O evento recebe o nome do “Prof. Dr. Francisco José de Abreu Matos“, em homenagem ao idealizador do “Projeto Farmácias Vivas“, modelo de assistência farmacêutica na área das plantas medicinais e fitoterapia.

Mais informações em:

Aumenta número de plantas medicinais do horto estadual

Cinco novas espécies foram selecionadas pelo Conselho Estadual de Fitoterapia para integrar a lista de plantas medicinais cultivadas pelas Farmácias Vivas e utilizadas na forma de medicamentos fitoterápicos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Ceará. Após o registro da decisão do Conselho, por Portaria do Secretário da Saúde do Estado, a Relação Estadual de Plantas Medicinais (Replame) passará a ter 30 espécies.

O Nufito presta apoio técnico-científico e faz capacitação de pessoal para promover a fitoterapia em saúde pública no Estado do Ceará.

A novidade estimulou a revitalização do Horto de Plantas Medicinais do Núcleo de Fitoterapia da Secretaria da Saúde do Estado (Nufito), instalado na sede da Coordenadoria de Assistência Farmacêutica, Avenida Washington Soares, 7605, Messejana. Mais viva do que nunca, essa farmácia natural a céu aberto faz o cultivo das espécies e fornece as mudas de plantas medicinais para 54 Farmácias Vivas espalhadas pelo Ceará. No horto, os técnicos do Nufito também realizam pesquisas científicas.

O Projeto Farmácias Vivas, idealizado pelo professor Francisco José de Abreu Matos em 1983, consta de plantas medicinais com eficácia e segurança terapêuticas comprovadas. O projeto deu origem, em 1997, ao Programa Estadual de Fitoterapia, que se transformou no atual Nufito. O Núcleo distribui 16 tipos de medicamentos fitoterápicos para hospitais e unidades da rede estadual de saúde e mantém além do Horto a Oficina Farmacêutica para preparação de fitoterápicos.

Continue Lendo “Aumenta número de plantas medicinais do horto estadual”