Arquivo da tag: lâmpadas

Como reutilizar lâmpadas incandescentes para plantar

Aos poucos estamos substituindo as velhas lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes e LED, mais duráveis e econômicas.

Eis então uma sugestão bem interessante para reutilizar lâmpadas: fazer pequenos VASOS PARA PLANTAS! Eles podem ficar suspensos, apoiados por suportes… O que vale é o improviso e a criatividade.

Para fazer você vai precisar de:

  • lâmpadas queimadas ou que irão para descarte;
  • uma faquinha de ponta;
  • chave de fenda;
  • tesoura;
  • alicate de ponta;
  • cola tipo super bonder;
  • lixa dágua.

Como fazer

  1. Utilizando uma faca e uma tesoura, retire o contato (solda de prata) do fundo, segurando a faca na posição de descascar laranjas.
  2. Retire com um alicate a base acrílica do fundo ou corte a base do soquete da lâmpada (parte de alumínio).
  3. Tenha muito cuidado para não quebrar a lâmpada e use luvas para se proteger.
  4. O manuseio deve ser feito com delicadeza, sem apertar para evitar que quebre.
  5. Caso o soquete se solte utilize a cola para fixar novamente.
  6. Se a borda ficar com saliências utilize a lixa para dar acabamento.
  7. Você pode fazer furos nas laterais do soquete para pendurar.
  8. Lave bem, coloque água e pronto. Já pode usar para plantar!

Sugestão de plantas

  • jibóia (Epipremnum pinnatum);
  • ramos de árvore-da-felicidade (Polyscias guilfoylei, Polyscias fruticosa);
  • ramos de manjericão (Ocimum basilicum);
  • ramos de hortelã (Mentha sp.);
  • cebolinha (Allium fistolosum);
  • flores, muitas flores! 😀

Importante! Trocar a água sempre que ficar turva e colocar ou ramos de forma que feche a passagem para evitar mosquitos. Cuidado com a dengue!

Bom cultivo!

ps: As lâmpadas incandescentes acima de 75W deixaram de ser comercializadas em 30 de junho de 2014. As lâmpadas de 25 a 75 watts deixaram de ser produzidas dia 30 de junho de 2015, sendo comercializadas até 30 de junho de 2016.

Anderson Porto

Deixe um comentário

Arquivado em Fotos, Técnicas

Plantas bioluminescentes poderão funcionar como “lâmpadas”

Por Paulo Gurgel Carlos da Silva, Do Portal Luis Nassif

Criar plantas bioluminescentes que funcionem como “lâmpadas” em nossas ruas poderá ser uma realidade em menos tempo do que pensamos. Graças a uma iniciativa do Kickstarter, os cientistas procuram substituir a forma tradicional de iluminação, obtida a partir do consumo de eletricidade, por um sistema mais eficiente baseado em biologia sintética, engenharia genética e biotecnologia.

Todas as coisas vivas armazenam em seu DNA as instruções genéticas necessárias ao seu desenvolvimento. Durante cerca de 40 anos, temos sido capazes de manipular o genoma (conjunto de genes de um dado organismo) de diferentes seres vivos, de uma forma controlada em laboratório, através das técnicas de engenharia genética e dos avanços na biotecnologia. No entanto, por milhares de anos, essas modificações genéticas têm ocorrido por meio de técnicas não controladas, como a auto-seleção de determinadas culturas e outras ações nas áreas da agricultura e da pecuária.

A proposta agora levantada pelos cientistas Amirav-Drory, Evans e Taylor é baseada em técnicas de engenharia genética que incorporam avanços da biologia sintética. A partir do aproveitamento de um tipo de bactéria que pode ser fluorescente, o Vibrio fischeri, um “primo” do organismo causador do cólera, no qual uma investigação anterior (Universidade de Cambridge) identificou genes que podem ser de interesse. Genes de interesse são a parte do genoma da bactéria que poderá ser usada para manipular geneticamente as plantas escolhidas para a experiência.

Avanços na biologia ajudarão a resolver alguns problemas da sociedade moderna, como o grande consumo de energia e, com isso, reduzir as emissões de gás carbônico (o que pode atenuar o problema das mudanças climáticas). Embora, como se avalia atualmente, as plantas projetadas ainda venham a apresentar um nível de fluorescência baixo para servir como ferramentas de iluminação.

Vai demorar alguns anos para a execução do projeto chegar a um bom termo, mas este é certamente um grande começo. Versão resumida: PGCS.

Fontes
A Dream of Trees Aglow at Night, The New York Times
Plantas bioluminescentes, ALT1040

Fonte: [ Luiz Nassif Online ]

1 comentário

Arquivado em Biotecnologia, Curiosidades