Arquivo da tag: Tinturas

Fitoterapia: conceitos

Transformações das Plantas Medicinais

.
Para alcançar sua ação medicinal, uma planta deve ser tratada de tal forma que se obtenham produtos derivados com ação específica.

Com uma mesma planta, ou com a mesma parte da planta, pode-se preparar diversos derivados levando-se em consideração:

  • o modo de preparação
  • as propriedades físicas
  • o aspecto
  • as características organolépticas
  • a concentração dos princípios ativos
  • as propriedades farmacológicas
  • sua finalidade

As diferentes formas de apresentação dos derivados das plantas medicinais podem classificar-se da seguinte forma:

a) Produtos obtidos por tratamentos mecânicos:
» plantas empregadas in natura
» pós vegetais
» polpas
» produtos líquidos obtidos por expressão (suco fresco de planta)

b) Produtos obtidos por ação do calor:
» por destilação:
– óleos essenciais
– águas destiladas
– alcoolatos

c) Produtos obtidos utilizando a ação de um solvente:
» álcool alcoóleos:
– tinturas
– tinturas mães
– alcoolaturas

» água hidróleos:
– tisanas: infusos e decoctos

» solução açucarada – sacaróleos:
– xaropes e melitos

» solventes diversos – vinhos:
– cervejas
– vinagres
– óleos
– propilenoglicol
– glicerina

d) Produtos obtidos por concentração das soluções extrativas:
– extratos fluídos
– extratos moles
– extratos secos

Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Fitoterápicos, Plantas Medicinais

É bom pra quê? Parte 3

Químico do MA receita extrato de graviola para tratar câncer

Ele consulta pacientes, faz diagnósticos e receita remédios a base de plantas, mas não é médico. E o extrato de graviola, testado em laboratório, pode multiplicar as células cancerígenas.

O doutor Drauzio Varela conta a história de um químico do Maranhão que fabrica e receita produtos à base de plantas para tudo que é tipo de doença, um absurdo que nos faz repetir a pergunta sobre os fitoterápicos.

Imperatriz é a segunda maior cidade do Maranhão. Cerca de 236 mil pessoas vivem nela, e mais da metade é pobre. E 26% são analfabetas. A cidade tem um único hospital público grande e 34 postos de saúde. Em um deles, encontramos Dona Carmosina.

“Em 90% dos pacientes que chegam com ferimentos que demoram a cicatrizar, ela (a pomada de graviola) tem funcionado muito bem”, diz o médico do posto.

Dona Carmosina não foi atrás de nenhum curandeiro, procurou um posto de atendimento do Sistema de Saúde Pública (SUS). Lá, ela recebeu uma receita assinada por um médico: pomada para graviola, que não serve para nada.

O professor Antônio Augusto Brandão Frazão dá aulas na Universidade Estadual do Maranhão. Ele tem um centro de tratamento com plantas na área do Aeroporto de Imperatriz, construído e mantido pela Infraero. Nesse local, ele consulta pacientes, faz diagnósticos e receita remédios a base de plantas, sem ser médico. O professor é químico.

Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em Caso Drauzio Varella, Fitoterápicos, Plantas Medicinais