Plantas companheiras – tabela para horta caseira e calendário de plantio

Plantas-companheiras-thumb-ff

[ CLIQUE NA IMAGEM PARA VER A TABELA COMPLETA !! ]

Preparamos para você uma tabela com a relação entre todas as plantas companheiras ou antagônicas, perfeita para imprimir, plastificar e colocar próximo a sua horta.

Todos sabem que a salsa (Petroselium spp) é uma planta de horta que se desenvolve melhor quando em cultivada sozinha no canteiro.

Na verdade, ela é uma planta alelopática, que não permite o desenvolvimento de outras junto dela.

A Família Umbelliferae, da salsa e do coentro (Coriandrum sativum) tem esta característica.

Mas mesmo não sendo alelopáticas as plantas poderão ser companheiras ou antagonistas em relação a outras vizinhas na horta.

Calendário de plantio

legumes-e-verduras-cultivados-Pop1

Fonte: [ Faz Facil ]

1 comentário

Arquivado em Alimentos, Cultivo

A maconha pode salvar o nosso mundo

maconha

A maconha é a única planta que pode salvar o planeta. Não é questão de fazer os mesmos produtos que outras matérias primas. Ela faz produtos de melhor qualidade e mais ecológicos.

Atualmente é proibido cultivar cânhamo no Brasil, o que é um grande prejuízo. O nosso Nordeste tem condições perfeitas para essa prática, com seu clima seco e sol abundante. Desmatamento de florestas, queima de combustíveis fósseis, pulverização de grandes quantidades de pesticidas, entre outros malefícios ao meio ambiente poderiam ser evitados a partir da produção de maconha para uso industrial.

Só para esclarecer, o produto é o cânhamo (hemp) e não a maconha de consumo recreativo ou medicinal de efeito psicoativo. O hemp não da brisa, pois não tem quantidades suficientes de THC para isso. Se você o fumar provavelmente só acabará com dor de cabeça e muita tosse.

Por conta de sua aparência semelhante à maconha tradicional, preconceito, proibição e muita ignorância, o cânhamo continua proibido no Brasil. Mas a informação ainda não está proibida, apesar de tentarem. Então aqui vão algumas maneiras de como o cânhamo pode nos ajudar.

 

Papel

O hemp se regenera em questão de meses e cresce muito rápido, o que é um ótima solução para a fabricação de papel. Ao contrário do eucalipto (árvore que pode levar mais de 30 anos para estar pronta para colheita), o cânhamo está pronto para ser usado em cerca de 4 meses. Um campo de cânhamo fornece a mesma quantidade de polpa que quatro campos de árvores.

Então porquê ainda continuamos a desmatar as florestas? Não há dúvidas de que o cânhamo é a melhor alternativa.

O trabalho realizado com Cânhamo não amarela nem se torna frágil, pois ele já é naturalmente livre de ácidos. O cânhamo pode ser reciclado até 7 vezes, enquanto o papel de polpa de madeira só pode ser reciclado 4 vezes no máximo. Sem mencionar que milhões toneladas de poluição tóxica são jogadas no ar e água todos os anos durante a produção de papel de madeira e celulose. O papel de cânhamo não precisa ser clareado com cloro, pode ser usado peróxido de hidrogênio para esse processo, o qual é muito mais seguro para a água e solo da terra.

Roupas e Tecidos

As primeiras calças jeans azul da Levis, foram trabalhadas em lona de vela de barco, 100% feita de cânhamo. A lona foi importada de Nim-França e assim surgiu o “de Nim” ou “denim”.

Para a fabricação de tecido, o cânhamo é uma ótima escolha, pois não se desgasta e torna-se mais suave a cada lavagem. A plantação requer um baixo nível de pesticidas e herbicidas, o que não só é ótimo para o meio ambiente, mas também para o uso do produto final (uma vez que não será prejudicial para a pele). Um hectare de cânhamo vai produzir tanto material quanto três hectares de algodão.

Ele é mesmo incrível! O tecido produzido a partir de sua fibra é capaz de manter você fresco no calor e quente no inverno, sendo conhecido por ser até 4 vezes mais quente que o material de algodão. E como se já não existissem fatos surpreendentes suficientes, ele ainda retarda o fogo. Dessa forma o cânhamo se diferencia da maioria dos outros tecidos, vestuários, roupas de cama, que necessitam ter adicionados produtos químicos repelentes de fogo – o que é um grande bônus.

Plástico e materiais de construção

Você sabia que Henry Ford fez um carro com material mais leve que aço capaz de suportar 10 vezes mais o impacto sem amassar? Pois é, foi feito de Cânhamo.

O Hemp pode ser utilizado em vários tipos de materiais de construção, como hempcrete, fiberboard, carpetes, conexões, isolamento, e plástico por exemplo. Não é apenas o meio ambiente que se beneficia com as construções de cânhamo, mas também o ser humano. As paredes feitas de cânhamo são resistentes a fogo e também a ácaros, pragas e mofo. Além disso, as construções feitas de cânhamo retiram CO2 do ar e endurecem conforme passa o tempo.

Paredes feitas de cânhamo podem durar até 500 anos! Uma grande contribuição para a sustentabilidade. Plásticos feitos de Hemp podem substituir totalmente os plásticos feitos de petróleo usados hoje em dia, que contém um alto nível de componentes químicos, como por exemplo o bisfenol.

Agora veja essa: se todos os nossos plásticos fossem feitos à partir do cânhamo, e você comprasse algo que veio com embalagem feita desse plástico, você poderia jogá-la na terra como composto, pois plásticos de cânhamo são completamente biodegradáveis.

Surge então a pergunta, por quê a indústria opta por utilizar materiais muito mais nocivos na produção de plástico?

Combustível

O Cânhamo pode ser utilizado para fazer combustível de duas formas: o óleo de sementes do cânhamo processada, podendo assim ser transformado em biodiesel ou o caule fermentado que pode ser transformado em etanol e metanol.

O biodiesel é totalmente biodegradável e um combustível muito mais limpo para o ar. Mesmo o escape produzidos pela queima do biodiesel de cânhamo tem um cheiro agradável. Embora o Cânhamo não seja a melhor alternativa ao combustível que se encontra disponível, ele pode ser usado temporariamente, pois pode ser utilizado em todos os veículos existentes hoje, sem fazer quaisquer alterações. Ambas as formas de combustível de Cânhamo não são tóxicas e são totalmente biodegradáveis.

Nutrição

Podemos afirmar com segurança que o cânhamo não só é bom para o meio ambiente, mas também para seu corpo. As sementes de Cânhamo são conhecidas por serem as mais nutritivas do planeta – Buda comeu apenas uma semente de cânhamo por dia, durante os seus 6 anos de jejum, para se disciplinar antes de alcançar a iluminação.

Junto com magnésio, potássio, fibras e quase todas as vitaminas que o corpo precisa, as sementes de cânhamo contém grandes quantidades de ômega 3 e 6, ácidos graxos essenciais – são as únicas a conter sozinha os dois juntos.

As sementes de cânhamo são muito ricas em proteínas (cerca de 25% ). Essas sementes possuem um sabor semelhante à noz, podendo ser usada em diversas receitas à seu gosto.

Produtos de limpeza e tintas

Quando limpamos as nossas casas com produtos convencionais, estamos a remover sujidade orgânica, poeira e óleos com químicos não biodegradáveis – químicos esses que nós inalamos antes de serem enviados pelos esgotos até aos Oceanos! O que há de limpo nisto?

Porque é que usamos produtos de limpeza baseados em petróleo? Serão eles melhores do que os produtos naturais? São mais baratos? Na maioria dos casos a resposta é não. Todos os produtos de limpeza contêm agentes que atuam em superfícies. Muitos destes agentes sintéticos, provêm do petróleo e outros químicos. Os agentes naturais provenientes dos óleos vegetais conseguem fazer o trabalho tão bem ou melhor do que os agentes baseados em químicos. Algumas companhias que usam os agentes químicos têm que pagar para tratar os resíduos tóxicos que poluem as águas, pois faz parte das Leis Ambientais.

Porque não usar apenas produtos naturais e biodegradáveis? Testes Europeus, indicam que os produtos de limpeza com agentes naturais baseados no óleo da semente de cânhamo trabalham de modo igual ou melhor do que outros baseados em óleos como: coco, soja e canola. Os produtos baseados em cânhamo podem limpar tudo desde janelas e mobílias, a motores de aviões a jacto. O óleo de cânhamo é um candidato para várias aplicações industriais onde é usado o óleo de linhaça.

O óleo de cânhamo contém agentes de secagem naturais usados nas tintas, nos vernizes e isolantes, que tornam a madeira altamente resistente á água. De facto, a partir de 1937, todas as pinturas de qualidade foram feitas com uma base de óleo de cânhamo.

Cosméticos

Os óleos originais usados em cosméticos como: cremes para bebes, cremes para a cara, creme de barbear, loções corporais são feitos a base de óleos minerais que – adivinhem – são um derivado do petróleo!

Muitas pessoas não fazem ideia que os produtos de maquilagem e cuidados pessoais que aplicam na cara e no corpo são baseados em petróleo. Para perceber porque é que os óleos minerais estão longe de ser uma contribuição para a saúde e beleza, primeiro temos que perceber que toda a vida na terra é baseada, essencialmente em carbono, oxigeno e hidrogênio. Plantas vivas e outros organismos são baseados em carbono vivo. A vida existente há milhões de anos ou está fossilizada ou tornou-se carbono “morto”. Quando usamos cosméticos que contêm óleos minerais estamos basicamente a tentar revitalizar os nossos corpos com materiais mortos. Isto não faz sentido. Apenas os óleos de plantas vivas –fontes de carbono vivo- contêm propriedades regenerativas. Então porque é que o óleo mineral existe em tantos produtos? Numa só palavra: Preço! À parte de ser um óleo incolor e inodoro, a sua principal vantagem é que poucos óleos vegetais conseguem competir economicamente com eles. No fim, a nós como consumidores é-nos oferecido uma notável linha de cosméticos que beneficia a nossa saúde tanto como uma caixa de Twinkees ou Maltesers.

Por outro lado, descobriu-se que o óleo de cânhamo, é altamente nutritivo, essencial para o cabelo e pele, promove o crescimento e retarda o envelhecimento. O cânhamo tem excelentes propriedades regenerativas e hidratantes para a recuperação de doenças de pele e é particularmente usado por pessoas que sofrem de eczema e psoríase.

No reino das plantas, o cânhamo contém a mais elevada quantidade de ácidos gordos essenciais para a saúde do nosso corpo e foi provado cientificamente, ter efeitos bioquímicos e terapêuticos quando aplicados. O óleo de cânhamo pode ser encontrado em shampoos, sabonetes, condicionadores, gel de banho, creme hidratante, batom e outras preparações de cosméticos.

 

Conheça alguns fatos sobre o cânhamo:

  • Até meados de 1880, mais de três quartos de todo o papel no mundo era feito de cânhamo.
  • Uma colheita de cânhamo produz 4 vezes mais fibra crua do que uma plantação de árvores de tamanho equivalente.
  • As árvores demoram 20 anos até serem adultas, o cânhamo demora 4 meses.
  • O cânhamo não precisa de pesticidas porque é intragável para os insetos.
  • O cânhamo não precisa de herbicidas porque cresce depressa demais para as ervas daninhas.
  • O cânhamo repele até 95% dos raios ultravioleta quando tecido numa malha apertada.
  • O cânhamo absorve mais água do que o algodão e tem uma força de tensão 3 vezes superior.
  • A produção de papel de cânhamo não usa tóxicos que podem poluir os rios próximos da fábrica.
  • O papel de cânhamo amigo do ambiente é mais forte e mais duradouro do que o papel feito da madeira.
  • O papel de cânhamo ainda é usado para fazer notas e arquivos.
  • Desde mais de mil anos antes de Cristo e até cerca de 1880 DC, o cânhamo foi o maior cultivo agrícola e indústria do planeta, produzindo a esmagadora maioria das fibras, tecidos, óleos, papel, incensos e produtos medicinais do planeta, assim como sendo a principal fonte de alimento para humanos e animais.
  • A guerra de 1812 entre a América e a Inglaterra foi sobretudo sobre o acesso ao cânhamo da Rússia.
  • Uma das razões principais para a invasão da Rússia por Napoleão em 1812 foi também as provisões de cânhamo Russas.
  • O cânhamo usa a luz do sol com mais eficácia do que qualquer outra planta no planeta.
  • O cânhamo cresce praticamente em qualquer tipo de solo e clima e é uma excelente razão para usar terrenos que de outra maneira estariam abandonados.
  • Até princípios de 1800 a palavra “linhos” referia-se a tecidos grosseiros feitos do cânhamo ou linho.
  • O óleo de cânhamo era referido na Bíblia pelo nome. Aparentemente, etimologistas na Universidade Hebraica em Jerusalém, confirmaram que a palavra “kineboisin” ( também escrita “kannabosm”) referia-se ao cânhamo usado numa pomada sagrada. Ver Exodus 30:23 onde a palavra foi mal traduzida para “cálamo”.
  • O óleo da semente de cânhamo dá a chama mais brilhante nas lamparinas a óleo e é usado desde Abraão. os Citas costumavam urificar-se com óleo de cânhamo que deixava as suas peles “brilhantes e limpas”.
  • Até 1850 muito do papel era feito de cânhamo. Desde 1900, a maioria dos jornais, livros e revistas passou a ser feito de papel de polpa da madeira. Papel barato e dispensável, conveniente de uma sociedade consumista.
  • As nossas florestas, ou o que sobra delas, estão a ser cortadas 3 vezes mais depressa do que elas conseguem crescer.
  • O cânhamo oferece uma fonte de combustível valiosa e sustentável para o futuro. O cânhamo rende cerca de 1000 galões de metanol (3785 litros) por acre ano (10 toneladas de biomassa/acre, cada um dando 100 galões de metanol/tonelada). O metanol usado hoje em dia é principalmente retirado do gás natural que é um combustível fóssil. O metanol está atualmente a ser considerado como o combustível principal para os automóveis, esperando assim reduzir os níveis de CO2.
  • Henry Ford sonhou um dia que os carros nascessem do solo. A companhia Ford, depois de anos de investigação, produziu um carro cuja carroceria era feita de plástico. Essa carroceria rija era feita em 70% de fibra celulose de cânhamo. Este plástico resistia a pancadas 10 vezes mais do que o aço sem ficar com marcas! O seu peso também era 2/3 do peso de um carro normal, sendo assim mais econômico. Henry Ford foi então obrigado a usar o petróleo devido à proibição do cânhamo.
  • Canapa em Italiano, Hanf em Alemão, Canamo em Espanhol, Chanvre em Francês, Kanoplya em Russo, Kender em Hungaro, Tal Ma em Chinês, o cânhamo é sem duvida internacional.

 

Como você pôde ver, o Cânhamo é uma excelente opção industrial por diversas razões. Quase tudo criado a partir do cânhamo é biodegradável , por isso, não só produtos de cânhamo parecem durar muito mais tempo , mas também quando é hora de substituí-los , eles podem retornar à Terra de maneira muito mais ecológica.

Quem projetou a maconha criou uma planta realmente perfeita. Já passou da hora de implementar esses novos recursos em nossas vidas. Nós temos a informação e temos a tecnologia, então o que nos impede?

Henry Ford gostava de dizer “Para quê usar as florestas que demoram séculos a serem criadas, e as minas que requerem épocas para se estabelecerem, se nós podemos ter produtos florestais e mineras equivalentes ao crescimento anual dos campos?”

George Washington Cover tinha uma resposta: “Eu acredito que o Grande Criador colocou minérios e óleos na terra para nos dar um “pequeno descanso”. Como nós os esgotamos devemos estar preparados para voltar às nossas quintas, que são o verdadeiro armazém de Deus, e que nunca se esgotará! Nós podemos aprender a sintetizar o material para cada necessidade humana a partir das coisas que crescem!”

Legalizar a maconha é respeitar a natureza, a vida e o planeta. O uso industrial do cânhamo é a melhor alternativa para termos um equilíbrio ambiental adequado, com uma fonte de matéria prima capaz de produzir combustível, papel, tecidos, casas, plástico, cosméticos… tudo da mais alta qualidade, muitas vezes superior aos produtos feitos com matéria prima convencional no mercado.

A maconha é a única planta que pode salvar o planeta. Se tudo correr como deve, o cânhamo servirá como pilar central de uma nova era de sustentabilidade e consciência ambiental.

Fonte: [ CHARAS ]

1 comentário

Arquivado em Cannabis

(multiplica!) memória visual da terra #5 – O CÔCO, DA ÁGUA À SEMENTE

com Chelah e Tiê

Projeto itinerante que promove o fortalecimento e multiplicação das sementes crioulas e da biodiversidade a partir da sabedoria ancestral, através de ações para a troca de conhecimentos e sementes livres, registrando iniciativas e nomeando guardiões para espécies quase em extinção.

Integrar e aproximar as comunidades rurais e tradicionais dos centros de permacultura e novos rurais.

A multiplicação não para!

Apoie…
http://www.multiplica.org
https://www.facebook.com/multiplicasabedoria

Deixe um comentário

Arquivado em Estudos, Etnobotânica, Mudas, Parcerias, Projetos, Sementes, Vídeos

SiSTSP – Alho-dos-ursos (Allium ursinum)

NOME CIENTIFICO: Allium ursinum
NOME(S) POPULAR(ES): Alho-dos-ursos, Alho-selvagem
FAMILIA (Cronquist): Alliaceae
FAMILIA (APG): Amaryllidaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
Uma curiosidade interessante sobre esta planta: quando o urso selvagem acorda do período de hibernação se alimentam de uma grande quantidade dela.

Esta planta tem uma quantidade maior de enxofre e de adenosina do que qualquer outro vegetal.

A adenosina é um elemento essencial na regulação da hipertensão e da taquicardia.

A face superior das follhas é brilhante, a inferior é opaca e a consistência das folhas é delicada.

O Alho-de-Urso é uma das mais antigas ervas medicinais conhecidas pelo homem.

Suas propriedades curativas foram reconhecidas pelos europeus durante séculos, onde é valorizado por sua capacidade de limpar o sangue de impurezas.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=15316
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis – Projeto Tudo Sobre Plantas
| registro atualizado em: 19/04/2015 10:55:16, por Anderson Porto.
=-=-

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

CTNBio libera uso comercial de eucalipto transgênico

Reunião realizada nesta quinta, dia 9, em Brasília, também aprovou liberação comercial de soja resistente ao 2,4D

eucalipto_transgenico

A Comissão Técnica Nacional de Biotecnologia (CTNBio) liberou a produção comercial da variedade de eucalipto geneticamente modificado. Uma variedade de soja resistente ao herbicida 2,4D também foi aprovada.

A CTNBio analisou a documentação sobre o eucalipto H421, fornecida pela empresa da empresa FuturaGene Brasil. O relatório é resultado de oito anos testes a campo com a variedade. O principal benefício buscado pela tecnologia é a redução do ciclo e o maior desenvolvimento vegetal. Na reunião realizada nesta manhã, em Brasília, foram 18 votos a favor e três contra.

Um dos votos contrários à liberação é do pesquisador da Escola Superior de Agricultura (ESalq/USP) Paulo Kageyama. De acordo com o professor, mesmo com o ciclo reduzido de sete para cinco anos, a variedade transgênica irá consumir mais água do solo, podendo agravar a crise hídrica.

– Vai se diminuir o período de produção para o período que consome mais água. E todo mundo sabe que o eucalipto é gastador de água – diz Kageyama.

O pesquisador também aponta riscos à saúde humana e à produção e exportação de mel orgânico, que seria contaminado com o pólen transgênico.

Entre os favoráveis à liberação, está o também professor da ESalq, Hilton Thadeu Couto. Ele explica que pesquisas recentes comprovaram que o comportamento e a atividade de produção das abelhas não se modificaram. E que a proteína NPT2, introduzida no eucalipto geneticamente modificado, se degrada rapidamente no trato intestinal de mamíferos, de acordo com estudos realizados desde a década de 1990, e portanto, não oferece risco à saúde humana. O professor também alerta para a mais recente pesquisa do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sobre o consumo de água do solo.

– A pesquisa do Inpe divulgada esta semana mostra que o eucalipto aumenta a quantidade de água no solo entre 20% e 30%. Além disso, não se perde a água usada no eucalipto. Ou ela vai para os rios, ou para o ar, onde volta como chuva – argumenta.

No mês passado, a reunião da CTNBio para aprovação do eucalipto gerou manifestações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da Via Campesina. Na ocasião, os manifestantes destruíram mudas de eucaliptos da Suzano, em São Paulo, e impediram a sequência da votação na reunião da Comissão em Brasília. Desta vez, não houve protestos, mas a coordenação do MST se manifestou contrária à decisão através de nota.

– As conseqüências ambientais, sociais e de saúde pública são ignoradas pela CTNBio, pois a maioria dos seus integrantes se coloca a favor dos interesses empresariais – pontuou o movimento, em nota.

Milho e soja resistentes ao 2,4D

Hoje, uma variedade de soja resistente ao herbicida 2,4D foi aprovada. Na reunião passada, os membros da CTNBio também liberaram uma semente de milho da Dow Agrosciences resistente ao 2,4D – substância que está em análise pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Fonte: [ Canal Rural ]

Deixe um comentário

Arquivado em Transgênicos

Médicos confirmam primeira morte humana oficialmente causada por transgênicos – [BOATO!]

edit: Após verificar no site Snopes.com [ LINK ] descobrimos que esta é uma NOTÍCIA FALSA e o texto original foi apagado para evitar que as pessoas compartilhem boatos.

Pedimos desculpas pela postagem.

Comentários desativados em Médicos confirmam primeira morte humana oficialmente causada por transgênicos – [BOATO!]

Arquivado em Alimentos, Transgênicos

O trevo de quatro folhas realmente existe?

O trevo de quatro folhas existe. Mas o verdadeiro trevo com as quatro folhas é resultado de uma anomalia genética, na qual a planta que deveria ter apenas três folíolos, acaba originando um folíolo a mais. O verdadeiro trevo-de-quatro-folhas é formado a partir de plantas da família Fabaeae, do gênero Trifolium sp.. O nome já diz: tri=três e folium=folha, assim essas folhas só poderiam ter três folíolos!

trevo-quatro-folhas-sorte-44628

Existem estudos sobre a essa anomalia no Trifolium sp. ainda não se sabe ao certo se é causada por fatores genéticos, ambientais ou ambos. Geneticamente, a raridade do trevo de quatro folhas sugere que gene recessivo em baixa frequência seja a causa da sua formação. Alternativamente, trevos de quatro folhas podem ser causado por uma mutação somática ou de um erro do desenvolvimento de causas ambientais. A condição também pode ser causado pela interação de vários genes que acontecer para separar a planta individual. Assim, eu diria que essas quatro razões poderiam ser aplicadas para cada caso. Dizem que existem cerca de 10.000 trevos de três folíolos por um de quatro folíolos.

Na verdade, os Trifoliuns podem ter até mais que quatro folhas, ou seja, é possível na busca de um trevo da sorte que você encontre 5, 6 ou até mais folhas. É raro, mas não é impossível. Um erro muito comum é dizer que o raminho do trevo só pode possuir as três folhas, na verdade cada raminho é uma folha e ela deve ser dividida em três folíolos, que são como “sub-folhas”.

Por causa deste estado místico do trevo da sorte, já existem estudos para cultivo de trevos verdadeiros com quatro folíolos na qual são criadas situações ambientais adversas e técnicas de cultivo que aumentam a probabilidade dessa anomalia surgir. Mas atenção: existe uma confusão muito grande quanto ao verdadeiro trevo da sorte, a Oxalis tetraphylla uma espécie de planta que possui naturalmente quatro folhas costuma ser vendida como trevo da sorte, tirando proveito do estado místico de trevos de quatro folhas.

De acordo com tradições, como folhetos trazer boa sorte aos seus descobridores, especialmente se encontraram por acaso e caso você seja contemplado não deve presentear ninguém a sorte que foi sua. Segundo a lenda, cada folheto representa algo: O primeiro é a esperança, o segundo é a fé, o terceiro é para o amor e se encontrar o quarto, indica sorte.

Este é o falso trevo de quatro folhas (Oxalis sp.). Naturalmente essa planta sempre tem quatro folíolos!

Este é o falso trevo de quatro folhas (Oxalis sp.). Naturalmente essa planta sempre tem quatro folíolos!

Fonte: [ Diário de Biologia ]

1 comentário

Arquivado em Curiosidades

Livro “Horta em Pequenos Espaços” da Embrapa

Clique na imagem para fazer o download

Clique na imagem para fazer o download

Recém-lançado, o livro “Horta em Pequenos Espaços” é uma publicação da Embrapa Hortaliças (Brasília-DF), destinada ao público urbano, que traz informações detalhadas de todas as etapas do cultivo de horta caseiras desde o preparo do solo até o manejo diário das hortaliças.

Com o crescente interesse das pessoas em consumir alimentos frescos e saudáveis, o cultivo de hortas no ambiente doméstico torna-se uma boa opção para quem está interessado em produzir hortaliças para o consumo próprio. O livro demonstra como é possível aproveitar espaços ociosos de corredores, varandas, sacadas e quintais para produzir alimentos livres de agrotóxico para o consumo familiar.

“Qualquer espaço pode ser utilizado, o único requisito é que se tenha, no mínimo, 5 horas de sol ou, ao menos, calor e luminosidade para que a planta consiga realizar a fotossíntese”, esclarece o técnico agrícola Adejar Marinho, um dos autores do livro e palestrante do curso “Horta em Pequenos Espaços”, ministrado desde 2004.

Além das explicações de como cultivar hortaliças em espaços reduzidos de casas e apartamentos, a publicação ainda traz um capítulo sobre a importância nutricional das hortaliças para a saúde humana, relacionando os nutrientes e substâncias presentes nesses alimentos que contribuem para a prevenção de doenças.

Outra proposta do título é propiciar ao leitor a realização de uma atividade relaxante que ajude a aliviar o ritmo acelerado de vida. “A iniciativa estimula um maior contato com a natureza, atividade que pode funcionar como coadjuvante na prevenção do estresse cotidiano”, discorre Celso Moretti, chefe-geral da Embrapa Hortaliças, na apresentação do livro.

No mesmo sentido, Marinho acrescenta que quem cultiva a própria horta, além de evitar o desperdício e colher alimentos saudáveis, exerce uma atividade terapêutica e de integração familiar. “As crianças podem auxiliar e, assim, adquirir desde novas o hábito saudável de comer hortaliças. É uma questão de qualidade de vida aliada à satisfação de ver uma sementinha germinar até chegar ao ponto de ser consumida por toda família”, ilustra.

Serviço
Os interessados em adquirir o livro “Horta em Pequenos Espaços” devem entrar em contato com o SAC da Embrapa pelo email cnph.sac@embrapa.br

Fonte: [ Embrapa Hortaliças ]

3 Comentários

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Estudos, Pragas, Técnicas

Como fazer mudas de alecrim

Vamos fazer mudas de alecrim? É bem fácil, que tal experimentar?

Primeiro retire estacas das pontas de alguns ramos, todas com 10 a 15 cm. Depois, retire com a mão as folhas de cerca de metade de cada estaca, puxando-as “para cima”, no sentido da ponta do ramo.

Estacas de alecrim

Estacas de alecrim

Depois, raspe com o auxílio de uma faca, 3 “cortes” nas laterais inferiores dos ramos, uma técnica chamada de “expor o câmbio”, aquela parte branca por baixo da casca.

Câmbio exposto

Câmbio exposto

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Cultivo, Fotos, Passo a passo

14 Alimentos que você compra uma vez e replanta para sempre

Você sabia que muitos alimentos que consumimos, e jogamos fora, podem ser replantados… PARA SEMPRE?

Pois é, então a melhor coisa a se fazer, para o bem da natureza, do seu bolso, e da sua saúde é apostar em mini-hortas. Separei uma lista dos alimentos mais interessantes para você replantar.

CEBOLINHA
cebolinha_kitchn

Quando for usar a cebolinha, separe toda a parte branca e mais um pedacinho da parte verde. Coloque dentro de um copo com água, cobrindo cerca de 2,5 cm (a parte branca). Deixe num local ensolarado e dentro de poucos dias, terá cebolinhas novas para usar e não precisará mais comprar. Troque a água todos os dias. Se tiver um quintal, também poderá replantar e terá mais cebolinhas que qualquer Mônica poderia aguentar, até para dividir com amigos, vizinhos e família.

MANJERICÃO
manjericao_635247009934158391-800x348

Acho o mais saboroso e o mais cheiroso dos temperos. Separe mais ou menos três pares de hastes, corte-as com uns 10 a 15 cm, escolha as mais bonitas, retire as folhas da parte de baixo, também as flores, deixando apenas algumas folhas na parte superior. Coloque num copo de vidro com água até a metade e deixe num lugar ensolarado, trocando a água de dois em dois dias. Depois, quando as raízes estiverem com o tamanho de 2 cm é hora de replantar num vaso médio, grande ou numa floreira, pois ele precisa de espaço e de sol. Assim terá manjericão por um ano sem problemas, para molhos pesto, pizzas marguerita e qualquer outro prato #delícia.
Continuar lendo

17 Comentários

Arquivado em Alimentos, Curiosidades, Fotos, Mudas, Plantas Medicinais