Arquivo do mês: julho 2014

Primeira folha feita pelo homem converte gás carbônico em oxigênio

Por Redação Olhar Digital

(Foto: reprodução)

(Foto: reprodução)

As plantas são uma dádiva para a humanidade e a vida animal como um todo, fornecendo o oxigênio necessário para a existência. O problema é que elas não crescem em gravidade zero, o que impede seu uso para reciclagem do ar em viagens espaciais. Agora isso pode deixar de ser um problema com a primeira folha capaz de fazer a fotossíntese criada pela ação humana.

Julian Melchiorri, formado na universidade britânica Royal College of Art, criou uma alternativa à falta de terra, sol e nutrientes que normalmente são necessários para a fotossíntese. Sua criação utiliza cloroplastos (a parte da célula da planta responsável pela fotossíntese) e proteínas de seda para criar algo que parece uma folha visualmente, com a mesma capacidade de produção de oxigênio a partir do dióxido de carbono, água e luz.

O pesquisador pensou nas aplicações para viagens espaciais, que certamente devem ser observadas de perto pela Nasa, mas também pensou em aplicações mais cotidianas, como o fornecimento de ar fresco em um ambiente fechado, por exemplo, usando em uma luminária, por exemplo.

No vídeo abaixo, ele cita a possibilidade de que a fachada de prédios poderiam ser revestidas do material criado por ele para dar uma reciclada no ar da cidade.

Fonte: [ Olhar Digital ]

Deixe um comentário

Arquivado em Fotos e Vídeos, Notícias, Técnicas, Vídeos

Palestra sobre Alimentação Viva / Biochip, com Ana Branco

Ana Branco é professora do Departamento de Artes da PUC-Rio desde 1981 e orientadora do grupo BioChip. Em sua fala no TED, ela explica a Alimentação Viva, uma forma de alimentação baseada em alimentos naturais crus, frescos e secos (e em seguida hidratados).

Comparando a um chip de computador, que precisa de moléculas de água para armazenar informações, ela defende que através dos alimentos crus e vivos, nós temos acesso às últimas informações enviadas pelo Sol à Terra. No final, ainda demonstra como essa experiência pode ser prazerosa preparando um suco com vários vegetais crus e brindando à vida!

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Vídeos

Rifa de Mudas Frutíferas

rifa_frutiferas_flora_monte_claro_tsp

[ CLIQUE AQUI PARA COMPRAR SUA RIFA ]

Você escolhe 01 muda e compra quantas rifas desejar.
O sorteado recebe em casa a muda que escolher.(*)

MUDAS DISPONÍVEIS(*):

LARANJEIRAS
Abacaxi
Açúcar
Champagne
Lanelate
Lima
Natal
Navelina
Pêra IAC
Sanguínea de Mombuca

TANGERINEIRAS
Clemenules
Mexerica do Rio
Mexerica (Comum Enxertada)
Montenegrina (Tardia)
Murcott (Tardia)
Okitsu (Precoce s/ semente)
Ponkan

LIMEIRAS ÁCIDAS
Fortunella
Xim Xim (Doce)
Lima da Pércia (Doce)
Limão Cravo (Tempero)
Limão Galego
Limão Siciliano (Suco)
Limão Tahiti

CAQUIZEIROS
Caqui Comum
Caqui Kioto
Caqui Fuyu

MACIEIRA
Maçã Ana(Vermelha)
Maçã Julieta(Vermelha)
Maçã Eva (Vermelha)
Maçã Fuji (Vermelha)
Maçã Gala (Vermelha)
Maçã Golden (Verde)

FIGUEIRAS
Figo Branco
Figo Roxo de Valinhos

AMEIXEIRAS
Amarelinha
Coração de Boi
Irati
Letícia
Pluma 7
Reubennel
Roxa Comum

PEREIRAS
Pêra Branca (Mole)
Pêra D’água (Mole)
Pêra Hossui (Mole)
Pêra Kaifer (Dura)

PESSEGUEIROS
Chiripá
Coral
Diamante
Eragil
Ouro
Mel
Precocinho
Premier

FRUTÍFERAS DIVERSAS
Araça
Canela Doce
Castanha Portuguesa
Cereja
Cravo da Índia
Framboesa
Guabiroba
Ingá
Jaca
Louro Tempero
Marmelo Doce
Nogueira Pecã
Romã
Uvaia

(*) sujeito à disponibilidade de mudas em estoque


01/12/2014 – (( SORTEIO EFETUADO! ))

A ganhadora foi Ana Lucia Machado. Ela recebeu uma muda de Limão Tahiti. Parabéns! 🙂

Aguardem novas rifas e novas mudas!

2 Comentários

Arquivado em Frutas, Rifas

SiSTSP – Capim-carona (Elionurus muticus)

NOME CIENTIFICO: Elionurus muticus
NOME(S) POPULAR(ES): Capim-carona, Capim-cheiroso
FAMILIA (Cronquist): Poaceae
FAMILIA (APG): Poaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
É uma das gramíneas mais abundantes na porção centro-meridional do Pantanal matogrossense, que tem como principal característica o solo pobre e os constantes alagamentos.[3]

Possui propriedades antimicrobianas.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
ficha disponivel online em:
http://www.tudosobreplantas.com.br/asp/plantas/ficha.asp?id_planta=38692
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
| SiSTSP – Banco de Plantas Notaveis
| Projeto Tudo Sobre Plantas
=-=-
Registro atualizado em: 09/07/2014 16:59:04, por Anderson Porto.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-

Deixe um comentário

Arquivado em SiSTSP

Bebida ‘estranha’ feita com nabo japonês poderia curar infecções e a gripe suína

550

A bebida probiótica é feita a partir de um tradicional nabo japonês em conserva.

Ele teria a capacidade de prevenir a gripe, dizem os cientistas. Uma nova pesquisa sugere que as moscas que ‘lambem’ o nabo, tornam-se imunes a alguns microrganismos graças aos Lactobacillus encontrados em uma conserva de nabo japonês, também chamado de Suguki. Além disso, estima-se que ele possa combater vírus.

Pensa-se que essas bactérias possam impedir que as cepas mais virulentas da gripe, bem como a H1N1 (conhecida como gripe suína) e a H7N9 (a gripe aviária descoberta recentemente na China) infectem o corpo humano.

A bebida contém a cepa KB290 e ela está sendo estudada em seres humanos e em ratos. Os fãs do vegetal alegam há muitas décadas que o nabo japonês tem propriedades de ‘superalimento’, mas somente agora os pesquisadores tiveram a curiosidade de pesquisá-lo em laboratório.

Naoko Waki, que pesquisou as bactérias do nabo da empresa Kagome, disse: “Nossos resultados mostram que, quando uma determinada cepa de bactéria (Lactobacillus brevis) é engolida por camundongos, os pequenos mamíferos ganham propriedades protetoras contra infecções de vírus da gripe”.

Os resultados do estudo foram publicados no jornal Letters in Applied Microbiology. Eles mostram que uma classe de açúcares chamada exopolissacarídeos forma uma camada que protege as bactérias contra o suco gástrico dos animais, permitindo passarem vivas até o intestino.

“Sabemos que os exopolissacarídeos têm efeitos imunológicos em outras bactérias semelhantes, por isso nós queremos saber se os mesmos encontrados na KB290 (Lactobacillus brevis) são os responsáveis pelo efeito que observamos”, disse Waki

A pesquisa mostrou que as bactérias estimularam o corpo dos roedores a produzirem mais anticorpos para combater a gripe.

Fonte: [ Jornal Ciência ]

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentos, Notícias